Sequoia Logística (SEQL3): lucro líquido ajustado de R$ 7,8 milhões no 2T22, queda de 55,8%

LinkedIn

Sequoia Logística, uma das maiores empresas operadoras logísticas de e-commerce e tecnologia do país, apresentou lucro líquido ajustado de R$ 7,8 milhões no segundo trimestre de 2022. A cifra representa uma queda de 55,8% na comparação com o mesmo período do ano passado.

“A queda do Lucro Líquido está relacionada com o aumento da taxa de juros e o impacto que gera no nosso resultado financeiro, por conta do endividamento. A Selic passou de 4,25% para 13,25%, comparando os encerramentos do 2T21 e 2T22, respectivamente”, explicou Rodrigo Manso, diretor de Relações com Investidores da Sequoia.

A receita líquida atingiu R$ 496,4 milhões no 2T22, apresentando alta de 34,6% na comparação com o 2T21.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – cresceu 58,3% entre abril e junho, na comparação anual, para R$ 75,8 milhões.

O ebitda no trimestre foi impactado por efeito positivo, não recorrente, de R$ 14,1 milhões com a venda integral da participação minoritária detida na Uello Tecnologia S.A., logtech investida em 2018 e que não apresentava mais alinhamento com a nossa estratégia de ecossistema. A venda desta participação gerou um excelente retorno financeiro para a Companhia.

A Companhia realizou 20,9 milhões Pedidos, representando um forte crescimento de 90%. O patamar histórico conquistado reflete o aumento do número de Pedidos na categoria B2C leve, Pedidos com menos de três quilos, que consequentemente apresentam menor ticket médio.

No B2B, atingiu 1,6 milhão de pedidos, crescimento de 8,5% em relação ao 2T21, com aumento do ticket médio de 2,7%.

“O B2B é um mercado ainda maior que o B2C e a gente ainda tem uma participação muito pequena nele. Naturalmente, é um mercado que tem sofrido mais no ‘pós-pandemia’, com o varejo físico e produtos de alto valor agregado sofrendo com juros altos. Mas continuamos focado nesse segmento, tanto no orgânico quanto inorganicamente”, diz Stucchi.

No B2C, atingiu 19,3 milhões de pedidos, nível histórico com forte crescimento de 102% em relação ao 2T21. O aumento é explicado pela categoria de Pedidos leves, itens com a três quilos, que apresenta menor ticket médio. O ticket médio apresentou retração de 13,2% YoY em consequência do crescimento de Pedidos leves no mix.

Fernando Stucchi, diretor financeiro da Sequoia, explica que a alta no segmento B2C foi impulsionada pela plataforma SFx, de coleta e entrega em múltiplas origens. “Tem entrada de novos clientes, que faz com que esse número cresça, e a gente ganha participação de mercado com clientes atuais da companhia também”, afirma.

O CFO diz que a empresa vem crescendo entre clientes asiáticos. “Esses players tem um volume muito forte nos Correios, e quando migram para o privado, somos sempre beneficiados com isso”, diz Stucchi. Segundo ele, o maior volume, por sua vez, ajuda a empresa a ser mais competitiva em relação a custos.

Os custos compreendem essencialmente gastos com frete, combustíveis, pedágios, pessoal e demais custos fixos relacionados à prestação dos serviços de armazenagem e transporte. No trimestre, o Custo totalizou R$ 406,2 milhões, representando um crescimento de 32,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. A margem bruta apresentou avanço de 1,3 p.p., atingindo 18,2% no 2T22. No acumulado do ano, os custos atingiram R$ 773,8 milhões, representando um aumento de 34,4% na comparação com o 6M21. A margem bruta apresentou avanço de 1,0 p.p., atingindo 18,2% no 6m22.

Nos últimos 12 meses findos no 2T22, o ROIC atingiu 43,8%, 11,3 p.p. acima do apresentado no mesmo período do ano anterior. O resultado reflete a capacidade da Companhia equilibrar o forte crescimento da operação, com o aumento da demanda por capital de giro, com o benefício do modelo asset light e o aumento do patamar do Lucro Operacional.

O total de despesas atingiu R$ 50,2 milhões, compreendendo essencialmente despesas com pessoal, vendas, administrativas, serviços de terceiros, depreciação e amortização. Em comparação com igual período do ano anterior, as Despesas avançaram 9,3% e apresentaram diluição de 2,3 p.p. em relação a Receita Líquida.

O Capex totalizou R$ 6,8 milhões, equivalente a 1,1% da Receita Bruta do período. No trimestre, o nível de CAPEX abaixo da média histórica é explicado, principalmente, pela postergação de projetos de automação relacionada com novos sorters em função do alto volume do segmento B2C e, consequente, falta de janela de paralisação necessária para a implantação destes tipos de projetos. Cabe ressaltar que já está em operação 13 dos 22 sorters comprometidos pela Companhia, além disso temos cinco sorters na fase de implantação. Em 6M22, o CAPEX atingiu R$ 51,4 milhões, representando 2,4% da Receita Bruta e em linha com o nível de investimentos esperado.

Ao final de junho/22, o Índice de Alavancagem Financeira da Companhia atingiu 1,4x (0,1x inferior ao nível de alavancagem de março/22), seguindo em patamar saudável.

Os resultados da Sequoia Logística (BOV:SEQL3) referentes às suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 12/08/2022. Confira o Press release na íntegra!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney

Deixe um comentário