Futuros dos EUA caem mesmo após o Dow por fim à sequência de uma semana de perdas

LinkedIn

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: As ações na Ásia-Pacífico subiram na quinta-feira, na sequência de uma recuperação em Wall Street depois que o Banco da Inglaterra anunciou que interviria no mercado de títulos e câmbio para estabilizar a crise financeira em ascensão.

O Nikkei do Japão avançou 0,95% para 26.422,05 pontos.

Na Coreia do Sul, o Kospi fechou em alta de 0,08%, em 2.170,93 pontos.

Na China continental, o Shanghai Composite caiu 0,13%, a 3.041,20 pontos e o Shenzhen Component fechou em alta de 0,18%, em 10.919,44 pontos. O Banco Popular da China alertou para apostas no yuan, em qualquer direção que seja, após seu rápido declínio em relação ao dólar americano nesta semana. Em um comunicado em seu site na quarta-feira disse: “Não aposte contra uma valorização ou depreciação unilateral da taxa de câmbio do renminbi”. Isso é baseado em uma leitura de um discurso do vice-governador Liu Guoqiang em uma reunião por videoconferência sobre o câmbio naquele dia.

O índice Hang Seng de Hong Kong apagou os ganhos iniciais e caiu 0,98%, em 17.081,50 pontos, com o índice Hang Seng Tech caindo 1,79%.

O S&P/ASX 200 da Austrália saltou 1,44%, para 6.555,00 pontos, seu maior ganho em três meses. Todos os 11 setores terminaram o dia no verde, com o setor de energia liderando os ganhos. Woodside Energy adicionou 3,1%, Santos ganhou 2,3% e Whitehaven Coal subiu 4,5%. No setor de mineração, o peso-pesado BHP subiu 2,5%, Fortescue Metals aumentou 2% e Rio Tinto subiu 1%. O setor financeiro, altamente ponderado no índice, também avançou com todos os quatro grandes bancos fechando em território positivo.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão fechou praticamente estável no final da sessão.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa nesta quinta-feira, depois que a intervenção do Banco da Inglaterra para acalmar os mercados aparentemente desapareceu.

Os mercados globais viram outro dia de negociação volátil na quarta-feira, com as ações sendo negociadas em queda acentuada à medida que os mercados globais vendiam devido preocupações econômicas em torno da inflação e das perspectivas de crescimento. Enquanto isso, a turbulência do mercado atingia o Reino Unido desencadeado pelo chamado “mini-orçamento” do novo governo, levando o Banco da Inglaterra a suspender o planejado início de venda de ouro na próxima semana e começar a comprar temporariamente títulos de longo prazo para acalmar o caos de mercado. Os investidores ficaram desapontados com planos do governo de 45 bilhões de libras ou US$ 48 bilhões em cortes de impostos sem reduções de gastos, em um esforço para ajudar a estabilizar seus mercados financeiros e a libra esterlina, marcando uma mudança radical em relação ao movimento agressivo de aperto que muitos bancos centrais globais empreenderam para lidar com a inflação crescente. O Banco da Inglaterra disse que compraria títulos nas próximas duas semanas para estancar o deslizamento nos preços e o banco central alertou anteriormente que a queda da confiança na economia representava um “risco material para a estabilidade financeira do Reino Unido”.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 1,6% no meio da manhã, com as montadoras de automóveis liderando as perdas.

O alemão DAX 30 cai 0,8%. As ações da Porsche sobem quase 2% acima de seu preço de IPO em sua estreia no mercado de ações na quinta-feira, no que está sendo anunciado como uma das maiores ofertas públicas da Europa.

Enquanto isso, o francês CAC 40 cai 1,1% e o índice FTSE MIB da Itália recua 0,9%.

Na Península Ibérica, o IBEX 35 da Espanha cai 1,2% e o português PSI 20 perde 0,6%.

Em Londres, o FTSE 100 cede 1,1%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American e BHP sobe 0,1%, enquanto Antofagasta perde 0,2% e Rio Tinto recua 0,4%. A petrolífera British Petroleum cai 0,4%.

A libra esterlina caiu para mínimas recordes em relação ao dólar americano nos últimos dias e cai mais uma vez na manhã de quinta-feira para negociar pouco abaixo de US$ 1,08.

O indicador de sentimento econômico da Comissão Europeia, que agrega pesquisas de confiança de empresas e consumidores, caiu de 97,3 em agosto para 93,7 em setembro, seu ponto mais baixo desde novembro de 2020. A confiança despencou em todos os setores econômicos em meio a um amplo aumento nas expectativas de inflação, apesar do compromisso do Banco Central Europeu de aumentar as taxas de juros para conter a alta dos preços.

EUA: Os futuros dos índices de ações caem na manhã de quinta-feira, à medida que o impacto positivo nos mercados de títulos por conta da intervenção do Banco da Inglaterra começou a desaparecer e os rendimentos voltaram a subir.

Durante as negociações regulares de quarta-feira, o Dow Jones ganhou 548,75 pontos, ou 1,88%, para 29.683,74 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 1,97%, para 3.719,04 pontos, após atingir uma nova baixa do mercado de baixa na terça-feira. Ambos os índices quebraram uma sequência de seis dias de quedas. O Nasdaq Composite subiu 2,05%, fechando em 11.051,64 pontos.

Segundo analistas, isso aconteceu porque o mercado está bastante sobrevendido e os compradores entraram em cena. O rali de quarta-feira colocou os principais índices no caminho para registrar pequenos ganhos para a semana, mas eles devem coroar o pior mês desde junho. Faltando apenas dois dias para finalizar o mês de setembro, o Nasdaq Composite lidera as perdas mensais, com queda de cerca de 6,5%, enquanto o Dow e o S&P caem 5,8% e 5,9%, respectivamente.

Em uma base trimestral, o Nasdaq está a caminho de quebrar uma sequência de dois trimestres de perdas, enquanto o Dow está caminhando para sua terceira perda trimestral consecutiva pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2015. O S&P está a caminho de seu terceiro trimestre consecutivo de baixa pela primeira vez desde a sequência negativa de seis trimestres, quando encerrou o primeiro trimestre de 2009.

Durante a madrugada, o rendimento dos títulos do tesouro recuperava à medida que as preocupações com a inflação ressurgiam. O rendimento do Tesouro de 10 anos subia 13 pontos-base, para 3,8420%. Durante a sessão de quarta-feira, despencou 25 pontos-base após romper brevemente a marca de 4%, quando marcou a maior queda diária desde 2020. A nota do Tesouro de 2 anos, sensível à política do Fed subiu 11 pontos-base para 4,2048%. Os rendimentos e os preços tem uma relação inversa e um ponto-base equivale a 0,01%.

Na agenda econômica, as solicitações iniciais de seguro-desemprego para a semana que termina em 24 de setembro, será divulgado às 9h30. A leitura final da taxa de crescimento do PIB do segundo trimestre e do índice de preços do PIB também serão divulgados no mesmo horário, fornecendo detalhes sobre o crescimento econômico.

Enquanto isso, está previsto mais discursos de líderes do Federal Reserve. James Bullard, presidente do Federal Reserve Bank de St. Louis discursará às 10h30 e Loretta Mester, presidente do Federal Reserve Bank de Cleveland falará às 14h00

CRIPTOMOEDAS: As criptomoedas voltam a subir após recentes quedas que fazem buscar o segundo mês seguido de baixa em setembro, seguindo descoladas em relação aos ativos digitais dos mercados de ações.

O Bitcoin sobem mais de 2% nas últimas 24 horas, sendo negociado acima de US $ 19.400, enquanto o Ethereum avança 2,9%, acima de US $ 1.300.

Faltando 2 dias para o mês de setembro terminar, o Bitcoin acumula uma desvalorização de 3% após baixa de 14% em agosto. O Ethereum cede 14% em setembro, mês marcado pela atualização conhecida como “The Merge”, após ter recuado 7,5% em agosto.

Bitcoin: +2,52%, em US $ 19.479,00
Ethereum: +2,93%, em US $ 1.339,77
Cardano: +1,13%
Solana: +3,44%
Dogecoin: +1,03%
Terra Classic: -1,95%

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: -0,69%
SP500: -0,93%
NASDAQ: -1,23%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +0,77%
Brent: +0,38%
WTI: +0,43%
Soja: +0,06%
Ouro: -0,78%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário