Iniciando o mês de outubro, os mercados tentam desvencilhar das quedas de setembro

LinkedIn

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: Os mercados asiáticos entraram no último trimestre do ano majoritariamente em baixa, com os mercados Chineses permanecendo fechados por conta do feriado de Golden Week, que compreende o período de 1 de outubro até 7 de outubro, sexta-feira. Os mercados coreanos também não abriram hoje.

O Golden Weeks tem enorme relevância ao país, pois a Golden Week é geralmente considerada uma época para sair de férias, enquanto a semana do feriado do Ano Novo Lunar é um momento de reflexão e passar com a família. O feriado do Dia Nacional que inicia a Semana Dourada de outubro comemora a fundação da República Popular da China em 1º de outubro de 1949. O desfile militar e a revista na Praça da Paz Celestial em Pequim é o maior evento do Dia Nacional. Há também cerimônias de hasteamento da bandeira, fogos de artifício e apresentações.

O Nikkei do Japão ganhou 1,07%, fechando em 26.215,79 pontos. O sentimento dos grandes fabricantes do Japão, ficou em 8 no trimestre de julho a setembro, pior que a leitura de 9 do trimestre anterior, de acordo com a última pesquisa trimestral de sentimento de negócios do Banco do Japão. Economistas consultados esperavam uma leitura de 11.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,85%, em 17.079,51 pontos, depois de atingir os níveis mais baixos desde outubro de 2011, segundo dados do Refinitiv Eikon.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 entregou os ganhos iniciais e fechou em queda de 0,27%, a 6.456,90 pontos, com apenas três dos 11 setores registrando ganhos, à medida que os investidores se preparam para outra alta de juros do Reserve Bank of Australia, programado para amanhã. Uma pesquisa da Reuters com economistas espera que o Reserve Bank of Australia aumente sua taxa básica de juros em 50 pontos base, para 2,85%. Analistas do Nomura esperam que o banco central aumente as taxas em 40 pontos base, “para transmitir a visão do RBA se aproximando do fim das altas altas”. Economistas do Commonwealth Bank Australia veem uma chance maior de um aumento de 25 pontos-base do que de um aumento de 50 pontos-base. Ações de energia, concessionárias de serviços e imobiliárias permaneceram fortes ao longo do dia. Santos acrescentou 1,2%, Yancoal subiu 4,9%, Origin Energy subiu cerca de 3% e Woodside Energy avançou 1,3%. Entre as mineradoras, BHP subiu 0,2%, Fortescue Metals adicionou 0,4% mas Rio Tinto fechou em baixa de 0,3%.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,8%.

Nesta semana, vários países da Ásia divulgarão dados de inflação.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa nesta segunda-feira, iniciando o último trimestre do ano, com a maioria dos países europeus entregando PMIs de manufatura abaixo do esperado.

O índice Stoxx 600 cai 1% no fim da sessão matinal, com as ações do setor financeiro liderando as perdas, enquanto as ações de petróleo e gás sobem com movimentos acentuados nos preços do petróleo após relatos de que a Opep+ está considerando um corte na produção de petróleo de mais de um milhão de barris por dia, citando fontes, numa tentativa de fazer frente à fraqueza da demanda global.

Na parte de baixo do pan-índice, as ações do Credit Suisse caem 11% na segunda-feira, com o nervosismo do mercado sobre a posição de capital do banco suíço persistindo após aumento nos swaps de crédito ou indimplência. O swap de inadimplência de crédito de 5 anos aumentou na sexta-feira para 250, um nível comum para uma empresa, mas alto para um grande banco e o pior nível do Credit Suisse desde 2009. Em termos de comparação, o swap de crédito-default de 5 anos do UBS ficou em 126 e Goldman Sachs foi de 143, segundo dados da IHS Markit. O CDS do governo de 5 anos da Suíça estava em 7. O Credit Suisse perdeu dinheiro por três trimestres seguidos. Ele emprestou para a Archegos Capital Management de Bill Hwang e perdeu US$ 5,5 bilhões depois que o fundo famililar entrou em colapso, além de relacionar com os fundos falidos da cadeia de suprimentos Greensill Capital do financista Lex Greensill, que o Credit Suisse diz que pode levar cinco anos para desvencilhar dos processos judiciais. Na segunda-feira, adiou um aumento de capital planejado para um fundo imobiliário, citando volatilidade no mercado de fundos imobiliários suíços. Na sexta-feira, a Reuters havia informado que o CEO do Credit Suisse, Ulrich Koerner, disse à equipe em um memorando interno que o capital e a liquidez do banco eram sólidos. O Credit Suisse deve anunciar o resultado de sua revisão estratégica em 27 de outubro, ou seja, o banco estará buscando tomar “medidas para fortalecer a franquia de gestão de patrimônio, transformar o banco de investimento em um negócio bancário de capital menor, orientado por consultoria de negócios de mercados mais focados, avaliar opções estratégicas para o negócio de produtos securitizados, o que inclui a atração de capital de terceiros, bem como reduzir a base de custos absolutos do grupo para abaixo de 15,5 bilhões de francos (US$ 15,7 bilhões) no médio prazo”.

O alemão DAX 30 cai 0,7%, o francês CAC 40 perde 1,1% e o FTSE MIB da Itália recua 0,4%.

Na Península Ibérica, o IBEX 35 da Espanha cai 0,3% e o português PSI 20 contraria a tendência regional e sobe 0,8%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,8%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 0,2%, Antofagasta recua 0,8%, BHP tomba 1,4% e Rio Tinto recua 0,7%. A petrolífera British Petroleum sobe 2,1%.

A libra britânica sobe na manhã de segunda-feira com relatos de que o governo do Reino Unido promoverá uma revisão na política fiscal, como a abolição do plano de corte de impostos como sobre cidadãos de alta renda. A libra esterlina ganhou 0,8% em relação ao dólar, sendo negociada a cerca de US$ 1,1250 logo, levando a libra de volta ao nível visto anterior ao anúncio do ministro das Finanças, Kwasi Kwarteng, de uma série de cortes de impostos amplamente criticados em 23 de setembro.

A inflação anual turca atinge nova alta acima de 80%, enquanto o presidente Erdogan promete continuar cortando as taxas de juros.

Na estreia no mercado na SIX Swiss Exchange, em Zurique, a Accelleron afunda mais de 12%, depois que a antiga unidade de turboalimentação ABB foi desmembrada pela empresa de automação suíça.

EUA: Os futuros dos índices de ações seguem misturados na manhã de segunda-feira, depois que Wall Street encerrou outro trimestre negativo e o S&P 500 e o Dow Jones Industrial Average terminaram seu pior mês desde março de 2020.

A sexta-feira encerrou o mês de setembro e o terceiro trimestre negativos para os principais índices. Na última sessão da semana passada, o Dow caiu 500,10 pontos, ou 1,71%, em 28.725,51 pontos, fechando abaixo de 29.000 pontos pela primeira vez desde novembro de 2020. O S&P 500 caiu 1,51%, fechando em 3.585,62 pontos, enquanto o Nasdaq Composite também caiu 1,51%, fechando em 10.575,62 pontos.

O Dow caiu 8,8% em setembro, enquanto o S&P 500 e o Nasdaq Composite perderam 9,3% e 10,5%, respectivamente. Todos os três índices registraram sua sexta semana negativa em sete. No trimestre, o Dow caiu 6,66% para registrar uma sequência de três trimestres de perdas pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2015. Tanto o S&P quanto o Nasdaq Composite caíram 5,28% e 4,11%, respectivamente, para também terminar seu terceiro trimestre negativo consecutivo pela primeira vez desde 2009.

Começando o quarto trimestre, todos os setores do S&P 500 estão com pelo menos 10% de desconto em suas máximas de 52 semanas. Nove setores encerraram o trimestre em território negativo. O setor de consumo discricionário teve o melhor desempenho, registrando ganhos de mais de 4,1%. Segundo analistas, a inflação elevada e a intenção do Federal Reserve de interromper a alta dos preços, independentemente do que isso signifique para a economia, provavelmente continuarão a pesar nos mercados, mas as condições de sobrevenda, no entanto, também tornam o mercado vulnerável a uma forte recuperação de curto prazo com boas notícias.

Historicamente em setembro, o S&P 500 registrou 12 vezes uma queda de 7% ou mais no mês desde 1928, de acordo com dados do Dow Jones Market Data. O Dow caiu 7% ou mais, 14 vezes desde 1928 e o Nasdaq Composite sofreu uma queda de 9% ou mais, em sete vezes desde 1986. De acordo com padrões sazonais, os dados do Dow Jones Market constataram que após uma queda de 7% ou maior em setembro, o S&P 500 sobe 0,53% em média em outubro e vê ganho médio de 1,81%. Isso é melhor que a média para os outros meses de outubro, de alta de 0,47% e a media em 1,03%. Outubro é positivo após uma perda de setembro de 54,55% no ano, contra 57,45% para todos os outros meses de outubro. Muitos estrategistas estão céticos com a reputação de outubro como “assassino de ursos”. Eles argumentam que um ambiente macroeconômico dominado pelos bancos centrais apertando agressivamente a política monetária em uma tentativa de retirar a inflação provavelmente ofuscará fatores sazonais favoráveis. Outubro também está associado à quedas históricas do mercado, incluindo as de 1987 e 1929. O S&P 500 despencou quase 17% em outubro de 2008, após uma queda de 9,1% em setembro, na esteira do colapso do Lehman Brothers.

Na agenda econômica, os dados do PMI de fabricação do Markit e ISM devem ser divulgados na segunda-feira, às 10h45 e 11h00, respectivamente. Os gastos com construção também sairá às 11h00.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro caem na segunda-feira, enquanto os investidores aguardam a divulgação dos dados do Purchasing Managers’ Index (PMI) para o setor manufatureiro, que dará aos investidores uma visão sobre o crescimento da atividade fabril, que nos últimos meses estiveram em níveis baixos, próximos aos observados durante a pandemia de Covid em 2020. Os dados do PMI de manufatura medem a quantidade de bens produzidos e, portanto, refletem se a demanda aumentou ou enfraqueceu, fornecendo “insights” sobre como a economia está se saindo à medida que a inflação continua a subir. O Tesouro de 10 anos caia 1 ponto-base para 3,7926% por volta das 5h30, enquanto o rendimento do Tesouro de 2 anos, que é sensível à política do Fed, era de 4,2022%, uma queda de menos de um ponto-base. Os rendimentos e preços tem uma relação inversa. Um ponto-base equivale a 0,01%.

Vários palestrantes do Federal Reserve também devem tecer seus comentários nesta semana. Na semana passada, as autoridades do alto escalão do Fed adotaram um tom agressivo e indicaram amplamente que continuariam a combater a inflação persistentemente alta aumentando as taxas de juros. Isso levantou preocupações sobre uma recessão entre alguns investidores que temem que o banco central esteja elevando as taxas rápido demais. John Williams, presidente do Federal Reserve Bank of New York falará hoje às 16h10.

De acordo com o rastreador do New York Times, a média de sete dias para novos casos de COVID continua caindo nos EUA, para 46.696 no domingo. Isso é 24% mais baixo em relação à duas semanas atrás e o menor total desde 24 de abril. Havia apenas 12 estados americanos vendo os casos aumentarem nas últimas duas semanas, com Rhode Island subindo 19% e Massachusetts com um aumento de 15%. As internações caíram 12% de duas semanas atrás para 27.990, o menor total desde 1º de junho. Enquanto isso, a média diária de mortes relacionadas ao COVID caiu 9% de duas semanas atrás para 405, mas se manteve acima de 400 por dia nas últimas duas semanas.

CRIPTOMOEDAS: A maior criptomoeda por capitalização de mercado cai ligeiramente nos primeiros dias do mês de outubro, historicamente um mês forte para as criptomoedas, enquanto setembro é historicamente fraco.

O Bitcoin cai 0,5% nas últimas 24 horas, sendo negociado acima de US $ 19.100, próximo do preço registrado no início do fim de semana. A maior criptomoeda por capitalização de mercado subiu brevemente acima de US $ 20.000 na semana passada antes de recuar para a faixa negociada durante grande parte do mês passado.

O Ether recentemente mudou de mãos um pouco abaixo de US $ 1.300, um desconto de aproximadamente 1,2% em relação ao dia anterior. A segunda maior criptomoeda passou grande parte das últimas duas semanas negociando confortavelmente acima deste nível.

Bitcoin: -0,52%, em US $ 19.161,30
Ethereum: -1,20%, em US $ 1.292,32
Cardano: -1,83%
Solana: -1,37%
Dogecoin: -0,82%
Terra Classic: -4,18%

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: +0,50%
SP500: +0,32%
NASDAQ: -0,10%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +0,07%
Brent: +4,00%
WTI: 4,18%
Soja: +0,09%
Ouro: +0,04%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário