28/11/2014 21:31:00 Produtos ADVFN
Fale Conosco
Cadastro Gratis Login

Os melhores restaurantes do mundo com o Guia Michelin

Share On Facebook

Aproveite o prazer de saborear a alta gastronomia em restaurantes presentes no Guia Michelin.

Impresso com o máximo de segredo e com tiragem desconhecida, este guia é o mais respeitado do mundo e premia os melhores restaurantes classificando-os com estrelas (de 1 a 3) e que representam o sonho ou o pesadelo de qualquer chef. Ganhar uma estrela do guia significa a ascensão do restaurante e de seus chefs ao passo que perder uma delas pode levar até a uma tragédia como a do chef Bernard Loiseau que se suicidou em fevereiro de 2003, com um tiro na cabeça aos 52 anos, desesperado com o rumor de que seu estabelecimento perderia a classificação de “três estrelas” no Guia Michelin.

Eu mesmo já tive o prazer de conhecer a maravilhosa comida de alguns restaurantes premiados, e apesar do valor salgado, é um prazer que todos devem se dar ao luxo.

Edição de 2012

A edição 2012 do guia lista 2.100 restaurantes, visitados anonimamente pela equipe do “Michelin”.

Os restaurantes três estrelas da Euorpa são:

- Paul Bocuse, em Lyon (França)
- Alain Ducasse au Plaza Athénée, em Paris (França)
- Arpége, em Paris (França)
- Astrance, em Paris (França)
- Guy Savoy, em Paris (França)
- L’Ambroisie, em Paris (França)
- Le Meurice, em Paris (França)
- Le Pré Catelan, em Paris (França)
- Ledoyen, em Paris (França)
- Pierre Gagnaire, em Paris (França)
- Épicure, em Paris (França)
- Enoteca Pinchiorri, em Florença (Itália)
– La Pergola, em Roma (Itália)
- Alain Ducasse at The Dorchester, em Londres (Inglaterra)
- Gordon Ramsay, em Londres (Inglaterra)

O restaurante dinamarquês Noma, do chef René Redzepi, eleito o melhor do mundo pela revista britânica “Restaurant”, continua com duas estrelas.

Conheça a história do famoso Guia Michelin

O lendário Guia Michelin foi publicado pela primeira vez em 1900 por André Michelin e seu irmão Edouard, fundadores da Compagnie Générale des Établissements Michelin, a famosa empresa fabricante de pneus. A primeira edição do guia tinha foco meramente publicitário, motivado pela Exposição Universal de 1900. Nessa época o Guia Michelin era um brinde que os clientes recebiam na compra dos pneus Michelin. Na virada do século XX a França contava com pouco mais de 2.400 motoristas, para os quais o guia trazia informações como endereços de oficinas, postos de gasolina, farmácias, médicos, mapas e curiosidades.

Até 1908 o guia passou a servir principalmente para a divulgação de hotéis e oficinas mecânicas. No ano seguinte a Michelin optou pela supressão total da publicidade paga no guia visando tornar-se mais independente e conquistar maior credibilidade de seus leitores.

Foi só a partir de 1920 que o guia deixou de ser oferecido como brinde e passou a ser vendido. Comenta-se que certa vez André Michelin, ao passar por uma garagem, ficou aborrecido ao ver o eixo de um carro sendo calçado por uma pilha de Guias Michelin. Para que o guia não fosse tratado com banalidade, ele decide trabalhar melhor o seu conteúdo e a cobrar por ele. Foi então que surgiram no guia a avaliação de restaurantes realizada pelos criteriosos inspetores anônimos da Michelin.

O maior do mundo: O chef Paul Bocuse é o recordista de permanência com 3 ‘estrelas’ no Guia Michelin. Seu restaurante Collonges-au-Mont-d’Or ostenta todos os seus 3 macarons desde 1965.

Em 1926 surgem os macarons para designar os melhores restaurantes e em1931 aclassificação em 1, 2 e 3 macarons. 1926 foi também o ano da criação do Guia Regional Michelin – o guia turístico que deu origem aos atuais guias de capa verde. Apesar de ser um termo amplamente mencionado pelas pessoas, as tão famosas ‘estrelas’ dos restaurantes classificados pelo Guia Michelin na realidade não existem. Até hoje o guia atribui às boas mesas os macarons, que nada têm a ver com as estrelas – usadas no guia para a classificação de hotéis.

A chef Anne-Sophie Pic é a única mulher do mundo a conquistar 3 macarons no Guia Michelin.

Editado em 22 países, o ‘Guide Rouge’ da Michelin já vendeu mais de 30 milhões de exemplares desde sua criação. E é justamente as cores das capas que nos fazem reconhecê-lo de longe nas livrarias segundo a especialidade: capa vermelha para o guia de hotéis e restaurantes e capa verde para os guias de viagem. Impresso sempre no mais absoluto sigilo, nem mesmo o número dos exemplares de tiragem é divulgado – estima-se que sejam impressos em torno de 500.000 por ano.

O mítico guia vermelho é dedicado aos seguintes países: França, Bélgica, Holanda, Itália, Alemanha, Espanha, Portugal, Suíça, Grã Bretanha e Irlanda, além de uma edição-coletânea dedicada às principais cidades da Europa.

Em 2006 foi lançada uma edição específica para a cidade de New York e em 2008 outras duas novidades: edições de Tokio e Hong Kong.

 
LEANDRO MARTINS -

……………………………………………………………………………………………..

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.

Deixe um comentário

 


Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

1 site:2 141128 21:31