Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) em Março de 2017

De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) realizada mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em março, o setor de serviços apresentou retração de 2,3% no volume de serviços prestados frente a fevereiro (série com ajuste sazonal), após ter registrado crescimento de 0,4% em fevereiro (dado revisado) e de ter ficado estável em janeiro (dado revisado). Na série sem ajuste sazonal, no confronto com março de 2016, o setor apontou queda de 5,0%, após ter registrado quedas de 5,3% (dado revisado) em fevereiro e de 3,5% em janeiro. Com esses resultados, a taxa acumulada no ano ficou em -4,6% e, em 12 meses, -5,0%.

PMS Variação Mensal Variação Anual Acumulado no Ano
Acumulado 12 Meses
Volume no Setor de Serviços
-2,3% -5,0% -4,6% -5,0%
Receita Nominal do Setor de Serviços -1,0% 1,0% 1,1% 0,1%

A receita nominal em março registrou variação de -1,0% em relação a fevereiro (série com ajuste sazonal) e, na comparação com mesmo mês do ano anterior, ficou em 1,0%. A taxa acumulada no ano ficou em 1,1% e, em 12 meses, 0,1%.

 

Classificação do Volume de Serviços no Brasil por Grupos de Atividades

Confira abaixo como foi a evolução do volume de negócios registrado no setor de serviços brasileiro em Março de 2017 em cada um dos principais grupos de atividades. A variação mensal refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em relação ao mês imediatamente anterior. A variação anual refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em relação ao mesmo mês no ano anterior. O acumulado no ano refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em comparação com o último dia do ano anterior. O acumulado doze meses refere-se ao percentual de crescimento nos últimos 12 meses.

Volume de Serviços Variação Mensal (%) Variação Anual (%) Acumulado Ano (%) Acumulado 12 Meses (%)
Brasil -2,3 -5,0 -4,6 -5,0
1 - Serviços prestados às famílias -2,1 -1,9 -4,2 -4,6
   1.1 - Serviços de alojamento e alimentação -1,3 -1,3 -3,8 -4,7
   1.2 - Outros serviços prestados às famílias 2,5 -6,2 -6,4 -4,1
2 - Serviços de informação e comunicação -0,4 -1,4 -0,4 -2,2
   2.1 - Serviços TIC -0,9 -0,5 0,7 -1,4
     2.11 - Telecomunicações -2,1 -1,7 -0,6 -2,6
     2.12 - Serviços de tecnologia da informação 0,7 1,1 3,9 2,2
   2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias -0,9 -4,6 -4,9 -6,9
3 - Serviços profissionais, administrativos e complementares -0,8 -10,2 -9,4 -6,1
   3.1 - Serviços técnico-profissionais -1,0 -16,5 -16,6 -13,4
   3.2 - Serviços administrativos e complementares -1,6 -7,0 -5,8 -3,4
4 - Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio -1,1 -2,1 -3,2 -7,2
   4.1 - Transporte terrestre -2,7 -5,2 -4,8 -9,3
   4.2 - Transporte aquaviário 1,8 0,9 -4,6 -11,5
   4.3 - Transporte aéreo 1,7 -9,6 -14,6 -4,8
   4.4 - Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio -0,3 4,2 2,5 -3,6
5 - Outros serviços -1,2 -14,6 -9,5 -4,1
Atividades turísticas 0,9 -4,6 -7,2 -4,3

 

Classificação do Volume de Serviços no Brasil por Regiões

Confira abaixo como foi a evolução do volume de negócios registrado no setor de serviços brasileiro em Março de 2017 em cada uma das regiões pesquisadas pelo IBGE para elaboração da Pesquisa Mensal de Serviços. O índice pontos refere-se ao crescimento em pontos do indicador tomando como referência o mês base da pesquisa (Janeiro de 2011), cuja pontuação era igual a 100. A variação anual refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em relação ao mesmo mês no ano anterior. O acumulado no ano refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em comparação com o último dia do ano anterior. O acumulado doze meses refere-se ao percentual de crescimento nos últimos 12 meses. 

Volume de Serviços Índice (Pontos) Variação Anual (%) Acumulado Ano (%) Acumulado 12 Meses (%)
Brasil 89,6 -5,0 -4,6 -5,0
Rondônia 97,5 -10,8 -17,4 -13,7
Acre 88,2 -4,5 -2,5 -2,5
Amazonas 74,3 -11,0 -10,4 -12,4
Roraima 83,0 -18,7 -17,5 -6,0
Pará 87,6 -8,4 -9,6 -6,9
Amapá 68,1 -16,5 -18,5 -15,0
Tocantins 100,7 -4,9 -18,1 -8,4
Maranhão 76,1 -5,1 -10,8 -10,5
Piaui 88,2 -0,1 1,8 -2,2
Ceará 91,6 -4,3 -0,2 -2,1
Rio Grande do Norte 95,2 6,5 2,6 -3,7
Paraíba 81,2 -5,2 -8,4 -8,4
Pernambuco 83,6 -5,2 -4,9 -7,6
Alagoas 102,3 2,3 0,8 -2,3
Sergipe 79,5 -12,4 -13,4 -9,7
Bahia 84,4 -6,0 -3,8 -7,6
Minas Gerais 90,1 -3,2 -2,5 -3,8
Espirito Santo 86,7 -1,8 -2,5 -6,9
Rio de Janeiro 84,7 -10,4 -9,5 -7,7
São Paulo 92,0 -3,1 -2,3 -2,8
Paraná 95,2 4,9 2,2 -3,3
Santa Catarina 85,8 -9,0 -9,4 -9,2
Rio Grande do Sul 90,8 -9,2 -6,4 -5,2
Mato Grosso do Sul 87,4 -10,8 -15,0 -11,1
Mato Grosso 105,9 5,3 -0,9 -13,6
Goiás 83,2 -8,3 -7,7 -8,9
Distrito Federal 89,3 -13,2 -13,9 -5,9

 

Classificação da Receita Nominal do Setor de Serviços no Brasil por Regiões

Confira abaixo como foi a evolução da receita nominal registrada no setor de serviços brasileiro em Março de 2017 em cada uma das regiões pesquisadas pelo IBGE para elaboração da Pesquisa Mensal de Serviços. O índice pontos refere-se ao crescimento em pontos do indicador tomando como referência o mês base da pesquisa (Janeiro de 2011), cuja pontuação era igual a 100. A variação anual refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em relação ao mesmo mês no ano anterior. O acumulado no ano refere-se ao percentual de crescimento do mês atual em comparação com o último dia do ano anterior. O acumulado doze meses refere-se ao percentual de crescimento nos últimos 12 meses.

Receita Nominal de Serviços Índice (Pontos) Variação Anual (%) Acumulado Ano (%) Acumulado 12 Meses (%)
Brasil 103,8 1,0 1,1 0,1
Rondônia 109,4 -5,8 -12,5 -10,5
Acre 100,0 6,8 8,3 2,7
Amazonas 85,2 -3,8 -3,0 -8,4
Roraima 91,6 -13,9 -14,4 -3,4
Pará 100,5 -0,7 -2,7 -2,8
Amapá 76,0 -10,0 -12,5 -12,4
Tocantins 109,8 -2,0 -16,7 -4,7
Maranhão 87,3 0,6 -5,3 -8,0
Piaui 102,8 7,8 9,2 1,4
Ceará 110,5 2,3 7,1 3,6
Rio Grande do Norte 109,5 12,4 7,5 -0,4
Paraíba 94,8 3,0 -1,9 -4,4
Pernambuco 98,7 3,0 2,0 -3,3
Alagoas 113,8 6,2 3,4 0,7
Sergipe 91,7 -5,4 -7,3 -6,9
Bahia 98,4 0,3 2,2 -2,2
Minas Gerais 106,5 4,8 5,5 2,2
Espirito Santo 100,5 5,7 4,0 -2,9
Rio de Janeiro 95,9 -5,1 -4,9 -3,8
São Paulo 105,2 1,2 2,0 2,1
Paraná 119,8 17,0 12,6 3,5
Santa Catarina 103,5 -1,4 -2,6 -3,3
Rio Grande do Sul 106,0 -2,0 1,0 1,4
Mato Grosso do Sul 101,8 -6,2 -9,6 -6,2
Mato Grosso 126,1 9,8 4,4 -8,7
Goiás 97,6 -2,7 -2,0 -3,6
Distrito Federal 102,0 -4,1 -4,8 0,7

 

Principais destaques do Setor de Serviços Brasileiro em Março de 2017 

Volume de serviços prestados no Brasil registrou retração mensal de 2,3% em Março de 2017

Por atividade, em relação a fevereiro de 2017 (série com ajuste), todos os segmentos apresentaram quedas em março, sendo serviços prestados às famílias (-2,1%); outros serviços (-1,2%); transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (-1,1%); serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,8%) e serviços de informação e comunicação (-0,4%). O agregado especial das atividades turísticas apresentou crescimento de 0,9% na comparação com o mês imediatamente anterior. 

Setor de serviço no Brasil recuou 5,0% em Março de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

Em termos de composição da taxa global de volume, em comparação com março de 2016, as contribuições dos segmentos foram: Serviços profissionais, administrativos e complementares (-2,4 pontos percentuais); Outros serviços (-1,1 ponto percentual); Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (-0,8 ponto percentual); Serviços de informação e comunicação (-0,5 ponto percentual) e Serviços prestados às famílias (-0,2 ponto percentual).

Volume de serviços prestados no Brasil acumulou queda de 4,6% nos três primeiros meses de 2017

Por atividades, os segmentos de Serviços de informação e comunicação (2,8%) e de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio foram os que registram os maiores crescimentos (1,6%), seguido dosServiços prestados às famílias (0,8%). Os Serviços profissionais, administrativos e complementaresregistraram queda de 7,3% e Outros serviços, de - 4,8%. As Atividades turísticas registraram retração de 4,3% no trimestre.

PMS de Março de 2017: Setor de serviços brasileiro recuou 5,0% nos últimos doze meses

Analisando o desempenho do setor de serviços brasileiro por regiões nos últimos doze meses, as maiores variações negativas foram registradas no Amapá (-15,0%), Rondônia (-13,7%) Mato Grosso (-13,6%), Amazonas (-12,4%) e Mato Grosso do Sul (-11,1%). Nenhuma região apresentou variação positiva nesse tipo de comparação.

Setor de Serviços: Tocantins apresentou a maior retração mensal em Março de 2017

Em relação aos resultados regionais do setor de serviços em março frente a fevereiro (com ajuste sazonal), as maiores variações positivas de volume foram registradas em Tocantins (24,9%), Maranhão (9,9%) e Alagoas (4,1%). As maiores variações negativas foram observadas em Roraima (-4,2%), Rio Grande do Sul (-4,0%) e Paraná e Distrito Federal (ambas com -3,4%).

São Paulo foi o grande destaque do setor turístico brasileiro em Março de 2017

Com relação às atividades turísticas disponíveis no país, entre as unidades da federação avaliadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na comparação entre março e fevereiro de 2017, os principais destaques positivos, por ordem de variação foram: São Paulo (5,2%), Paraná (3,6%), Espírito Santo (3,2%), Minas Gerais (3,0%), Pernambuco e Ceará (ambas com 1,3%) e Bahia (0,8%).

 

Últimas Notícias sobre o Setor de Serviços

No Articles Found

Páginas Relacionadas

Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P: V:br D:20200220 13:28:23