Até onde vai a alta da CSN após a tragédia de Brumadinho?

Data : 05/04/2019 @ 10:51
Fonte :ADVFN News
Ativo : Cia Siderurgica Nacional (CSNA3)
Cotação : 13.08  -0.01 (-0.08%) @ 15:27
Cotação Gráfico

Até onde vai a alta da CSN após a tragédia de Brumadinho?




Completados dois meses da tragédia que devastou Brumadinho, a CSN (BOV:CSNA3) aparece como a única realmente beneficiada com o desastre. A empresa presidida por Benjamin Steinbruch já havia crescido na preferência dos investidores por reduzir seu endividamento e melhorar as margens de lucro.

Com a tragédia da Vale (VALE3), seus papéis dispararam. Desde Brumadinho, as ações haviam subido 72,7% até a quarta-feira 27, a maior alta da bolsa no ano. No período, as ações da Vale caíram 2,3% e o Ibovespa subiu 5,7%.

Para entender o movimento é preciso lembrar que a companhia de Steinbruch não é apenas uma siderúrgica. Ela também vende cerca 35 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. É bem menos que os 400 milhões de toneladas que a Vale vendeu em 2018.

Mesmo assim, a interrupção das atividades nas minas de Brumadinho e Brucutu deve reduzir essa cifra em 70 milhões de toneladas. O reflexo no preço do minério foi imediato. Após Brumadinho, as cotações internacionais da tonelada, que oscilavam ao redor de US$ 75, saltaram para US$ 90, uma alta de 20%.

Acordo com a Glencore

Além de melhorar a margem, a CSN vem buscando ampliar sua fatia de mercado. Em 20 de fevereiro, poucos dias depois da catástrofe, a empresa fechou um contrato de fornecimento de longo prazo com a trading suíça Glencore. O acordo prevê o fornecimento de um lote de 22 milhões de toneladas de minério de ferro até 2024.

A Glencore vai pagar US$ 500 milhões antecipadamente. Em sete de março, alguns dias depois do fechamento do acordo, a siderúrgica divulgou que havia contratado o banco americano Citi para fechar acordos semelhantes. “A CSN está tentando ampliar suas vendas para aproveitar o espaço deixado pela Vale”, diz Pedro Galdi, analista de investimentos da Mirae Asset.

Os novos contratos e o aumento das margens facilitam a estratégia da CSN de reduzir seu endividamento, mais elevado que a média do setor. Pelos resultados de dezembro de 2018, a relação entre a dívida e a geração de caixa medida pelo Ebitda está em 4,5 vezes. Ou seja: para quitar todas as dividas, a companhia teria de usar 100% do seu resultado operacional durante quatro anos e meio.

A siderúrgica, no entanto, se comprometeu a reduzir esse número para três até dezembro deste ano. Para isso, vem tentando vender ativos, como fábricas em Portugal e na Alemanha. Mesmo abaixo dos resultados de anos anteriores, quando chegou a superar a relação dívida/Ebtida em cinco vezes, a alavancagem continua elevada e é a maior do setor.

Galdi, da Mirae, afirma que uma razão técnica amplificou a alta. Vários investidores previam que a dívida da CSN iria pressionar as cotações para baixo. Com base nessa expectativa, eles montaram posições a descoberto apostando na queda dos preços, e tiveram de desfazê-las rapidamente quando a subida começou.

CapturadeTela2019-04-05às10.41.39

Além dos riscos operacionais, a companhia deve ver o preço do minério de ferro voltar a patamares anteriores aos do rompimento em Brumadinho. Essa é a expectativa do Santander, que espera que as cotações caiam para menos de US$ 70 por tonelada no ano que vem.

“A redução na oferta da Vale fez outras empresas aumentarem sua produção”, afirma Gustavo Allevato, analista do banco. “Além disso, esperamos que em 2020 a própria oferta da Vale já esteja normalizada”. Ele também avalia que desacelerações nas economias da China e do Brasil podem pressionar negativamente as cotações do minério de ferro.

Para os analistas do BB Investimentos, a CSN apresentou um ano surpreendente, desempenhando acima dos seus pares, e tornou-se o nome favorito do banco no setor. Dessa forma, os analistas ajustaram o preço-alvo para R$ 18,50 (antes R$ 13), com a recomendação outperform reiterada.

A corretora Planner também revisou suas estimativas para o papel, destacando as melhores perspectivas para as vendas e os preços de aço e minério de ferro. Dessa forma, o preço-justo da CSN foi revisado para R$ 15,50 por ação, ante R$ 11,40. A recomendação foi alterada de compra para venda, após a alta de 93,8% no ano.

*Com informações do site Isto É 

SID NACIONAL ON (BOV:CSNA3)
Gráfico Histórico do Ativo

1 Ano : De Fev 2019 até Fev 2020

Click aqui para mais gráficos SID NACIONAL ON.

SID NACIONAL ON (BOV:CSNA3)
Gráfico Intraday do Ativo

Hoje : Terça, 18 de Fevereiro de 2020

Click aqui para mais gráficos SID NACIONAL ON.
Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Cotações da NYSE e AMEX têm defasagem de no mínimo 20 minutos.
Quaisquer outras cotações têm defasagem de no mínimo 15 minutos quando não especificado.
Em caso de dúvidas por favor entre em contato com o suporte: suporte@advfn.com.br ou (11) 4950 5808.
P: V:br D:20200218 18:42:14