CSN, Gerdau, Usiminas tiveram a perspectiva revisada a negativa pela agência de classificação de risco S&P.

A forte desaceleração da atividade industrial e de construção por causa do surto de Covid-19 reduzirá drasticamente a demanda de aço em 2020, diz a S&P. As “siderúrgicas brasileiras estão se adaptando ao novo cenário, com alguns anunciando paralisações de capacidade e cortes de custos e investimentos para economizar dinheiro”.

O CreditWatch com implicações negativas da CSN (BOV:CSNA3) reflete a probabilidade de um rebaixamento nos próximos três meses se a CSN não puder estender os vencimentos da dívida em 2020, segundo
o relatório.

Sobre a Gerdau (BOV:GGBR4), a perspectiva negativa reflete probabilidade de rebaixamento nos próximos 12 meses após a fraca demanda de aço no Brasil e nos EUA, que fará com que a alavancagem da empresa
atinja o pico em 2020, mitigada por medidas anticíclicas e forte posição de liquidez.

Já sobre a Usiminas (BOV:USIM5), a perspectiva negativa reflete provável deterioração nas métricas de crédito, com a dívida bruta ajustada em relação ao Ebitda subindo para um pouco acima de 5 vezes no final de 2020,
passando atualmente de 3,3 vezes.

*Informações da Infomoney

GERDAU PN (BOV:GGBR4)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jul 2020 até Ago 2020 Click aqui para mais gráficos GERDAU PN.
GERDAU PN (BOV:GGBR4)
Gráfico Histórico do Ativo
De Ago 2019 até Ago 2020 Click aqui para mais gráficos GERDAU PN.