As ações da Melnick (BOV:MELK3), construtora gaúcha subsidiária da incorporadora Even, estrearam na B3 nesta segunda-feira (28) em queda, em dia de queda generalizada na B3.

Por volta das 14h41, as ações da companhia caíam 1,76%, a R$ 8,35. O Ibovespa recuava 2,35%, aos 94.718,59 pontos, reagindo ao anúncio novo programa de renda mínima para suceder o Bolsa Família e também sobre a criação de um novo imposto sobre transações financeiras para compensar a desoneração da folha de pagamentos.

“Neste momento me surgem dois sentimentos. Primeiro, de realização, décadas de trabalho intenso nos levaram até este momento e ao mesmo tempo uma motivação extrema pelo início de uma nova etapa. Esta realização foi viabilizada através da dedicação de um time de pessoas determinadas, profissionais que superam limites diariamente. Por isso, tenho a tranquilidade de iniciar este novo desafio com os mesmos valores que nos trouxeram até aqui”, disse o presidente do Conselho de Administração da Melnick, Leandro Melnick, na cerimônia que marcou o início dos negócios das ações da empresa.

A construtora gaúcha movimentou R$ 713,6 milhões em sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Os papéis foram precificados em R$ 8,50, no piso da faixa indicativa, que variava de R$ 8,50 a R$ 12,50.

O IPO foi feito por meio de ofertas primária (venda de novas ações), em que a empresa embolsou R$ 620,5 milhões, e secundária (venda de ações detidas por acionistas), em que os vendedores obtiveram R$ 93,1 milhões.

Foram oferecidas aproximadamente 84 milhões de ações na oferta, sendo 73 milhões na primária e 10,95 milhões na secundária, em que foram vendedores a própria Even e a Melnick.

A empresa divulgou os planos de listagem de ações na B3 em julho. Ela é a 17ª empresa a realizar IPO em 2020.