O Conselho de Administração da Copel aprovou o encaminhamento da proposta de reforma do Estatuto Social para deliberação da Assembleia Geral de Acionistas.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:CPLE3) (BOV:CPLE5) (BOV:CPLE6), nesta quarta-feira (20). Confira o documento na íntegra.

A proposta contempla significativos avanços em sua governança corporativa.

Entre as medidas propostas estão: desdobramento de ações na proporção de 1 para 10; possibilidade de conversão de ações na razão de 1 ON para 1 PNB (e vice-versa); formação de UNITs compostas por 5 ações de emissão da companhia, sendo 1 ON (CPLE3) e 4 PNB (CPLE6).

A proposta também inclui: adesão ao Nível 2 de Governança Corporativa da B3 que estabelece Tag along de 100% para as ações ordinárias e preferenciais, conferindo tratamento equitativo aos acionistas da companhia; o direito de voto para os acionistas preferencialistas em assuntos que tratem de transformação, incorporação, cisão ou fusão da companhia.

A migração ao nível 2 de Governança Corporativa da B3 está condicionada à realização e liquidação de oferta pública de distribuição secundária de ações ou de UNITS de titularidade do Estado do Paraná e de emissão da Companhia.

A Copel – Companhia Paranaense de Energia – gera, transmite, distribui e comercializa energia, e também no segmento de telecomunicações. A empresa é uma das maiores companhias elétricas do Brasil. Veja a análise completa com informações exclusivas!

Lucro líquido de R$ 685 milhões, alta de 19,8%

Companhia Paranaense de Energia (Copel) registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 685 milhões no terceiro trimestre, alta de 19,8% na comparação anual. 

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – atingiu R$ 1,134 bilhão, 11,1% menor que os R$ 1,2 bilhão registrado no 3T19. Esse resultado é reflexo, basicamente, da variação de R$ 280 milhões em provisões e reversões, decorrente do aumento nas provisões de litígios e da reversão de impairment dos ativos eólicos ocorrida no 3T19.