A Construtora Tenda divulgou a prévia dos resultados operacionais do primeiro trimestre de 2021.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:TEND3), nesta quinta-feira (15).

A companhia fez o lançamento de 10 empreendimentos com VGV (Valor Geral de Vendas) de R$ 610,3 milhões, alta de 269% na comparação com o 1T20. Segundo a Tenda, esse valor representa o melhor primeiro trimestre de lançamentos da companhia.

No entanto, houve queda de 31% na comparação com o 4T20.

As vendas brutas atingiram R$ 812,2 milhões, alta de +50% em relação ao 1T20 e queda de 5% em relação ao 4T20.

As vendas líquidas totalizaram R$ 703,9 milhões, alta de 60% em relação ao 1T20 e queda de 12% em relação ao 4T20.

Segundo a Tenda, trata-se do melhor primeiro trimestre em vendas brutas e vendas líquidas.

Construtora Tenda é uma das principais construtoras e incorporadoras com foco em habitação popular no Brasil.

VISÃO DO MERCADO

Guide Investimentos

A Tenda reportou o melhor primeiro trimestre da sua história em termos de lançamentos, em linha com o forte volume da MRV. Esperamos que essa tendência se mantenha nos próximos trimestres, em virtude de manutenção das obras e das lojas em funcionamento. O landbank da companhia segue robusto e avaliamos que a companhia deve ter ganho de margens com o aumento dos volumes de lançamentos. Seguimos com TEND3 sendo a nossa Top Pick para o setor de construtoras do perfil baixa renda.

XP Investimentos

Continuamos a ver a Tenda bem posicionada para entregar os guidances do ano, apesar dos desafios de curto prazo. A expectativa da companhia é de que sua nova e maior fábrica no interior de São Paulo comece a operar a partir do segundo semestre de 2021.

Além do desenvolvimento do processo construtivo, a aquisição de terrenos é fundamental para que a Tenda atinja as 10 mil unidades por ano (seu guidance de longo prazo) e maximize sua eficiência produtiva.

Assim como as outras incorporadoras de baixa renda, as margens da Tenda devem continuar a ser impactadas pelo aumento dos custos dos materiais de construção.

Como as famílias de baixa renda possuem alta sensibilidade a preços (limitando o potencial de aumento de preços), a Tenda vem estudando uso de materiais alternativos e aprimorando os processos para conter a alta dos preços de materiais de construção e acelerar o ciclo da construção, minimizando assim o impacto nas margens da companhia.

XP mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 37,20.

A Tenda pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 05 de maio.

Lucro líquido de R$ 200,3 milhões em 2020, queda de 24% refletindo efeitos da pandemia e aumentos nos custos de construção

A construtora e incorporadora Tenda registrou lucro líquido de R$ 200,3 milhões em 2020, queda de 24% na comparação com 2019. A diminuição do lucro reflete os efeitos da pandemia, que provocaram paradas temporárias das obras, com perda de produtividade. Também pesaram os aumentos nos custos de construção no período.

A margem bruta ajustada da companhia chegou a 32,2%, retração de 2,8 pontos.

A receita líquida foi de R$ 2,282 bilhões no ano, avanço de 17%, puxada pelo aumento das vendas. No ano, houve geração de caixa de R$ 70 milhões

4T20

A construtora e incorporadora Tenda obteve lucro líquido consolidado de R$ 72 milhões no quarto trimestre de 2020, recuo de 5,6% em comparação com o mesmo período de 2019.

A Tenda também apurou um prejuízo de R$ 2,7 milhões no trimestre com o seu novo negócio de construção industrializada (chamada pelo jargão de off-site), que ainda está sendo colocado de pé, sem gerar receitas.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado consolidado somou R$ 110,2 milhões no trimestre, alta de 10,3%, e R$ 330,0 milhões no ano, queda de 6,6%.

A receita líquida no 4T20 cresceu 26,3%, para R$ 685,9 milhões.

TENDA ON (BOV:TEND3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Set 2021 até Out 2021 Click aqui para mais gráficos TENDA ON.
TENDA ON (BOV:TEND3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Out 2020 até Out 2021 Click aqui para mais gráficos TENDA ON.