A Câmara dos Deputados pode votar nesta terça-feira (18) a Medida Provisória 1031/21, que cria as condições para a privatização da Eletrobras (BOV:ELET3) (BOV:ELET5) (BOV:ELET6), estatal vinculada ao Ministério de Minas e Energia que responde por 30% da energia gerada no País. A sessão do Plenário está marcada para as 15h.

O modelo de privatização prevê a emissão de novas ações a serem vendidas no mercado sem a participação da empresa, resultando na perda do controle acionário de voto mantido atualmente pela União.

Apesar de perder o controle, a União terá uma ação de classe especial (golden share) que lhe garante poder de veto em decisões da assembleia de acionistas a fim de evitar que algum deles ou um grupo de vários detenha mais de 10% do capital votante da Eletrobras.

Deputados pedem tempo para analisar relatório e votação deve ficar para amanhã; texto deve sofrer alterações

O deputado Danilo Cabral (PE), líder do PSB na Câmara, afirmou à Arko Advice, que o relatório final da MP da Eletrobras deve ser entregue hoje aos líderes e votado até amanhã, com alterações.

Inicialmente, o documento estava previsto para ser entregue na noite de ontem e votado nesta terça. No entanto, de acordo com Cabral, o relator Elmar Nascimento (DEM-BA) pediu para que o prazo fosse estendido. 

“Devemos ter acesso ao conteúdo ainda hoje, mas a votação deve ficar para amanhã; queremos tempo para analisar e discutir o relatório. É um assunto muito complexo para que nós votemos sem analisarmos. Certamente teremos alterações”, afirmou.

Eletrobras (ELET3): lucro líquido de R$ 1,6 bilhão no 1T21, alta de 31%

Eletrobras fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 1,609 bilhão, uma alta de 31% frente aos R$ 1,228 bilhão de igual período do ano passado.

Segundo a estatal, o lucro do primeiro trimestre sofreu o impacto positivo dos resultados da transmissão, em decorrência da Revisão Tarifária Periódica com efeitos a partir de julho de 2020.

O resultado da última linha do balanço poderia ser ainda melhor se não fosse pelas provisões para contingências de R$ 932 milhões, com destaque para R$ 436 milhões relativos às contingências judiciais que discutem a correção monetária de empréstimo compulsório

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,208 bilhões no período, 8% superior ao mesmo trimestre do ano anterior. A receita operacional líquida recorrente, que engloba receita do Procel, registrou alta 8% e somou R$ 8,200 bilhões na mesma base de comparação.