A equipe do banco analisa as plataformas BEES, de venda para comércio e serviços, e Zé Delivery, que entrega diretamente aos consumidores.

“Vemos a Ambev bem posicionada para continuar crescendo competitivamente, beneficiando-se de inovação nos segmentos core plus [como a Brahma Duplo Malte] e premium e da aceleração de suas plataformas D2C [direto para o consumidor]/ B2B [venda para comércio]”.

Eles avaliam que, juntas, as plataformas têm apoiado o crescimento do volume e melhorias em preço e mix, para níveis não vistos há muito tempo. Mas ponderam que os dois serviços não estão sendo avaliados corretamente pelos investidores.

“Com base em nosso modelo proprietário, estimamos que Zé Delivery e BEES podem, juntos, contribuir com cerca de 5 milhões de hectolitros para os volumes de cerveja no Brasil e atingir aproximadamente 8% das vendas de cerveja no mercado nacional em 2026.”

A equipe escreve que, com melhorias contínuas na logística, o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização da Zé Delivery vai chegar a R$ 1 bilhão com margem de cerca de 33% em cinco anos.

“Nesse ponto, embora ganhe dinheiro, não vemos o Zé ganhando margem ainda.”

O banco destaca que a gestão do atual presidente da Ambev (BOV:ABEV3), Jean Jereissati, tem mudado o perfil da companhia, que era pouco inovadora até então.

A Ambev agora é mais inovadora e fortemente focada no crescimento, em vez de na recuperação imediata das margens, de acordo com os analistas do banco.

“Esperamos que a Ambev continue usando uma abordagem mais flexível para equilibrar o crescimento do volume com iniciativas de preços, abordando assim os consumidores de menor renda, mas também sustentando seu impulso de crescimento do Ebitda, apesar da provável pressão dos custos das commodities em 2022 (mesmo que isso signifique uma recuperação mais lenta das margens daqui para frente).”

Credit Suisse mantém recomendação de compra e eleva o preço-alvo da ação de R$ 18,00 para R$ 21,50…

Lucro líquido de R$ 2,73 bilhões no 1T21, alta de 125,7%

A Ambev registrou lucro líquido de R$ 2,73 bilhões no primeiro trimestre de 2021, uma alta de 125,7% sobre o lucro líquido de RS 1,21 bilhão que registrou no mesmo período de 2020.

receita líquida foi de R$ 16,6 bilhões, alta de 32,0% nos três primeiros meses do ano sobre o resultado de um ano antes.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado do primeiro trimestre de 2021 alcançou R$ 5,32 bilhões, em alta de 25,9% sobre o Ebitda de R$ 4,23 bilhões registrado no primeiro trimestre de 2020.

AMBEV S/A ON (BOV:ABEV3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Set 2021 até Out 2021 Click aqui para mais gráficos AMBEV S/A ON.
AMBEV S/A ON (BOV:ABEV3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Out 2020 até Out 2021 Click aqui para mais gráficos AMBEV S/A ON.