A Méliuz aprovou a realização da oferta pública de distribuição primária e secundária de ações ordinárias de emissão da Companhia, todas nominativas, escriturais, sem valor nominal, livres e desembaraçadas de quaisquer ônus ou gravames.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:CASH3) nesta quarta-feira (07). Confira o comunicado na íntegra.

A Oferta Restrita consistirá na distribuição pública primária de 7.500.000 novas Ações de emissão da Companhia e secundária de, inicialmente, 6.010.645 Ações de emissão da Companhia e de titularidade de Ofli Campos Guimarães, Endeavor Catalyst II, Endeavor Catalyst II-A, Monashees e Monashees Capital Partners.

Até a data de conclusão do Procedimento de Bookbuilding, inclusive, a quantidade de ações inicialmente ofertada poderá, a critério do acionista vendedor pessoa física, de comum acordo com os coordenadores da Oferta, ser acrescida em até 50% do total de Ações inicialmente ofertado, ou seja, em até 6.755.322 ações ordinárias de emissão da Companhia e de titularidade do acionista vendedor pessoa física, nas mesmas condições e pelo mesmo preço das Ações inicialmente ofertadas, as quais serão destinadas a atender eventual excesso de demanda que venha a ser constatado no momento em que for fixado o Preço por Ação.

A cotação de fechamento das ações ordinárias de emissão da Companhia na B3, em 6 de julho de 2021, foi de R$ 55,44 por ação ordinária de emissão da Companhia, valor este meramente indicativo do Preço por Ação, podendo variar para mais ou para menos, conforme a conclusão do Procedimento de Bookbuilding.

Com base neste Preço por Ação indicativo, o montante total da Oferta Restrita, seria de R$ 749.030.158,80, sem considerar as Ações Adicionais e R$ 1.123.545.210,48, considerando a colocação da totalidade das Ações Adicionais.

A Oferta Restrita será realizada no Brasil, em mercado de balcão não organizado, sob a coordenação do BTG Pactual, Itaú BBA, do Banco Morgan Stanley e do UBS.

A Méliuz pretende divulgar os resultados do 2T21 no dia 16 de agosto.

Méliuz (CASH3): lucro líquido de R$ 3 milhões no 1T21, queda de 51,2%

Méliuz registrou lucro líquido de R$ 3,01 milhões no primeiro trimestre de 2021, queda de 51,2% do lucro na comparação anual. A companhia destacou o crescimento da base de usuários no período, estimulado por um forte crescimento em despesas.

No primeiro trimestre, a empresa registrou receita líquida de R$ 48,7 milhões, 54% acima dos R$ 31,6 milhões registrados um ano antes. Incluindo o negócio de marketplace internacional, fruto da aquisição do site polonês Picodi, a receita líquida foi de R$ 51,8 milhões, um avanço de 64% no período.

A receita líquida de serviços financeiros, considerando cartão de crédito e produtos mais recentes como cashback de notas fiscais e empréstimos foi de R$ 9,1 milhões, 6,5 vezes o resultado de R$ 1,4 milhão registrado um ano antes.

ebitda – lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização – teve queda 49%, para R$ 4,9 milhões, com margem de 9,5%, “explicado pela variação das despesas ao longo do trimestre”.

Meliuz S.A ON (BOV:CASH3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Ago 2021 até Set 2021 Click aqui para mais gráficos Meliuz S.A ON.
Meliuz S.A ON (BOV:CASH3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Set 2020 até Set 2021 Click aqui para mais gráficos Meliuz S.A ON.