A operadora de turismo CVC registrou um prejuízo líquido de R$ 145,8 milhões no quarto trimestre, revertendo lucro de R$ 392,5 milhões do quarto trimestre do ano passado.

Segundo a empresa, no quarto trimestre do ano passado, o resultado líquido foi impactado positivamente por R$ 321,3 milhões, referentes a imposto de renda e contribuição social por conta de resultado negativo de 2020.

A receita líquida teve salto de 92,9% entre outubro e dezembro, somando R$ 314 milhões na base anual. No ano, o indicador alcançou R$ 825,9 milhões, montante 32,2% acima do apurado em 2020.

Segundo a CVC, o resultado refletiu, principalmente, o maior ticket médio em viagens domésticas na alta temporada, além do incremento na demanda por viagens internacionais, sobretudo na Argentina. Já a receita anual subiu impactada pelo aumento gradual das reservas embarcadas e do ticket médio ao longo do ano.

A receita líquida no quarto trimestre cresceu 92,9% em relação ao 4T20, em virtude, principalmente, do maior tíquete médio em viagens domésticas (alta temporada), e incremento na demanda por viagens internacionais, sobretudo na Argentina, com consumidores possivelmente reagindo de forma antecipada a potenciais mudanças daquele país.

ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – foi negativo em R$ 35,4 milhões, contra resultado negativo de R$ 109,9 milhões no 4T20. Já o Ebitda ajustado somou R$ 8,9 milhões, ante resultado negativo de R$ 112,6 milhões de um ano antes.

As despesas financeiras no quarto trimestre tiveram redução de 53,0% em relação ao 4T20, influenciadas pela variação do valor justo de opções e impacto positivo de variação cambial do exercício.

As despesas gerais e administrativas cresceram 36,3% no 4T21 em comparação ao trimestre anterior por reajuste salarial decorrente de acordo sindical (‘dissídio’, em 10%, ocorrido em novembro), maiores despesas com TI e ausência da economia gerada pela redução de jornada de trabalho ocorrida no 3T21, parcialmente compensados por reversão de parte da provisão de bônus. No ano, o fortalecimento de diversas áreas, como Governança, Clientes e Tecnologia da Informação, contribuíram para o aumento de 11,3% ante 2020.

As despesas de vendas avançaram 70,7% no 4T21 frente ao 3T21 por consequência do aumento das Reservas Consumidas na Argentina e no Brasil. Em 2021, a rubrica encolheu 29,5% ante 2020 pois, ainda que Receita Líquida tenha avançado 59,6%, houve, na operação brasileira, menores despesas com marketing e reversão de Provisões para Perda, em grande parte constituídas em 2020 em função da pandemia, devido a não materialização dos riscos esperados.

A companhia encerrou o ano com dívida líquida de R$ 322,9 milhões, menor patamar dos últimos 2 anos. Em agosto, a empresa concluiu processo de capitalização com ingresso líquido de R$ 806,6 milhões de capital em 2021, destinados à amortização de debêntures e reforço do capital de giro.

Em 31 de dezembro de 2021, o total do patrimônio líquido, incluindo participação dos acionistas e não controladores foi de R$ 375,3 milhões em comparação a um saldo de R$ 57,7 milhões em 31 de dezembro de 2020.

“Este aumento decorre essencialmente da capitalização realizada em 31 de agosto de 2021 com a emissão de aproximadamente 23,8 milhões de novas ações ordinárias.”

Os resultados da CVC Brasil (BOV:CVCB3) referente suas operações do quarto trimestre de 2021 foram divulgados no dia 16/03/2022.

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

CVC BRASIL ON (BOV:CVCB3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Ago 2022 até Set 2022 Click aqui para mais gráficos CVC BRASIL ON.
CVC BRASIL ON (BOV:CVCB3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Set 2021 até Set 2022 Click aqui para mais gráficos CVC BRASIL ON.