A Energias do Brasil registrou lucro líquido de R$ 522,8 milhões no primeiro trimestre deste ano, alta de 5,4% na comparação com o mesmo trimestre de 2021.  Com ajustes, o lucro líquido da empresa somou R$ 320,7 milhões, alta de 20,4%.

A receita operacional líquida no primeiro trimestre de 2022 subiu 11,0%, para R$ 2,239 bilhões, contra os R$ 2,108 bilhões do mesmo período de 2021.

O resultado veio em decorrência de reajustes tarifários das distribuidoras, ocorridos em 2021, com efeito médio percebido pelo consumidor de 12,39% na EDP SP e de 9,75% na EDP ES.

Além disso, teve efeito do maior reconhecimento de VNR (mais R$ 46,4 milhões), resultante do aumento do IPCA de 11,3% no acumulado de 12 meses entre os períodos comparados; do efeito positivo do Mecanismo de Venda de Excedente (MVE), ocorrido em dezembro de 2021 para o ano de 2022, com preço de venda R$ 286 na EDP SP e R$ 281 na EDP ES; e do aumento de 1,3% no volume de energia distribuída, refletindo recuperação da atividade econômica no setor comercial e residencial, maior número de dias médios faturados e expansão do número de clientes.

O Ebitda – lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação –  ajustado cresceu 31,9% no trimestre, para R$ 1,064 bilhão. Sem os ajustes, a companhia registrou lucro de R$ 1,266 bilhão, alta de 20,8%. O Ebitda conforme Instrução CVM 527 ficou em R$ 1,306 bilhão, alta de 17,00% em relação ao mesmo período de 2021.

Segundo a companhia, o segmento de transmissão foi um dos destaques do período, especialmente pela conclusão do Lote 21 do leilão 005/2016, em Santa Catarina. O projeto foi concluído com seis meses de antecipação proporcionando uma Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 208 milhões, resultando em receita antecipada de R$ 143,1 milhões.

Em janeiro, a companhia iniciou a operação comercial do primeiro trecho do Lote 18, do leilão nº 005/2016, entregue com sete meses de antecedência em relação ao prazo regulatório e garantindo uma RAP de R$ 111,8 milhões.

A empresa também destacou que, em fevereiro, assumiu o controle da antiga Celg T, que passou a se chamar EDP Goiás. O novo negócio representa oportunidade de retorno aos investimentos com risco controlado. A companhia realizará um aporte de R$ 200 milhões no Estado até 2023 e já anunciou a primeira obra, em março deste ano, com a ampliação e modernização da subestação Itapaci, que receberá um investimento da ordem de R$ 50 milhões.

A empresa também destacou que, em fevereiro, assumiu o controle da antiga Celg T, que passou a se chamar EDP Goiás. O novo negócio representa oportunidade de retorno aos investimentos com risco controlado.

A companhia realizará um aporte de R$ 200 milhões no Estado até 2023 e já anunciou a primeira obra, em março deste ano, com a ampliação e modernização da subestação Itapaci, que receberá um investimento da ordem de R$ 50 milhões.

Conforme mensagem da administração da empresa escrita pelo presidente, João Marques da Cruz, “2022 é um ano ambicioso para a EDP Brasil, de foco constante na implementação da nossa estratégia e resultados”.

“Nosso foco em redes se fez presente”, disse, citando a incorporação da EDP Goiás (ex CELG-T), a entrada em operação da EDP Transmissão Aliança e EDP Transmissão SP-MG. “o investimento em Distribuição foi de 2,8 vezes a depreciação total (2,8x Capex/QRR), o que demonstra o compromisso da companhia com um serviço de qualidade, além de nos anteciparmos ao processo de liberalização do mercado energético”, disse, no documento.

A companhia finalizou o trimestre com dívida bruta de R$ 12,8 bilhões, aumento de 20,7%, desconsiderando as dívidas dos ativos não consolidados, que representaram R$ 1,3 bilhão.

Segundo mensagem do presidente da empresa, João Marques da Cruz, “2022 é um ano ambicioso para a EDPBrasil, de foco constante na implementação da nossa estratégia e resultados”.

“Nosso foco em redes se fez presente”, disse, citando a incorporação da EDP Goiás (ex CELG-T), a entrada em operação da EDP Transmissão Aliança e EDP Transmissão SP-MG. “o investimento em Distribuição foi de 2,8 vezes a depreciação total (2,8x Capex/QRR), o que demonstra o compromisso da companhia com um serviço de qualidade, além de nos anteciparmos ao processo de liberalização do mercado energético”.

Os resultados da Energias do Brasil – EDP (BOV:ENBR3) referente suas operações do primeiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 04/05/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Suno, Estadão, Reuters

ENERGIAS BR ON (BOV:ENBR3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Mai 2022 até Jun 2022 Click aqui para mais gráficos ENERGIAS BR ON.
ENERGIAS BR ON (BOV:ENBR3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jun 2021 até Jun 2022 Click aqui para mais gráficos ENERGIAS BR ON.