Acionistas da brMalls e da Aliansce Sonae aprovaram a combinação de negócios entre as companhias em assembleia extraordinária realizada nesta quarta-feira (8).

Em carta assinada por Rafael Sales, CEO da Alinasce Sonae (BOV:ALSO3) e Ruy Kameyama, CEO da brMalls (BOV:BRML3), os dois executivos destacam: “estamos certos de que esta união, assim que aprovada pelo Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, permitirá investimentos mais robustos para manter os ativos atualizados e o desenvolvimento da estratégia de negócios no ambiente “figital”, condição fundamental para a competitividade em longo prazo. Esta nova companhia será a maior plataforma de shoppings da América Latina”.

Os dois também afirmam que a nova companhia nasce avaliada pelo mercado em R$ 12 bilhões, com 69 shoppings e cerca de 13 mil lojas, que recebem aproximadamente 60 milhões de visitantes por mês.

Uma vez que as ações de emissão da brMalls apresentam liquidez e dispersão no mercado, os acionistas da brMalls dissidentes na assembleia geral extraordinária da brMalls que deliberar sobre a operação não terão direito de retirada.

Os acionistas da Aliansce Sonae também não possuem direito de retirada nos termos da Lei das S.A.

Relembre o processo que envolve brMalls e Aliansce

A primeira vez que foi noticiado que a Aliansce Sonae enviou uma proposta não vinculante de combinação de negócios ao Conselho de Administração da bRMalls Participações foi em janeiro deste ano.

Nos termos da primeira proposta, os acionistas da brMalls receberiam em R$ 1,35 bilhão em dinheiro (R$ 1,70 por ação) – o equivalente a 20% do valor de mercado da companhia atualmente – e ficariam com 50% da nova empresa, recebendo 265.013.405 novas ações ordinárias de emissão de Aliansce. Esses termos levaram a Aliansce Sonae a definir a operação como uma “fusão entre iguais”.

Posteriormente, o acordo foi fechado com os acionistas da brMalls recebendo 326,34 milhões de novas ações ordinárias da Aliansce Sonae, equivalente a 55,13%, e uma parcela em dinheiro de R$ 1,25 bilhão, correspondentes a R$ 1,509163 por ação.

VISÃO DO MERCADO

Ágora Investimentos 

O mercado deve se concentrar agora em discussões sobre potenciais sinergias, diz a Ágora Investimentos.

“Durante o processo de aquisição, a administração da Aliansce Sonae identificou inicialmente um VPL (valor presente líquido) potencial de R$ 1,4-2,5 bilhões em sinergias, embora não descartamos que a nova administração combinada ajuste este guidance à medida que o processo de integração avança”, afirma a corretora.

As ações da brMalls e da Aliansce Sonae operam sem grandes movimentações nesta quinta-feira (9).

Bradesco BBI

A aprovação pelos acionistas da fusão entre Aliansce Sonae e BR Malls é positiva, embora amplamente esperada, e o mercado agora se concentrará nas discussões sobre potenciais sinergias, de acordo com o Bradesco BBI, em relatório.

Durante o processo de aquisição, a administração da Aliansce Sonae identificou inicialmente um valor presente líquido potencial de entre R$ 1,4 bilhão e R$ 2,5 bilhões em sinergias, escrevem os analistas Bruno Mendonça e Pedro Lobato, acrescentando que a nova gestão combinada pode ajustar essa orientação à medida que o processo de integração avança.

A nova empresa nascerá com um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de cerca de R$ 1,7 bilhão, excluindo custos de sinergias e integração, dizem os analistas, implicando um múltiplo valor da empresa sobre Ebitda de nove vezes, ante 10,4 vezes do Iguatemi e 13,2 vezes da Multiplan. As ações da BR Malls estão sendo negociadas com desconto de 5,5% em relação à proposta final da Aliansce, afirmam.

Os analistas destacam ainda que ambas as empresas vão operar de forma independente até a aprovação final pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O regulador deve agora analisar o negócio e fazer suas exigências para o fechamento, o que deve levar cerca de seis meses, preveem eles.

Bradesco BBI tem recomendação de compra para as ações da Aliansce Sonae, com preço-alvo de R$ 36,00…

Bradesco BBI tem recomendação neutra para as ações da BR Malls, com preço-alvo de R$ 11,00…

Santander 

Na opinião do Santander (SANB11), a empresa resultante da fusão provavelmente precisará entregar ao menos um ativo em Uberlândia, Londrina e Vila Velha. Isso porque, em algumas cidades, existe sobreposição entre os ativos da brMalls e da Aliansce Sonae.

Apesar da probabilidade de desinvestimento, o Santander destaca que a nova companhia deve ser capaz de melhorar a resiliência do portfólio e focar seus esforços em ativos de maior qualidade.

Valuation descontado

A nova companhia seria negociada com desconto em relação aos pares, avalia o Santander, a 9,4 vezes P/AFFO (preço sobre fundos de operações ajustados) para 2023 (excluindo sinergias).

O valuation estimado representa um desconto de 11% para Multiplan (MULT3) e Iguatemi (IGTI11).

Segundo o Santander, o desconto é justo, considerando os potenciais riscos e desafios de integração pós-fusão, com maior exposição do portfólio ao cenário macro mais fraco.

Informações FinanceNews e Infomoney
BR MALLS PAR ON (BOV:BRML3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jul 2022 até Ago 2022 Click aqui para mais gráficos BR MALLS PAR ON.
BR MALLS PAR ON (BOV:BRML3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Ago 2021 até Ago 2022 Click aqui para mais gráficos BR MALLS PAR ON.