A BR Partners informou que aa agência de classificação de risco Fitch Ratings elevou o rating Nacional de Longo Prazo do banco de “A+” para “AA-”, com perspectiva estável.  A agência reforçou o sólido histórico de resultados do Banco e o sucesso em fortalecer e diversificar as fontes de receitas.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:BRBI11) nesta terça-feira (28).

As classificações dos parceiros são apoiadas por indicadores bastante acima de seus pares de capitalização, medições sólidas de rentabilidade e perfil de risco bem controlado. O volume da franquia do grupo é modesto, porém a melhoria do seu perfil financeiro tem a ajuda do seu sustento ainda mais a estabilidade de suas receitas, inclusive em momentos de volatilidade do mercado.

A estrutura atual de gestão do grupo, com maior agilidade de administração na tomada de decisões, também foi considerada na avaliação. as classificações feitas considerando bancos considerados, ainda, o perfil de captação e justiça, que, aparentemente adequados, são menos ajustados e diversificados quando comparados aos pares de seus pares.

A Fitch realizou uma avaliação interna do perfil de crédito do grupo, e considera, em sua análise, uma visão dos números da holding controladora, a BR Advisory Partners Participações SA (BR Advisory), uma vez que o modelo de negócios e o perfil financeiro do banco e das demais empresas do grupo são altamente integrados. Para isso, a Fitch utiliza a metodologia de Instituições Financeiras Não Bancárias, em complemento à critério também de bancos.

Apesar de seu porte menor, o grupo BR Partners possui forte presença no mercado doméstico, destacando-se como um dos maiores participantes nos segmentos de assessoria e estruturação de dívidas corporativas. As receitas líquidas do grupo apresentaram crescimento de 49% em 2021, atingindo BRL331 milhões.

No primeiro trimestre de 2022, a área de assessoria, onde o grupo forte expertise em operações de fusões e aquisições, representa 35,8% das receitas (47% ao longo de 2021), enquanto uma área de mercado de capitais, por meio da qual realiza a originação, estruturação e distribuição de títulos de créditos privados – não certificados de Recebíveis Imobiliários e Agrícolas (CRIs e CRAs) e, mais recentemente, emissão de debêntures – onde retém das operações – representavam 23,7% das receitas em 2022 (25% das receitas em 2021). Em menor escala, a gestão de produtos oferece produtos a sua caixa (principalmente derivativos) – grupo além de receitas relacionadas à caixa e, em menor escala, às receitas vinculadas pelo grupo de participações detidas / geridas.

O perfil de risco do BR Partners permanece bem controlado. Apesar do forte crescimento de sua base de ativos nos últimos trimestres, o grupo mantém baixas exposições a operações que carregam risco de crédito (títulos privados e operações de crédito). Nos últimos anos a BR Partners tem buscado maior diversificação, estratégia esta ampliada após a conclusão da oferta pública inicial de ações (IPO) no segundo semestre de 2021.

A partir do aumento do capital, a partir da área de mercado de capitais passou a estruturar novos produtos , principalmente debêntures, debêntures estruturadas e CRAs. Além disso, o grupo amplia sua capacidade de reter ativos originados por sua área de mercado de capitais. Entretanto, as medidas de risco, de ativos e de risco da instituição continuam bastante controladas e de risco da instituição.

O grupo BR Partners segue apresentando medições sólidas de rentabilidade. Em março de 20 operacional22, o índice operacional / Líquido resultado médio consolidado se situava nos últimos 35,6% patrimônio médio de 36,2% nos quatro anos ponderados, enquanto o banco reportou em 2021 ativos ativos índice de resultado / risco de risco de 3,2%, média de 2,9% nos últimos quatro anos. A agência espera que os resultados do banco se beneficiem a prazo, dada a estratégia de maior limite dos clientes, bem como em função dos volumes de operação de operação junto ao grupo de regulação, após o aumento de operação do grupo capital.

Apesar do forte crescimento de sua base de créditos ativos nos últimos trimestres, o grupo ainda mantém baixa exposição a operações que carregam risco de crédito (títulos privados e operações de crédito), ou que se traduz em baixa alavancagem consolidada, com ampla margem nos índices regulatórios reportados pelo banco.

Em março de 2022, esses ativos totalizam BRL872 milhões ou 1,15 vez o patrimônio líquido (PL) do grupo (1,4 vez para o banco), de BRL667 milhões, ou 0,9 vez o PL (1,1 vez) ). No mesmo período, o índice ativo tangível /capital tangível consolidado se elevou para 5,5 vezes, de 4,0 vezes em 2021. Em março de 2022, o banco reporta índice de capital regulatório (nível I e ​​total) de altos 28, 8%, ante 34,5% ao final de 2021.

De modo a fazer frente ao forte crescimento de suas operações originadas retidas em seu balanço, o BR Partners tem buscado o prazo para expandir sua estrutura de captação, com uma estratégia de buscar diversificação e gestão de ativos ativos e melhor passivos, ou alongamento do prazo de seus ativos.

O capta das últimas meses de crescimentos – indicadores de crescimento de 200% nos meses combinados ao crescimento dos crescimentos 200% consolidados ao seu porte e estratégia. O grupo reportou o índice de liquidez / passivos de curto prazo de 84,8% em março de 2022, de 97% em 2021, posição de caixa de BRL650 milhões, ou 0,6 vez a sua captação total em março de 2022.

BR PARTNERS UNT N2 (BOV:BRBI11)
Gráfico Histórico do Ativo
De Set 2022 até Out 2022 Click aqui para mais gráficos BR PARTNERS UNT N2.
BR PARTNERS UNT N2 (BOV:BRBI11)
Gráfico Histórico do Ativo
De Out 2021 até Out 2022 Click aqui para mais gráficos BR PARTNERS UNT N2.