A Isa CTEEP registrou lucro líquido de R$ 386,7 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), cifra 105,7% maior do que a reportada na mesma etapa de 2021, informou a companhia elétrica nesta quinta-feira (27). No acumulado do ano até setembro, o lucro regulatório da empresa somou R$ 573,3 milhões, queda de 23,0%.

A receita líquida somou R$ 919,3 milhões no terceiro trimestre deste ano, crescimento de 21,2% na comparação com igual etapa de 2021.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – totalizou R$ 743,3 milhões no 3T22, um crescimento de 31,5% em relação ao 3T21. O consenso Refinitiv projetava número de R$ 636,5 milhões. A margem Ebitda ajustada atingiu 80,9% entre julho e setembro, alta de 6,3 pontos percentuais (p.p.) frente a margem registrada em 3T21.

O desempenho é explicado pela atualização da Receita Anual Permitida (RAP) pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), pela recomposição parcial da Rede Básica do Serviço Existente (RBSE), após o reperfilamento do componente financeiro, e pela entrada em operação de projetos de reforços e melhorias e de novos empreendimento (greenfield), com destaque para Interligação Elétrica Paraguaçu e a Interligação Elétrica Biguaçu, que energizaram neste trimestre.

A Companhia registrou despesa de R$ 105,7 milhões com Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido no 3T22, com alíquota efetiva de 20,8%, frente a despesa de R$ 71,2 milhões contabilizada no 3T21. O aumento devese ao melhor resultado operacional do período. Nos 9M22 o valor contabilizado foi de R$ 167,6 milhões, 45,7% menor do registrado nos 9M21. A variação do IRPJ/CSLL está em linha com as variações do resultado.

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) atingiu 9,6% no trimestre, queda 5,3 pontos percentuais com relação ao mesmo trimestre de 2021.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 125,4 milhões no terceiro trimestre de 2022, uma redução de 21,5% sobre a mesma etapa de 2021.

O resultado da equivalência patrimonial foi positivo em R$ 54,8 milhões no 3T22, R$ 53,0 milhões maior que o registrado no 3T21, principalmente pelo aumento da receita bruta das empresas operacionais devido ao reajuste da RAP ciclo 2022/2023; redução das despesas financeiras em função da desaceleração do IPCA, que é responsável pela indexação de 67% das dívidas dessas empresas e entrada em operação dos projetos Paraguaçu e Aimorés.

O PMSO (gerenciável), foi de R$ 143,6 milhões no 3T22, um aumento de 2,4% frente ao 3T21. Já para os 9M22, o montante foi de R$ 435,8 milhões, aumento de 6,5%, comparado ao mesmo período do ano anterior. Dessa forma, o aumento dos custos, manteve-se abaixo da inflação (IPCA) acumulado do período, que foi de 7,2%.

A ISA CTEEP registrou R$ 20,5 milhões em Outras Despesas Operacionais no 3T22 (-47,4% vs 3T21). Os saldos são compostos principalmente pela realização da mais valia (goodwill) referente a aquisição de controle das empresas PBTE e SF energia, incorporadas pela ISA CTEEP em outubro de 2021. A mais valia está sendo amortizada no prazo remanescente da concessão da PBTE, até setembro de 2046.

No 3T22, o IENS¹² da Companhia totalizou 0,000113% vs. 0,000158% no 3T21, e um IENS acumulado de 0,0003%. Como referência, o Sistema Interligado Nacional (SIN), registrou 0,0023%³.”

⇒ Investimentos e dívida

Foram realizados R$ 257,8 milhões de investimentos em empreendimentos licitados em leilões de transmissão, redução de R$ 35,4 milhões (-12,1%) em relação ao 3T21. Nos últimos 3 anos o investimento nesses projetos apresentou CAGR de 27% e os investimentos realizados nos 9M22 representaram 86% do total realizado em todo ano de 2021.

A energização de 6 projetos prevista para 2022 adicionará R$ 270 milhões à RAP (ciclo tarifário 2022/2023) da Companhia, proporcional à sua participação nos projetos. Nos 9M22 foram energizados 4 projetos com RAP proporcional de R$ 86,5 milhões.

Outra via importante de crescimento da ISA CTEEP é o investimento em projetos de reforços e melhorias que, nos últimos 3 anos, apresentou montante médio anual de R$ 240 milhões com RAP média associada média de R$ 50 milhões. É importante ressaltar que estes valores representam uma média, pois dependem de Resoluções Autorizativas da ANEEL, e podem não ser lineares, pois também estão sujeitos à RTP.

Destaca-se ainda a via de crescimento por meio de aquisições (M&A), como foi o caso da compra da PBTE em 2021. A Companhia segue analisando oportunidades de aquisições que possam gerar valor de forma sustentável. A ISA CTEEP, suas empresas controladas e empresas com controle compartilhado investiram R$ 470,9 milhões no 3T22, aumento de R$ 71,4 milhões, ou 17,9%, em relação ao 3T21.

Essa variação é explicada pelo maior volume de autorizações de reforços para modernização e ampliação da capacidade de ativos da Companhia (+R$ 106,6 milhões).

Em 30 de setembro de 2022, a dívida bruta da Companhia, atingiu o montante de R$ 8.120,0 milhões, aumento de R$ 760,3 milhões (+10,3%) versus saldo em 31 de dezembro de 2021, principalmente devido a captações junto ao BNDES de R$ 237 milhões e da 12ª emissão de debentures de R$ 700 milhões no 2T22, e aumento nos indicadores macroeconômicos aos quais os passivos estão indexados, principalmente o IPCA e o CDI.

A ISA CTEEP e empresas 100% apresentaram aumento de R$ 151,9 milhões (21,6%) nas disponibilidades no 3T22, que contribui para equilíbrio da dívida liquida, as captações executadas no período buscam recompor o caixa frente aos crescentes investimentos e dívidas vincendas no período.

Ao excluir as disponibilidades das empresas não consolidadas, a dívida líquida da Companhia atingiu R$ 7.265,4 milhões em setembro de 2022 vs R$ 6.656,9 milhões em dezembro de 2021 (+9,1%). O índice de alavancagem gerencial Dívida Líquida/EBITDA é de 3,11x.

Os resultados da Isa Cteep (BOV:TRPL3) (BOV:TRPL4) referentes suas operações do terceiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 27/10/2022. Confira o Press Release completo!

Teleconferência

A ISA CTEEP registrou um lucro líquido de R$ 386,7 milhões no terceiro trimestre de 2022, uma alta de 106% no comparativo com o mesmo período de 2021. Já no acumulado dos primeiros nove meses do ano, o lucro líquido da companhia ficou em R$ 573,3 milhões, um recuo de 23% em relação aos meses de janeiro a setembro do ano passado.

De acordo com a diretora executiva de finanças e relações com investidores da ISA CTEEP, Carisa Cristal, os resultados financeiros tiveram uma evolução importante, principalmente, pelo incremento da receita devido ao reajuste de ciclo da receita anual permitida (RAP), com atualização monetária pelo IPCA do período e a recomposição parcial do componente financeiro da receita básica sistema existente (RBSE), além da entrada em operação de novos projetos. Ainda, houve uma importante redução das despesas financeiras, devido ao arrefecimento do IPCA no último trimestre.

A receita operacional líquida da companhia ficou em R$ 919,3 milhões no trimestre, um alta de 21,2% em relação ao mesmo período de 2021. Já no acumulado de janeiro a setembro, foi de R$ 2,3 bilhões, 1,5% menor no comparativo com o mesmo período do ano passado.

Por outro lado, o EBITDA do terceiro trimestre totalizou R$ 743,3 milhões, um incremento de 31,5% ante o mesmo período de 2021. Já o registrado no acumulado dos nove meses foi de R$ 1,8 bilhão, 3,4% menor, se comparado ao exercício anterior.

O diretor-presidente da ISA CTEEP, Rui Chammas, declarou durante teleconferência com investidores realizada nesta sexta-feira, 28 de outubro, que não percebe nenhum risco no negócio de transmissão com o crescimento da energia solar no Brasil. “O aumento de energias renováveis intermitentes traz oportunidade para transmissão de energia. Não haverá transição se não for extremamente robusta. O crescimento da solar e eólica não vai prejudicas as receitas da empresa”, destacou o executivo.

De olho nessas mudanças, a companhia planeja entregar o primeiro projeto de armazenamento de energia em baterias em larga escala do sistema de transmissão brasileiro, até o fim deste ano. A diretora executiva de estratégia e desenvolvimento de negócios, Silvia Diniz Wada, afirmou que tem acompanhado a evolução do setor e entende que ainda existe muito espaço para crescimento.

“Temos um planejamento de expansão que prevê mais de R$ 50 bilhões em investimentos só nos próximos dois anos, valor esse a ser licitado em leilões de transmissão, segundo EPE em conjunto com a Aneel. Estamos atentos às mudanças nos setores de energia que são decorrentes da própria transição energética, com o aumento das energias renováveis e isso vai mudando o perfil da nossa rede e traz outras oportunidades de crescimento e não necessariamente geração, mas, por exemplo, quando a gente fala de novas tecnologias já temos o projeto de armazenamento e vemos ele como se fosse um reforço para a transmissão e ele está nos proporcionando um grande aprendizado em termos de tecnologia. Pretendemos expandir a operação desse ativo também para outros usos”, explicou Silvia.

Diante deste cenário, a ISA CTEEP registrou investimentos de R$ 471 milhões no terceiro trimestre do ano, um aumento de 18% em relação ao mesmo período de 2021. Destaque para reforços e melhorias de ativos existentes, para os quais foram destinados R$ 213 milhões, um aumento de mais de 100% em relação ao exercício anterior.

Já com relação aos novos empreendimentos arrematados em leilão (greenfield), os investimentos do terceiro trimestre foram de R$ 257,8 milhões, uma redução de 12% em relação ao mesmo período de 2021, tendo em vista que, neste ano, a Companhia entregou quatro projetos e está na fase final de construção do empreendimento Ivaí. No entanto, nos últimos três anos, o aporte nesses projetos apresentou crescimento anual composto de 27% e o acumulado dos nove meses de 2022 representa um aumento de 86% do total realizado no exercício anterior.

Foram concluídos projetos relevantes, como a Interligação Elétrica Paraguaçu (BA e MG), construída em parceria com a TAESA; e a Interligação Elétrica Biguaçu (SC), entregue com antecedência de mais de um ano em relação ao prazo do regulador. Em 2022, já foram energizados quatro projetos, que incrementam R$ 175,4 milhões à RAP (ciclo tarifário 2022/2023) da Companhia. Outros dois projetos – Ivaí (PR) e Itaúnas (ES) – estão em fase avançada de obra e, juntos, representarão uma adição de R$ 244,2 milhões à RAP da ISA CTEEP.

Segundo Rui Chammas, a entrega de projetos greenfield é uma importante via de crescimento da companhia, pois traz um adicional relevante para a receita. “Nesse sentido, já estamos avaliando os lotes do leilão de dezembro”, afirmou.

Para finalizar, nos primeiros nove meses do ano, os investimentos totalizaram R$ 972,8 milhões, o que representa novo recorde histórico anual da empresa.

VISÃO DO MERCADO

BB Investimentos

Consideramos positivo dado o crescimento em andamento, com bom controle de custos, apesar do impacto negativo da deflação apurada no trimestre sobre o resultado em IFRS. Com a base de comparação estabilizada após o novo fluxo de recebimento de RBSE iniciar seu segundo ano, há maior clareza do desempenho da companhia na contabilidade regulatória.

Aproveitamos para atualizar a avaliação da companhia, e apresentamos nosso novo preço alvo, para dezembro de 2023, de R$ 34,00 para as ações TRPL4 (anteriormente em R$ 32,30) e mantemos nossa recomendação de Compra, amparados na tese de investimento de crescimento rentável e alto retorno via dividendos, permitidos pela grande previsibilidade do segmento de transmissão de energia elétrica.

Atualizamos nossa avaliação da companhia alterando a data de referência para desconto dos fluxos de caixa e preço-alvo, de dezembro de 2022 para dezembro de 2023 e os novos valores das RAPs do ciclo 2022/2023 que passaram a ser recebidos a partir de julho de 2022.

Incluímos os novos ativos licitados no último leilão de transmissão, ocorrido em junho de 2022, IE Piraquê e IE Jaguar 8, que agregarão RAP de R$ 286 milhões e R$ 13 milhões respectivamente, após a entrada em operação. Assumimos um ganho de eficiência no custo de construção de 25% sobre o orçado no edital do Leilão. Atualizamos também as premissas macroeconômicas e estimativas para o custo de capital, levando a taxa de desconto (WACC) dos fluxos de caixa projetados a valor presente de 9,3% para 9,7%.

BB Investimentos tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 34,00…

Mirae

Apesar de menor impacto de despesas financeiras líquidas, que declinaram de R$160 milhões para R$ 125 milhões, a queda de receitas e aumento dos custos resultou em queda de lucro líquido, que caiu de R$ 723 milhões para R$ 476 milhões (3T22), queda de 34%

A CTEEP reportou o resultado do 3T22 pelo IFRS com receita bruta de R$1.394 milhões (queda de 18%, 3T22/ 3T21), EBITDA de R$ 749 milhões (queda de 34% na comparação 3T22/ 3T21), e lucro líquido de R$ 476 milhões (-34%). Nos resultados regulatórios, a empresa reportou aumento de EBITDA, que atingiu R$ 743 milhões (+31,5%, 3T22/3T21). Acreditamos que o resultado do 3T22 reportado terá reflexo neutro sobre as ações TRPL4.

Mirae tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 26,60…

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

ISA CTEEP PN (BOV:TRPL4)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jan 2023 até Fev 2023 Click aqui para mais gráficos ISA CTEEP PN.
ISA CTEEP PN (BOV:TRPL4)
Gráfico Histórico do Ativo
De Fev 2022 até Fev 2023 Click aqui para mais gráficos ISA CTEEP PN.