JBS, companhia da família Batista, encerrou o terceiro trimestre de 2022 com lucro líquido de R$ 4,013 bilhões, ou R$ 1,81 por ação, um recuo de 47,1% ante o lucro líquido de R$ 7,586 bilhões verificado em igual período de 2021, informou a empresa.

A receita líquida da empresa de alimentos foi de R$ 98,928 bilhões, com alta de 6,8% na comparação anual e de 7,3%, na trimestral.

No período, cerca de 72% das vendas globais da JBS foram realizadas nos mercados domésticos em que a Companhia atua e 28% por meio de exportações. Nos últimos 12 meses, a receita líquida atingiu o recorde de R$379,2 bilhões (US$72,4 bilhões).

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização –  ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) passou de R$ 13,929 bilhões para R$ 9,545 bilhões, queda de 31,5%. A margem Ebitda ficou em 8,7% no terceiro trimestre deste ano ante 15% reportada em igual período do ano passado.

Nos nove primeiros meses do ano, o faturamento global da Companhia chegou a R$ 281,9 bilhões. Essa resiliência se mostra mesmo diante de um cenário globalmente desafiador, com redução de demanda em importantes regiões como consequência da menor renda disponível, impactada pela alta da inflação.

“Os nossos negócios de aves no Brasil e EUA superaram as expectativas com forte crescimento das exportações para a Ásia e o Oriente Médio, com ênfase na conveniência e no fortalecimento do relacionamento com os principais clientes em cada mercado. À medida que o negócio bovino dos EUA caminha para a normalização da margem, acreditamos num fortalecimento do segmento nos mercados brasileiro e australiano”, afirma Tomazoni.

O fluxo de caixa operacional foi de R$ 7 bilhões, 35,1% a menos do que igual trimestre do ano passado. Segundo comunicado da JBS, o resultado se deve principalmente ao menor Ebitda no período da JBS Beef North America, “conforme esperado”. Com isso, o fluxo de caixa livre, após adição de ativo imobilizado, juros pagos e recebidos, foi de R$3,2 bilhões no trimestre. O resultado financeiro líquido da empresa ficou negativo em R$ 1,496 bilhão, contra um resultado negativo de R$ 1,108 bilhão no terceiro trimestre de 2021.

Segundo a companhia, a linha de adição de ativos imobilizados (Capex) somou R$ 3 bilhões no período, alta de 14,9% ante 3tri21, sendo R$1,5 bilhão para Capex de expansão e R$ 1,5 bilhão Capex de manutenção. Em entrevista coletiva sobre os resultados, o CFO e relações com Investidores na JBS, Guilherme Cavalcanti, anunciou dividendos intercalares no valor de R$ 2,2 bilhões, o que representa R$1 por ação, que será realizado em novembro de 2022. A empresa informou, ainda, que o retorno do patrimônio líquido (ROE) foi de 40% nos últimos doze meses encerrados no 3T22 e o retorno sobre o capital investido (ROIC) foi de 22% no mesmo período.

Por unidade de negócio, o líder com o maior Ebitda ajustado foi da Pilgrim’s Pride, com alta de 25,1% (para R$ 3 bilhões), seguido pela JBS USA North América, com queda de 67,5% (para R$ 2,5 bilhões). Na sequência, consta a Seara, com incremento de 80,9% no Ebitda ajustado (para R$ 1,8 bilhão), e a JBS USA Pork, com recuo de 15,6% (para R$ 999,2 milhões). O Ebitda ajustado da JBS Austrália, por sua vez, recuou 23,8% (para R$ 493,4 milhões) ante o terceiro trimestre de 2021.

No terceiro trimestre do ano, a Seara teve receita líquida 10,2% maior do que em igual período do ano anterior, para R$ 11,767 bilhões. As vendas no mercado doméstico, que responderam por aproximadamente 45% da receita da unidade no período, totalizaram R$5,4 bilhões, 8,7% maior que no 3T21. O principal destaque foi a categoria de alimentos preparados com aumento de 11% nos preços, enquanto os volumes permaneceram estáveis em relação ao terceiro trimestre de 2021.

A JBS Brasil registrou receita líquida de R$ 16,240 bilhões no terceiro trimestre deste ano, aumento de 15,1% ante igual período do ano passado. No mercado doméstico, a venda na categoria de carne bovina in natura cresceu 4,3% na comparação anual. Houve queda de 1,3% dos preços médios, mas o crescimento da receita é explicado pelos maiores volumes vendidos (+5,6%).

No mercado externo, a receita líquida em dólares subiu 12% quando comparado ao 3T21, em função principalmente do crescimento de 4,4% no volume e de 7,3% no preço médio de venda de carne bovina in natura. “A China continuou sendo o principal destino e reportou crescimento de volumes e preços”, disse a empresa.

Enquanto a JBS Beef reportou receita líquida 7,3% maior em reais no terceiro trimestre deste ano, para R$ 29,155 bilhões, com margem Ebitda de 17,2%. Em dólares, o incremento da receita foi de 0,6% para US$ 5,554 bilhões. No trimestre, as margens de carne bovina na América do Norte “sofreram impacto relevante em relação ao ano anterior, dada a uma aceleração, não surpreendente, das mudanças nas condições de mercado”, segundo a JBS.

A JBS Austrália teve receita líquida no terceiro trimestre de 2022 de R$8,7 bilhões, alta de 19,5% em um ano, com um Ebitda ajustado de R$ 493,4 milhões e uma margem Ebitda ajustada de 5,6%. Esses resultados incluem também o impacto da depreciação de 0,4% do câmbio médio (real vs. dólar), que passou de R$ 5,23 para R$ 5,25 entre os trimestres.

Já a receita líquida da JBS USA Pork avançou 7,4% em reais para R$ 11,154 bilhões no terceiro trimestre do ano, com margem Ebitda de 9,0%. Os resultados da operação, na comparação anual, tiveram efeitos pelo aumento do custo dado a menor disponibilidade de animais vivos, assim como o aumento de aproximadamente 40% dos custos dos grãos e também dos maiores custos com mão de obra e logística. Por outro lado, a demanda sustentou os preços em níveis elevados.

A Pilgrim’s Pride apresentou receita líquida no terceiro trimestre deste ano 17,2% superior em reais ante igual período do ano passado, a R$ 23,441 bilhões. Em dólar, a receita líquida da unidade foi de US$ 4,469 bilhões, queda de 3,5%. Segundo a JBS, nos Estados Unidos, apesar da volatilidade significativa no negócio “mais commoditizado de big birds”, a rentabilidade deste negócio continuou resiliente e acima do ano passado. “No canal de varejo a demanda continua forte e o consumo de frango cresce frente às outras proteínas. No canal de food service as vendas cresceram tanto em volumes quanto em preços”, apontou a empresa.

A dívida líquida da companhia somou R$ 78,262 bilhões no terceiro trimestre deste ano, aumento de 0,2% em relação ao reportado em igual trimestre de 2021, de R$ 61,028 bilhões. Em dólares, a dívida líquida recuou 2,9%, de US$ 11,220 bilhões para US$ 14,475 bilhões. Já a alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, ficou em 1,81 vez em reais e 1,76 vez em dólares no terceiro trimestre, contra 1,52 vez e 1,49 vez, respectivamente. Na comparação com o índice do trimestre anterior, o segundo de 2022, a alavancagem subiu em reais e em dólares, já que no período estava em 1,64 vez em reais e em 1,65 vez em dólares.

A linha de adição de ativos imobilizados (Capex) somou R$ 3 bilhões no período, alta de 14,9% ante 3tri21, sendo R$1,5 bilhão para Capex de expansão e R$ 1,5 bilhão Capex de manutenção. Em entrevista coletiva sobre os resultados, o CFO e relações com Investidores na JBS, Guilherme Cavalcanti, anunciou dividendos intercalares no valor de R$ 2,2 bilhões, o que representa R$1 por ação, que será realizado em novembro de 2022. A empresa informou, ainda, que o retorno do patrimônio líquido (ROE) foi de 40% nos últimos doze meses encerrados no 3T22 e o retorno sobre o capital investido (ROIC) foi de 22% no mesmo período.

Os resultados da JBS (BOV:JBSS3) referentes suas operações do terceiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 10/11/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão

JBS ON (BOV:JBSS3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Dez 2022 até Jan 2023 Click aqui para mais gráficos JBS ON.
JBS ON (BOV:JBSS3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jan 2022 até Jan 2023 Click aqui para mais gráficos JBS ON.