A empresa 123Milhas protocolou um pedido de recuperação judicial no Tribunal de Justiça de Minas Gerais na véspera.

Com isso, as ações da CVC fecharam na terça-feira em alta de 6,36% a R$ 2,34. Mas, no mês de agosto, os papéis acumulam queda de 20%.

A avaliação de analistas do mercado é que a situação delicada da concorrente no setor de turismo pode abrir mais espaço para a CVC (BOV:CVCB3) no setor.

No dia 18 de agosto, a 123Milhas suspendeu a emissão de passagens para embarques previstos entre setembro e dezembro deste ano, por “motivos alheios à sua vontade”.

Segundo a empresa, a recuperação judicial tem como objetivo assegurar o cumprimento dos compromissos assumidos com clientes, ex-colaboradores e fornecedores.

“A recuperação judicial permitirá concentrar em um só juízo todos os valores devidos. A empresa avalia que, desta forma, chegará mais rápido a soluções com todos os credores para, progressivamente, reequilibrar sua situação financeira”, informou em nota.

A Defensoria Pública de Minas Gerais entrou com uma ação civil pública contra a 123Milhas Viagens e Turismo e sua sócia Novum Investimentos Participações, pedindo que a empresa faça a emissão das passagens aéreas contratadas ou que indenize os consumidores lesados pela suspensão de serviços. A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) também notificou a empresa para prestar os esclarecimentos.

VISÃO DO MERCADO

Após uma alta de 6,36% na sessão da véspera em meio ao pedido de recuperação judicial da 123Milhas, as ações da CVC voltam a ter uma sessão de forte alta nesta quarta-feira (30). Às 11h33 (horário de Brasília), os papéis subiam 15,4%, a R$ 2,71, para depois entrarem em leilão.


Gráficos GRATUITOS na br.advfn.com

“Os clientes existem, estão querendo viajar, a demanda não diminui só porque uma empresa deixou de operar. Talvez essa demanda ou parte dela migre para CVC. E não só 123Milhas, mas talvez o mercado de venda de pacotes em data futura ficou um pouco balançado. Já o modelo tradicional de agência de viagem pode se sobressair nesse contexto, com uma leitura de que o modelo de negócios da 123Milhas não é sustentável e o modelo de CVC já é mais garantido”, avaliou Guilherme Ammirabile, assessor na iHUB Investimentos.

Danielle Lopes, sócia e analista de ações da Nord Research, aponta que, apesar da CVC ter passado por momentos bastante ruins de estrutura de capital, ter que fazer emissão e ficar bastante alavancada, a competição era um fator importante nesta equação.

“A CVC tinha bastante dificuldade de operar online, tinha muito mais lojas físicas. Além disso, também com a pandemia, seus custos ficaram muito altos, tendo a partir daí uma mudança significativa de digitalização do setor. Todo mundo foi para online e essas novas empresas de agência de turismo passaram a roubar o mercado da CVC muito mais rápido do que ela conseguiu se digitalizar”, avalia Danielle.

Na visão da analista, agora passa a haver um movimento contrário, uma vez que a força de uma marca passa a ter muito mais peso do que somente o objetivo de economizar com viagens.

Já Gustavo Cruz, estrategista da RB Investimentos, avalia que outras companhias podem se destacar nesse cenário. “Parece que tem outros players menores que estavam com uma situação financeira boa. Esses sim, com 123 milhas e Hurb fora, vão cada vez mais ganhar protagonismo”, avalia.

Ainda no radar da companhia de turismo, a CVC informou na noite de terça-feira um programa de recompra de debêntures de R$ 75 milhões (4ª e 5ª emissões).

O motivo da recompra da dívida está relacionado às condições do contrato de debêntures, que exige que a empresa a recompre em caso de aumento de capital acima de R$ 125 milhões.

Os debenturistas que desejarem vender suas dívidas deverão se manifestar até 15 de setembro, enquanto a transação deverá ser concluída em 22 de setembro.

Para o Bradesco BBI, a recompra da dívida da empresa era amplamente esperada e comunicada ao mercado após o aumento de capital de R$ 550 milhões em 15 de junho de 2023. Como tal, avaliou este evento como tendo um efeito neutro. “Seguimos com a recomendação apenas neutra e o preço-alvo de R$ 3,00 para o final de 2024”, avaliaram os analistas.

Informações Financenews
CVC BRASIL ON (BOV:CVCB3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jun 2024 até Jul 2024 Click aqui para mais gráficos CVC BRASIL ON.
CVC BRASIL ON (BOV:CVCB3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jul 2023 até Jul 2024 Click aqui para mais gráficos CVC BRASIL ON.