O Banco do Brasil deu o pontapé a uma nova estrada de emissões no universo das finanças sustentáveis. O conglomerado público acaba de levantar US$ 100 milhões junto ao banco de investimento francês Natixis Corporate & Investment Banking em uma captação internacional denominada ‘Triple Sustainable Repo’, a primeira desse perfil no mundo.

De acordo com o BB (BOV:BBAS3), a operação é considerada inédita por reunir em uma única emissão três elementos sustentáveis. O primeiro deles é a destinação dos recursos, que serão usados ao refinanciamento da carteira de crédito sustentável do banco, em especial, projetos de moradia social.

O segundo é o compromisso público do conglomerado com metas ESG – boas práticas e ações relacionadas ao meio ambiente, sociais e de governança, sigla que também pode ser usada em português como ASG (Ambiente, Social e Governança).

O terceiro e último é o fato de que a operação contou com a garantia dos títulos verdes do Tesouro Nacional, emitidos em novembro do ano passado, o que eleva a segurança para o investidor, neste caso, o francês Natixis CIB, e ainda chancela o compromisso do BB com práticas sustentáveis.

De acordo com o vice-presidente de Negócios de Governo e Sustentabilidade Empresarial do Banco do Brasil, José Ricardo Sasseron, a emissão vai ajudar a apoiar a agenda verde dos clientes. A operação foi feita a um custo atrativo, segundo ele, considerando as práticas de mercado. O banco não abre, porém, a taxa por se tratar de uma operação bilateral. “Essa precificação diferenciada a partir da transação inovadora destaca como a inclusão de critérios ASG pode mitigar riscos financeiros, sociais e climáticos, tornando os ativos ainda mais atrativos”, diz Sasseron, em nota ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

“Além do ineditismo e do custo atrativo, essa transação reforça a importância do Brasil para o mercado global de finanças sustentáveis, colocando o BB em destaque e liderança dessa agenda, com apoio de um parceiro internacional, como o banco Natixis CIB nesta oportunidade”, acrescenta o diretor da Tesouraria Global do BB, Daniel Bogado.

Além de investidor, o francês Natixis CIB atuou ainda como coordenador de sustentabilidade da operação.

Da parte do BB, a operação também inaugura o novo Framework de Dívidas Vinculadas à Sustentabilidade do banco, atualizado em fevereiro último. Trata-se do arcabouço de regras para guiar as emissões da instituição, no qual o banco se comprometeu em elevar os seus investimentos em negócios sustentáveis a R$ 320 bilhões até 2030. No fim do ano passado, a cifra estava em R$ 207 bilhões.

O mercado de dívidas sustentáveis global deve quebrar a marca inédita de US$ 1 trilhão neste ano, projeta a S&P Global Ratings, em relatório recente. A expectativa da classificadora é de que as operações da América Latina alcancem entre US$ 45 bilhões e US$ 55 bilhões ao longo de 2024, com o Brasil, o Chile e o México permanecendo na posição de líderes, e, em especial, as emissões com critérios de sustentabilidade e ainda os chamados ‘sustainability-linked bonds’ (SLB), nos quais as empresas se comprometem com práticas sustentáveis concretas em seus negócios, a exemplo da operação feita pelo BB com o francês Natixis CIB.

Informações Broadcast
BANCO DO BRASIL ON (BOV:BBAS3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jun 2024 até Jul 2024 Click aqui para mais gráficos BANCO DO BRASIL ON.
BANCO DO BRASIL ON (BOV:BBAS3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jul 2023 até Jul 2024 Click aqui para mais gráficos BANCO DO BRASIL ON.