ADVFN Logo

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Registration Strip Icon for alerts Cadastre-se para alertas em tempo real, use o simulador personalizado e observe os movimentos do mercado.

IPP em Agosto de 2017

De acordo com o Índice de Preços ao Produtor (IPP), em agosto de 2017, os preços praticados pelas indústrias extrativas e de transformação no país subiram, em média, 0,31% quando comparados ao mês anterior – oscilação mensal 1,32% superior à taxa negativa de 1,01% (dado revisado) registrada em julho. Em agosto de 2016, o índice caiu 0,25%. No ano, após oito meses, o IPP acumula uma queda de 0,99%. No acumulado dos últimos doze meses (período entre setembro de 2016 e agosto de 2017), o indicador subiu 1,66%, contra 1,11% (dado revisado) aferido no mês anterior.

IPP Variação Mensal (%) Acumulado Ano (%) Variação Anual (%) Ponderação Mês (%)
JUL AGO JUL AGO JUL AGO JUL AGO
Indústria Geral -1,01 0,31 -1,29 -0,99 1,09 1,66 100,00 100,00
   Indústrias Extrativas -0,06 0,19 -0,62 -0,43 0,34 0,42 3,07 3,25
   Indústrias de Transformação -0,95 0,12 -0,68 -0,56 0,75 1,24 96,93 96,75
     Fabricação de produtos alimentícios -0,43 -0,33 -1,40 -1,73 -1,23 -1,41 20,91 20,54
     Fabricação de bebidas 0,00 0,06 -0,10 -0,04 0,12 0,17 3,16 3,21
     Fabricação de produtos do fumo -0,02 -0,01 -0,02 -0,03 0,00 0,01 1,00 0,98
     Fabricação de produtos têxteis 0,00 0,02 0,01 0,03 0,05 0,06 2,18 2,19
     Confecção de artigos do vestuário e acessórios 0,00 0,00 -0,01 -0,01 -0,04 -0,02 1,04 1,04
     Preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados 0,00 0,00 0,00 -0,01 0,01 0,02 1,75 1,75
     Fabricação de produtos de madeira -0,01 0,00 0,02 0,01 0,02 0,02 1,03 1,02
     Fabricação de celulose, papel e produtos de papel -0,02 0,02 0,17 0,19 0,16 0,23 3,82 3,83
     Impressão e reprodução de gravações -0,01 0,00 -0,01 -0,01 -0,01 -0,01 0,46 0,47
     Fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis -0,14 0,64 -0,32 0,31 -0,08 0,64 10,16 10,80
     Fabricação de sabões, detergentes, produtos de limpeza e artigos de perfumaria -0,03 0,05 -0,04 0,01 0,01 0,05 1,53 1,58
     Fabricação de outros produtos químicos -0,14 -0,20 0,14 -0,05 -0,02 0,04 9,78 9,57
     Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos 0,00 0,01 0,00 0,01 0,02 0,02 1,81 1,82
     Fabricação de produtos de borracha e de material plástico 0,00 -0,02 0,07 0,04 0,07 0,06 3,61 3,59
     Fabricação de produtos de minerais não-metálicos -0,01 0,00 -0,14 -0,14 -0,12 -0,15 1,87 1,87
     Metalurgia -0,11 -0,09 0,43 0,34 0,75 0,56 8,13 8,03
     Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos 0,00 0,00 0,12 0,12 0,14 0,14 3,19 3,18
     Fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 0,00 -0,02 -0,04 -0,05 -0,03 -0,05 2,23 2,21
     Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos -0,01 0,02 0,06 0,07 0,06 0,11 3,01 3,02
     Fabricação de máquinas e equipamentos -0,02 0,01 0,08 0,09 0,17 0,15 4,28 4,29
     Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias 0,02 -0,01 0,33 0,32 0,64 0,55 11,59 11,56
     Fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores -0,04 -0,02 -0,04 -0,05 0,01 0,01 2,41 2,39
     Fabricação de móveis 0,00 0,00 0,03 0,03 0,04 0,05 1,06 1,06

Em agosto de 2017, frente ao mês anterior, 11 das 24 atividades apresentaram variações positivas de preços, contra seis do mês anterior. As quatro maiores variações se deram nas seguintes atividades industriais: refino de petróleo e produtos de álcool (6,48%), indústrias extrativas (6,21%), perfumaria, sabões e produtos de limpeza (3,06%) e outros produtos químicos (-2,06%). Em termos de influência, na comparação entre agosto e julho de 2017, os destaques foram refino de petróleo e produtos de álcool (0,64 ponto percentual), alimentos (-0,33 ponto percentual), outros produtos químicos (-0,20 ponto percentual) e indústrias extrativas (0,19 ponto percentual).

No acumulado no ano (agosto de 2017 contra dezembro de 2016), as atividades que tiveram as maiores variações percentuais foram indústrias extrativas (-11,72%), alimentos (-8,07%), minerais não-metálicos (-7,39%) e papel e celulose (5,40%). Ainda no acumulado, os setores de maior influência foram alimentos (-1,73 ponto percentual), indústrias extrativas (-0,43 ponto percentual), metalurgia (0,34 ponto percentual) e veículos automotores (0,32 ponto percentual).

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, comparando agosto de 2017 com agosto de 2016, as quatro maiores variações de preços ocorreram em indústrias extrativas (14,47%), metalurgia (7,57%), minerais não-metálicos (-7,52%) e alimentos (-6,54%). Neste indicador, os setores de maior influência foram: alimentos (-1,41 ponto percentual), refino de petróleo e produtos de álcool (0,64 ponto percentual), metalurgia (0,56 ponto percentual) e veículos automotores (0,55 ponto percentual).

IPP Variação Mensal (%) Acumulado Ano (%) Variação Anual (%) Ponderação Mês (%)
JUL AGO JUL AGO JUL AGO JUL AGO
Indústria Geral -1,01 0,31 -1,29 -0,99 1,09 1,66 100,00 100,00
   Bens de Capital (BK) -0,05 -0,02 0,12 0,11 0,34 0,34 8,77 8,72
   Bens Intermediários (BI) -0,60 0,00 -0,65 -0,65 0,57 0,83 55,77 55,60
   Bens de Consumo (BC) -0,35 0,32 -0,76 -0,44 0,17 0,49 35,46 35,68
     Bens Duráveis (BCD) 0,02 0,01 0,27 0,27 0,43 0,36 24,25 24,05
     Bens Semiduráveis e Não Duráveis (BCND) -0,37 0,32 -1,03 -0,72 -0,25 0,14 75,75 75,95

Entre as Grandes Categorias Econômicas, na comparação com julho, as variações foram: -0,19% em bens de capital; 0,00% em bens intermediários; e 0,91% em bens de consumo, sendo que 0,08% foi a variação observada em bens de consumo duráveis e 1,18% em bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

As influências das grandes categorias econômicas sobre o IPP de agosto foram: -0,02 ponto percentual de bens de capital, 0,00 ponto percentual de bens intermediários e 0,32 ponto percentual de bens de consumo. No caso de bens de consumo, o resultado 0,32 ponto percentual se deve às variações de preços observadas nos bens de consumo semiduráveis e não duráveis e 0,01 ponto percentual nos bens de consumo duráveis.

Na perspectiva do acumulado no ano (mês atual contra dezembro do ano anterior): 1,26% a variação de bens de capital (com influência de 0,11 ponto percentual), -1,17% de bens intermediários  (-0,65 ponto percentual) e -1,24% de bens de consumo (-0,44 ponto percentual). No último caso, este resultado foi influenciado em 0,27 ponto percentual pelos produtos de bens de consumo duráveis e -0,72 ponto percentual, pelos bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

No acumulado em 12 meses, a variação de preços da indústria registrou, em agosto, as seguintes variações: bens de capital, 3,94% (0,34 ponto percentual); bens intermediários, 1,49% (0,83 ponto percentual); e bens de consumo, 1,38% (0,49 ponto percentual), sendo que a influência de bens de consumo duráveis foi de 0,36 ponto percentual e a de bens de consumo semiduráveis e não duráveis de 0,14 ponto percentual.

 

Cálculo do Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice de Preços ao Produtor (IPP) tem como principal objetivo medir a variação média dos preços de venda recebidos pelos produtores domésticos de bens e serviços, sinalizando as tendências inflacionárias de curto prazo no Brasil.

O IPP mensura a evolução dos preços de produtos de vinte e três setores da indústria de transformação. Cerca de mil e quatrocentas empresas são visitadas pelo IBGE para a pesquisa.

Os preços coletados ainda não apresentam a incorporação de impostos tarifas e fretes, sendo definidos apenas pelas práticas comerciais usuais. O instituto coleta, aproximadamente, cinco mil preços por mês. 

 

Principais Destaques Relacionados ao IPP em Agosto de 2017

– IBGE: IPP registrou expansão mensal de 0,31% em Agosto de 2017

– IPP: Preço de bens de consumo na porta das fábricas subiu 0,91% em Agosto de 2017

– IPP: Preços praticados na porta das fábricas caíram 0,99% nos oito primeiros meses de 2017

– IPP: Preços avaliados pelo Índice de Preços ao Produtor acumularam crescimento anual de 1,66% em Agosto de 2017

 

  

Últimas Notícias sobre IPP

No Articles Found

Páginas Relacionadas

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

Support: (11) 4950 5808 | suporte@advfn.com.br