IPCA: inflação aferida em Brasília é a maior do país em Outubro de 2015

LinkedIn

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de outubro de 2015 apresentou oscilação mensal de 0,82%. Essa taxa de variação é 0,28% maior que a valorização registrada no mês anterior (0,54%) e 0,40% maior que a aferida em outubro de 2014 (0,42%). Dentre treze regiões metropolitanas pesquisadas para elaboração do indicador, onze aceleraram, e duas regiões registraram desaceleração da variação mensal. A maior variação mensal dentre as regionais pesquisadas foi registrada pela região metropolitana de Brasília (1,24%).

Na capital brasiliense, o índice foi pressionado em virtude da alta de 23,08% no item ônibus urbano, cujas tarifas foram reajustadas em 33,34% a partir de 20 de setembro.

O menor índice foi registrado no Rio de Janeiro (0,59%), onde os alimentos consumidos em casa variaram 0,02%, bem abaixo da média nacional (0,68%).

Confira abaixo as variações percentuais do IPCA nas treze capitais aferidas pelo indicador:

– O índice de preços aferido no Rio de Janeiro registrou alta de 0,59% em outubro e alta de 0,49% em setembro (diferença de variação de 0,51%).

– O índice de preços aferido em São Paulo registrou alta de 0,99% em outubro e alta de 0,71% em setembro (diferença de variação de 0,47%).

– O índice de preços aferido em Campo Grande registrou alta de 1,18% em outubro e baixa de -0,28% em setembro (diferença de variação de -0,53%).

– O índice de preços aferido em Goiânia registrou alta de 1,18% em outubro e alta de 0,67% em setembro (diferença de variação de 0,44%).

– O índice de preços aferido em Vitória registrou alta de 0,75% em outubro e alta de 1,13% em setembro (diferença de variação de 0,88%).

– O índice de preços aferido em Porto Alegre registrou alta de 0,73% em outubro e alta de 0,56% em setembro (diferença de variação de 0,28%).

– O índice de preços aferido em Fortaleza registrou alta de 0,73% em outubro e alta de 0,57% em setembro (diferença de variação de 0,25%).

– O índice de preços aferido em Belo Horizonte registrou alta de 0,62% em outubro e alta de 0,41% em setembro (leve diferença de variação de 0,36%).

– O índice de preços aferido em Belém registrou alta de 1,07% em outubro e alta de 0,13% em setembro (diferença de variação de -0,19%).

– O índice de preços aferido em Curitiba registrou alta de 0,64% em outubro e alta de 0,54% em setembro (diferença de variação de 0,07%).

– O índice de preços aferido em Salvador registrou alta de 0,60% em outubro e alta de 0,27% em setembro (diferença de variação de -0,14%).

– O índice de preços aferido em Brasília registrou alta de 1,24% em outubro e alta de 1,25% em setembro (diferença de variação de 1,41%).

– O índice de preços aferido em Recife registrou alta de 0,84% em outubro e alta de 0,17% em setembro (diferença de variação de -0,01%).

O IPCA é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde 1980 e se refere às famílias com rendimento monetário mensal de 01 (um) a 40 (quarenta) salários mínimos. A coleta de preços é realizada em estabelecimentos comerciais, prestadores de serviços, domicílios e concessionárias de serviços públicos.

Para cálculo do IPCA em maio de 2015 foram comparados os preços coletados no período de 30 de setembro a 27 de outubro de 2015 (referência) com os preços vigentes no período de 30 de agosto a 29 de setembro de 2015 (base).

Notícias Relacionadas

Inflação: IPCA acelera em Setembro e registra menor variação para o mês desde 2013

IPCA: inflação anual de 9,49% acumulada até Setembro é a maior registrada desde 2003

Veja quais foram os itens que mais pressionaram o aumento da inflação medida pelo IPCA em Setembro de 2015

IPCA: inflação aferida em Brasília é a maior do país em Setembro de 2015

Deixe um comentário