PETRONAS e Cnooc reduzem investimentos, cortam produção e asiáticas seguem o fluxoleo

LinkedIn

Seguindo a tendência devido ao excesso de produção, baixa demanda e queda nos preços, a estatal malaia Petroliam Nasional Bhd., ou Petronas anunciou que cortará seus gastos com capital e operações (Capex e Opex) em até 50 bilhões de ringgits (US$ 11,37 bilhões) até 2020. Esses cortes refletem o receito por parte do governo malaio às incertezas do rumo que está se tomando a crise global, além de ter um orçamento baseado no preço estimado de U$ 48,00 o barril do petróleo Brent. Só a Petronas detém 1/3 do orçamento anual do governo.

Essa derrocada de preços da commodity também conteve o ímpeto da chinesa Cnooc, que depois de ter comprado a canadense Nexen Inc. por cerca de US$ 15 bilhões, declarou nesta terça-feira (19) que reduzirá sua produção em relação ao ano anterior pela primeira vez desde que abriu o capital, em 2001. Também afirmou que vai cortar seus gastos de capital em 44% comparado a 2014. A Cnooc afirma que os gastos não vão exceder 60 bilhões de yuans (US$ 9,12 bilhões) neste ano, ante os 107 bilhões de yuans que gastou em 2014. De acordo com o diretor financeiro da Cnooc, Zhong Hua, disse ontem que a Cnooc prevê que os preços de referência do petróleo vão permanecer num “nível baixo” e complementou: “Toda a indústria do petróleo está enfrentando grandes desafios e nossa companhia não é uma exceção”.

 

 

 

 

As mudanças na indústria do setor estão cada vez mais afetando a Ásia, América do Sul e Oriente Médio. Visto que, a demanda chinesa perde força; apesar de que o alto volume de importações de petróleo pela China em 2015 foi, em parte, resultado do esforço do governo para repor reservas estratégicas. Analistas acreditam que essas reservas estejam próximas de sua capacidade total, o que poderia contribuir para reduzir o crescimento das importações este ano.

Todo este cenário está conscientizando os demais países exportadores de petróleo a esta nova realidade. A PT Pertamina EP, da Indonésia junto com a tailandesa PTT Exploration and Production PCL já cortaram gastos de capital e investimento (Capex e Opex), na mesma leva a  empresa petroleira viatinamita Vietnam National Oil and Gas Group recentemente fechou um campo de exploração devido ao fato de que os custos de produção superaram os preços internacionais do petróleo.

Este colapso de preços está afetando até, pasmem, a Saudi Arabian Oil Co., ou Saudi Aramco, a menina dos olhos e valiosa estatal saudita que também anunciou que está cogitando vender ações. A iniciativa, que está sendo acompanhada atentamente pela indústria, pode ajudar a reforçar o caixa enquanto os preços do petróleo continuam baixos.

 

No mundo o preço do petróleo (NYMEX:CL\H16) nos Estados Unidos bate o preço de U$ 28,06 enquanto o Brent (BCB:ZBRENT) em Londres alcança U$ 27,93.

No Brasil as ações ordinárias da Petrobras (BOV:PETR4) submergem usando “tri-mix” a R$ 4,30. Boa notícia para quem “bateu” o papel e assiste de camarote.

Deixe um comentário