Produção industrial brasileira avançou 1,4% em Março de 2016

LinkedIn

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM – PF), a produção da indústria brasileira avançou 1,4% na passagem de fevereiro para março de 2016. Este crescimento foi observado em todas as quatro grandes categorias econômicas e em 12 dos 24 ramos pesquisados.

Atividades

A principal influência positiva registrada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram produtos alimentícios, que ao avançar 4,6 % em março de 2016, interrompeu o recuo de 2,1% acumulado entre janeiro e fevereiro de 2016.

Outras contribuições positivas sobre o total da indústria vieram das atividades de máquinas e equipamentos (8,5%), de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (8,3%), de veículos automotores,reboques e carrocerias (2,7%), de máquinhas,aparelhos e materiais elétricos (3,6%) e de produtos de madeira (4,2%).

Por outro lado, entre os ramos que reduziram a produção nesse mês, o desempenho de maior importância para a média global foi assinalado por coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, que recuou 6,5% e interrompeu trÊs meses de taxas positivas consecutivas. Destaca-se recuos nos setores de celulose, papel e produtos de papel (-3,1%), de indústrias extrativas (-0,9%), de metalurgica (-2,1%), de produtos de borracha e de materia plástico (-2,9%) e de móveis (-4,6).

Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) de 2016

Categorias econômicas

Entre as grandes categorias econômicas, ainda na comparação com o mês imediatamente anterior,  bens de capital, ao avançar 2,2%, mostrou a expansão mais acentuada em março de 2016.

Os setores produtores de bens de consumo semi e não-duráveis (0,9%), de bens de consumo duráveis (0,3%) e de bens intermediários (0,1%) também ampliaram a produção neste mês, mas com intensidade menor do que a média nacional (1,4%)

Variação Anual da Produção Industrial

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o total da indústria apontou queda de 11,4% em março de 2016, alcançando as quatro grandes categorias econômicas, 22 dos 26 ramos, 65 dos 79 grupos e 75,5% dos 805 produtos pesquisados. Neste tipo de comparação, esta taxa foi vigésima quinta queda consecutiva. Essa taxa foi a mais elevada do que a observada em fevereiro (-9,8%).

Variação da Produção Industrial Acumulada em 2016

No índice acumulado para o período janeiro-março de 2016, frente a igual período do ano anterior, o setor industrial mostrou queda de 11,7%. Quatro grandes categorias econômicas, 23 dos 26 ramos, 63 dos 79 grupos e 75,4% dos 805 produtos pesquisados apontaram redução na produção.

Variação da Produção Industrial Acumulada nos Últimos 12 Meses

A taxa anualizada apontou queda de 9,7% em março de 2016. Prossegue-se a trajetória descendente iniciada em março de 2014(2,1%). Esta taxa também, é a perda mais intensa desde outubro de 2009 (-10,3%).

 

Entenda a Pesquisa Industrial Mensal (PIM)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através da Pesquisa Industrial Mensal, produz indicadores de curto prazo relativos ao setor industrial brasileiro.

Iniciada na década de setenta, a pesquisa abrange todo o território nacional e é divulgada mensalmente, em duas versões: PIM-PF e PIMES.

A Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) avalia o comportamento da produção real mensal nas indústrias extrativa e de transformação do país. O IBGE divulga mensalmente dois relatórios sobre a produção física no Brasil: um nacional e outro regional.

A Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (PIMES) avalia o comportamento do emprego e dos salários nas atividades industriais do país.

Clique aqui e saiba mais detalhes sobre a produção industrial no Brasil

 

Notícias Relacionadas

Produção industrial brasileira caiu 11,4% na comparação com mesmo mês do ano anterior
Produção industrial brasileira avançou 1,4% em Março de 2016
Indústria brasileira acumula queda de produção de 11,7% nos três primeiros meses de 2016

 

Deixe um comentário