PMC: Queda nas vendas no varejo brasileiro foi um pouco menor no terceiro trimestre de 2016

LinkedIn

Em bases trimestrais, o volume de vendas do comércio varejista brasileiro, na série com ajuste sazonal, mostrou acentuação no ritmo de queda na passagem do segundo (-0,5%) para o terceiro trimestre de 2016 (-1,7%), ambos os resultados em relação ao trimestre imediatamente anterior. Para essa mesma comparação, cinco das oito atividades investigadas também mostraram maior ritmo na queda das vendas, com destaque para tecidos, vestuário e calçados (de 0,8% para – 5,5%). Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo também sai do campo positivo no segundo trimestre (0,5%) para um recuo de -0,7% no terceiro.

Considerando o comércio varejista ampliado, o volume de vendas mostrou recuo de 2,4% no segundo trimestre e de 2,7% no terceiro trimestre de 2016. Para essa mesma comparação, veículos e motos, partes e peças (de -7,2% para -4,4%) e material de construção (de -3,0% para -1,8%) fazem movimento inverso, reduzindo o ritmo de queda entre os dois períodos.

A comparação com igual trimestre do ano anterior mostrou a sétima taxa negativa consecutiva para o comércio varejista nacional, porém com redução gradual na queda das vendas ao longo de 2016: -7,0% primeiro trimestre, -6,9% no segundo e -5,7% no terceiro trimestre do ano. Das oito atividades pesquisadas, seis mostram menor ritmo de queda nas venda na passagem do segundo para o terceiro trimestre de 2016, com destaque para livros, jornais, revistas e papelaria (de -20,6% para -16,6%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (de-15,7% para -11,4%); e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (de -4,0% para -1,9%).

No comércio varejista ampliado, o volume de vendas no terceiro trimestre de 2016, comparado com o mesmo período do ano anterior, caiu 9,0%, sinalizando ligeira melhora no ritmo de queda em relação aos dois trimestres anteriores: -9,2% no segundo e -9,4% no primeiro trimestre de 2016. A atividade de veículos, motos, partes e peças, com variação de -16,3% no terceiro trimestre de 2016, fez movimento contrário, mostrando gradual aceleração no ritmo de queda em relação aos trimestres anteriores: -13,5% no primeiro e -14,0% no segundo trimestre do ano. Já o segmento de material de construção apresentou taxa de -10,1% no terceiro trimestre, contra -11,1% no segundo trimestre.

Clique aqui para saber mais detalhes sobre a Pesquisa Mensal do Comércio realizada em setembro de 2016.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.