Quinto Boletim Focus de 2017 manteve, mais uma vez, a aposta de que dólar encerrará o ano cotado a R$ 3,40

LinkedIn

As previsões dos economistas do mercado financeiro brasileiro sobre a variação do dólar comercial em 2017 foram novamente mantidas na quinta edição do Boletim Focus do ano, divulgada nesta segunda-feira, 03 de Fevereiro. De acordo com o relatório do Banco Central (BC), o dólar norte-americano encerrará o ano cotado em R$ 3,40, valor semelhante à projeção divulgada pelo Banco Central (BC) no relatório da semana anterior (R$ 3,40).

Na última semana, composta por cinco dias úteis, o preço do dólar negociado no Brasil acumulou uma desvalorização de 0,90% ante o real. Foi a quinta variação semanal negativa da moeda norte-americana no ano, contra nenhuma positiva. O dólar encerrou a semana negociado a R$ 3,1230 para compra e a R$ 3,1235 para venda. Nos últimos cinco pregões, foram três pregões de baixa contra dois de alta.

No mês de fevereiro, após três pregões, a moeda norte-americana acumula uma desvalorização de 0,87%. São dois pregões de baixa contra um de alta. No último pregão de janeiro, o dólar fechou cotado a R$ 3,1491 para compra e a R$ 3,1510 para venda.

Em 2017, após vinte e quatro pregões, o dólar acumula uma queda de 3,88% ante o real. São dez pregões de alta contra catorze de baixa. No ano passado, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,2492 para compra e a R$ 3,2497 para venda.

Clique aqui e confira a íntegra do Boletim Focus divulgado no dia 03 de Fevereiro de 2017.

O Boletim Focus é um relatório divulgado semanalmente pelo BC. Esse relatório contem uma série de projeções sobre a economia brasileira coletadas junto a alguns dos principais economistas em atuação no país. Cerca de 100 (cem) analistas de mercado, representando as principais instituições financeiras do Brasil, opinam sobre a perspectiva futura de diversos indicadores de nossa economia. O relatório é confeccionado de segunda-feira a domingo, sendo divulgado sempre às segundas-feiras da semana seguinte à sua confecção.

 

Deixe um comentário