Guide troca Rumo e Suzano por Gerdau e Via Varejo em carteira semanal

LinkedIn

Investing.com – A Guide Investimentos divulgou nesta segunda-feira a atualização de sua carteira semanal de ações, com destaque para as entradas de Gerdau (GGBR4) e Via Varejo, substituindo os ativos de Rumo (RAIL3) e Suzano (SUZB3).

Na última semana, as recomendações da corretora tiveram um desempenho abaixo do esperado, e não superou o desempenho do Ibovespa. A alta dos papéis da Tenda (TEND3) (que avançaram firme no campo positivo após divulgação do 2º tri) não compensaram as baixas de Suzano – em meio aos ruídos dos minoritários com o deal envolvendo a Fibria (FIBR3) – e Rumo.

Na cena local, os ativos de risco doméstico tiveram baixas expressivas, reflexos da cautela ao exterior (tensões comerciais e Turquia), além do front político pouco favorável.

Com relação a Carteira, em 2018, as recomendações da Gude seguem a frente do Ibovespa. Enquanto o índice tem leve baixa de 0,5%, o portfólio semanal avança 7,5% no período.

Em relação à Gerdau, os analistas seguem otimistas com a companhia em meio: a estratégia de venda de ativos não estratégicos, melhorando a rentabilidade da empresa, o controle incisivo dos custos e despesas observados nos últimos trimestres, mudanças anunciadas na América do Norte, que devem impulsionar os resultados da operação na região, e a expectativa de retomada econômica doméstica.

No caso da Via Varejo (VVAR11), a Guide entende que a companhia segue mostrando evoluções significativas (com avanço de margens e melhora de rentabilidade), reflexo dos esforços da na implementação da estratégia comercial bem-sucedida no multicanal e na busca por eficiência operacional. Além disso, a migração da companhia para o Novo Mercado pode destravar mais valor no curtíssimo prazo.

A opção por retirar as ações da Rumo da carteira semana, mesmo reafirmando a visão positiva da empresa, em meio à: sinalizações de incentivo às concessões por parte do governo; expectativa pela renovação antecipada da Malha Paulista no início do 2S18; e expectativa de continuidade no ciclo de crescimento nos volumes de grãos nos próximos trimestres.

Sobre a Suzano a saída foi para abrir espaço para a Gerdau. A troca tem por objetivo realizar os ganhos com o desempenho das ações da companhia. Além disso, os papéis da Suzano podem continuar com forte volatilidade no curto prazo em meio à proximidade do julgamento do CADE e ruídos dos minoritários em torno do deal com a Fibria.

Deixe um comentário