Cheque Especial: Juros atinge 13,51% ao mês, diz Procon

LinkedIn

A taxa média do cheque especial voltou a subir em maio, apesar da estabilidade do juro básico da economia. É o que mostra pesquisa da Fundação Procon-SP. Já os juros do empréstimo pessoal ficaram estáveis, segundo a pesquisa.

No cheque especial, a taxa média vem aumentando gradativamente, atingindo em março 13,51% ao mês, a mais alta desde abril de 2017, quando chegou a 13,53%. A taxa média equivale a um acréscimo de 0,06 ponto percentual em relação a fevereiro.

A modificação na taxa de cheque especial foi puxada pelo Banco Safra, que alterou de 12,95% para 13,30% ao mês o juro cobrado de seus clientes, o que significa um acréscimo de 0,35 ponto percentual, ou um aumento no percentual de taxa de 2,70% em relação à de fevereiro de 2019.

A maior taxa de juros do cheque especial entre os bancos pesquisados pelo Procon-SP é do Santander, com 14,93% na taxa máxima. O banco alega que cobra mais porque oferece dez dias sem juros para todos os clientes. Em seguida, vem a Caixa Econômica Federal, com juros máximos de 13,55% . A máxima do Itaú Unibanco é de 13,45% e a do Bradesco é 13,33%. A do Banco do Brasil é de 12,49% no máximo.

Especialistas do Procon-SP alertam que as taxas de juros do mercado financeiro continuam elevadas, principalmente a do cheque especial. A taxa anualizada dessa modalidade de crédito, tomando como base a coleta de março/19, ultrapassou
357%, logo, o consumidor deve ficar muito atento e evitar a utilização.

Já no Empréstimo Pessoal a taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,28% a.m., a mesma constatada no mês anterior. Nenhum banco da amostra modificou a taxa de empréstimo pessoal

Deixe um comentário