Benndorf troca Klabin, Ser e BK por Vale, Renner e Direcional na carteira de maio

LinkedIn

Investing.com – A Benndorf Reserach divulgou nesta quarta-feira a atualização de sua carteira recomendada para o segundo semestre de maio, três trocas. Deixam o portfólio Klabin (BOV:KLBN11), Burger King (BOV:BKBR3) e Ser Educação, dando espaço para as entradas de Vale (BOV:VALE3), Lojas Renner (BOV:LREN3) e Direcional (BOV:DIRR3).

No caso da troca de Klabin por Vale, a casa de análises destaca que, apesar de não concordar com o movimento (tanto por valuation como pelos drivers), acionaram um stop em KLBN11 (-8,16%) para a entrada mineradora.

A justificativa está na procura por outra exportadora para capitalizar o dólar (nas máximas) e exercer algum hedge nas carteiras. Eles ressaltam que essa operação visa prover um hedge e não deve ser adotada para aqueles que buscam operações direcionais. Para eles, o balanço estava relativamente “machucado” por Brumadinho com grande parte das provisões já auferidas nesse trimestre.

A expectativa de um dólar em torno dos $4,000 e as máximas recentes no contrato do minério de ferro devem compensar os efeitos negativos de curto prazo no operacional da mineradora.

A recomendação é de compra leve com alvo nos R$ 54,00 e stop de redução somente na perda dos R$ 44,00.

Outra troca na carteira se dá por, mais uma vez, a equipe não concordar com o fluxo de BKBR3 no curto prazo, especialmente após o 1T19 (forte), entretanto a opção é por tomar um posicionamento mais defensivo em torno do fluxo observado com um stop acionado na casa dos $19,50.

No lugar é recomendada a compra de LREN3, um player com características similares à nossa venda com um perfil defensivo entretanto com alto crescimento. Recomendação de compras moderadas com alvo nos R$47,50 e stop na perda dos R$36,00.

Os analistas se mostram satisfeitos com os 20% de lucro em SEER3 (BOV:SEER3) e o momento é de assumir um posicionamento mais defensivo após os dividendos pagos. Adicionalmente, eles avliam que os resultados foram fracos para o setor no 1T19 e esperam um cenário desafiador em torno das constantes revisões negativas para o nosso PIB.

Apesar do setor de construção também ser elástico em relação ao PIB, para eles existe uma tendência mais favorável nos últimos trimestres e esperam uma melhora após os gargalos do MCMV neste início de ano. Recomendação de compras leves com alvo nos R $10,00 e stop na perda dos R$8,00

Composição: 11% – Eneva (BOV:ENEV3); 10% – Bradesco (BOV:BBDC4); 9% – Unidas; 8% – JBS (BOV:JBSS3), Hapvida (BOV:HAPV3), Lojas Renner e Wiz (BOV:WIZS3); 6% – Carrefour (BOV:CRFB3), Vale e Direcional; 5% – Movida (BOV:MOVI3) e Petrobras (BOV:PETR4).

Deixe um comentário