Vale e siderúrgicas avançam com alta do preço do minério de ferro na China

LinkedIn

Investing.com – Na parte da manhã desta segunda-feira, as ações da Vale (BOV:VALE3) das principais siderúrgicas brasileiras operam com ganhos, em meio a valorização do preço do minério de ferro no mercado internacional após o feriado na última sexta-feira na China.

Com isso, os papéis da CSN (BOV:CSNA3) operam com ganhos de 1,93% a R$ 16,91, enquanto que os da Usiminas (BOV:USIM5) apresentam valorização de 1,86% a R$ 8,76. No caso da Gerdau (BOV:GGBR4), o avanço é de 0,86% a R$ 14,02. Para a Vale, a semana começa com ganhos de 0,49% a R$ 48,90, com Bradespar (BOV:BRAP4) somando 0,29% a R$30,76.

Após o feriado da última sexta-feira, a sessão que abre a semana foi marcada pela forte valorização dos contatos futuros do minério de ferro, que são transacionados na bolsa de mercadorias e futuros da cidade chinesa de Dalian. O ativo com maior volume de negócios, com data de vencimento em setembro deste ano, somou 3,18% a 729,50 iuanes por tonelada do produto.

Já para o minério de ferro, a segunda-feira foi um dia de rumos distintos para os papéis do vergalhão de aço dos principais vencimentos, que são transacionadas na bolsa de mercadorias de Xangai. O contrato de outubro, de maior liquidez somou 4 iuanes para 3.717 iuanes por tonelada, enquanto que o de janeiro de 2020, o segundo mais negociado, perdeu 5 iuanes para 3.457 iuanes por tonelada.

A mineradora disse que gastará 1,9 bilhão de dólares para fechar nove barragens de rejeitos em Minas Gerais, de acordo com uma declaração à Comissão de Valores Mobiliários, na noite de sexta-feira.

A empresa investirá entre 150 milhões de dólares e 200 milhões de dólares em 2019, por volta de 500 milhões de dólares em 2020 e entre 150 milhões de dólares e 200 milhões de dólares nos anos seguintes. A empresa também disse que investirá em avaliações correntes de projetos de engenharia e despesas para outras estruturas geotécnicas.

O anúncio da Vale acontece depois do rompimento de uma barragem, em janeiro, que matou centenas de pessoas em Brumadinho (MG), o segundo desastre desse tipo em três anos.

Deixe um comentário