Google vai oferecer conta-corrente para clientes a partir de 2020

LinkedIn

Cada vez mais as gigantes da tecnologia parecem estar interessadas no setor financeiro. A última da vez é o Google, que pretende entrar no ramo a partir do ano que vem.

A empresa está se preparando para oferecer contas correntes aos consumidores, conforme relatado originalmente pelo site The Wall Street Journal. O serviço vai estar disponível para os clientes a partir de 2020.

Por enquanto o projeto está apenas em fase inicial, por isso está sendo chamado de “Cache”, mas o nome pode ser provisório.

O projeto será realizado em uma parceria com bancos e cooperativas de crédito para oferecer a contas correntes aos possíveis usuários do sistema. Os bancos parceiros ficaram responsáveis por lidar com todas as atividades financeiras e de compliance relacionadas às contas.

Caesar Sengupta, do Google, falou com o Wall Street Journal sobre a nova iniciativa, e Sengupta deixou claro que o Google procurará colocar seus parceiros de instituições financeiras em maior destaque para os clientes futuros clientes da solução “Cache”.

Por exemplo, a Apple  trabalha com o Goldman Sachs em seu produto de crédito Apple Card, por exemplo, mas o cartão de crédito é definitivamente apresentado principalmente como um produto da Apple.

Sendo assim, a ideia do Google é não esconder os seus parceiros em seus produtos e até mesmo diminuir a sua presença em relação aos outros participantes. Claro, o Google espera obter muitas informações valiosas e insights sobre o comportamento do cliente com acesso à conta corrente, o que para muitos é uma boa imagem da vida financeira cotidiana geral.

O Google diz que também pretende oferecer vantagens de produtos para consumidores e bancos, incluindo programas de fidelidade, além dos serviços financeiros básicos.

O projeto também está considerando se cobrará ou não as taxas de serviço, segundo Sengupta – não cobrar essas taxas seria definitivamente uma vantagem sobre a maioria das contas correntes existentes.

O Google já oferece o Google Pay e seu produto da Google Wallet hospedou alguns recursos além do simples rastreamento de pagamentos, incluindo a capacidade de enviar dinheiro entre indivíduos

Os parceiros financeiros iniciais com os quais o Google está trabalhando incluem o Citigroup e a Stanford Federal Credit Union.

De acordo com o Wall Street Journal, os bancos possuem interesse em atrair clientes mais jovens e com mais conhecimento digital que estão cada vez mais querendo solucionar os problemas do dia a dia através de ferramentas na internet.

Pelos comentários de Sengupta, eles também se beneficiarão da capacidade do Google de trabalhar com grandes conjuntos de dados e transformá-los em produtos de valor agregado.

Mas, algo bem importante, o executivo do Google também disse que a empresa de tecnologia não usa dados do Google Pay para publicidade, e nem compartilha esses dados com os anunciantes.

O mesmo acontecerá com o Cache, que não vai vender seus dados bancários e não vai usá-los para propagandas, em teoria, claro.

Deixe um comentário