Mirae Asset faz seis trocas na carteira recomenda de dezembro; confira as mudanças

LinkedIn

Investing.com – A Mirae Asset divulgou na manhã desta segunda-feira a atualização da carteira recomendada para dezembro, com realização de importantes mudanças em sua composição. Os analistas optaram por realizar seis trocas, dos dez ativos que fazem parte. Deixaram a lista Bradesco (BBDC4), Cosan (CSAN3), JBS (JBSS3), Cyrela (CYRE3), Pão de Açúcar (PCAR4) e Via Varejo (VVAR3), para as entradas de BRF (BRFS3), BR Malls (BRML3), Cemig (CMIG4), Itaú (ITUB4), Magazine Luiza (MGLU3) e Ultrapar (UGPA3).

Em novembro, as recomendações da Meta acumularam ganhos de 2,30%, superando assim o Ibovespa, que somou 0,9% no penúltimo mês do ano. O destaque positivo do período ficou para os papéis da Via Varejo (VVAR3), que saltaram 18,7%. Na ponta oposta, Bradesco (BBDC4)cedeu 5,1%.

Na carteira de dividendos, os ganhos foram de 1,1%, perdendo para o índice e referência da bolsa, que somou 2,4% no período. A maior alta ficou para Qualicorp (QUAL3), com 15,4% e a maior queda para Cemig (CMIG4), em 4,4%.

Na de small caps, os ganhos foram de 4,4%, perdendo para o índice e referência da bolsa, que somou 5,1% no período. A maior alta ficou para Via Varejo (VVAR3), com 18,7% e a maior queda para CVC (CVCB3), em 21,6%.

Para dezembro, os analistas apontam que o principal fator que norteou o mercado financeiro global ao longo dos últimos meses vai continuar sendo o principal gatilho para definir o humor dos investidores. A guerra comercial entre EUA e China segue no radar e a assinatura de um primeiro acordo será fundamental para a ocorrência de um eventual rali de final de ano nas bolsas de valores.

A agenda econômica também ficará no radar, já que indicará o quanto a desaceleração da economia mundial causada pelo estresse da guerra comercial se materializou nos números que serão divulgados, principalmente nos indicadores de atividade.

O FED sinaliza pausa no corte de juros, mas o nosso Banco Central já sinalizou que teremos mais um corte neste ano (próxima reunião do Copom no dia 12). A expectativa maior ainda aponta para um corte de 0,50%, mas com a recente alta do dólar já existem opiniões de que o corte poderá ser menor, mas vai vir.

Já em Brasília algumas aprovações estruturais relacionadas as reformas podem acontecer no Congresso e Senado, mas não podemos esquecer que com a proximidade das festas do final de ano os políticos reduzem a marcha e esvaziam a cidade. Mesmo assim acreditamos que o Ibovespa registre um desempenho positivo no mês, diante das expectativas otimistas em relação à economia para 2020.

Composição: 

Meta: BRF (BRFS3), BR Malls (BRML3), Cemig (CMIG4), Cogna, Itaú Unibanco (ITUB4), Magazine Luiza (MGLU3), Petrobras (PETR4), Ultrapar (UGPA3) e Vale (VALE3).

Dividendos: BB Seguridade (BBSE3), Cemig (CMIG4), Engie (EGIE3), Itaú Unibanco (ITUB4), Itaúsa (ITSA4), Porto Seguro (PSSA3), Qualicorp (QUAL3), Sanepar (SAPR11), TAESA (TAEE11) e CTEEP (TRPL4).

Small Caps: Bradespar (BRAP4), CVC (CVCB3), Cyrela (CYRE3), EDP (ENBR3) Brasil, YDUQS (YDUQ3), Fleury (FLRY3), Qualicorp (QUAL3), Sanepar (SAPR11), TAESA (TAEE11) e Via Varejo (VVAR3).

Deixe um comentário