Inter sobe mais de 3% com prévia do 4º tri; BTG espera 8 mi de clientes em 2020

LinkedIn

Investing.com – Na noite de ontem, o Banco Inter (BOV:BIDI11) divulgou seus dados operacionais no quarto trimestre, chegando ao final do período com 4,1 milhões de clientes, ficando 1,5% acima do que era esperado pelo BTG Pactual (BOV:BPAC11), números que não surpreenderam uma vez que a instituição já havia informado no mês passado ter superado a marca dos 4 milhões de clientes.

Com isso, por volta das 11h20, as units do banco avançavam 3,46% a R$ 53,50.

Desta forma, os analistas acreditam que o Inter está bem posicionado para atingir 8 milhões de clientes até o ano. Embora a monetização continue sendo um risco, uma inflexão de ARPU / CAC poderia aliviar as preocupações a esse respeito e eles acreditam que essa melhoria seja possível em 2020.

Na visão dos analistas do BTG, o ritmo da abertura da conta continua a acelerar, mas está perdendo força, enquanto a ativação está diminuindo na margem. O engajamento, por outro lado, está melhorando, pois os logins estão aumentando muito rapidamente.

A equipe destaca que depois de atingir 379 mil clientes em 2017 e 1,5 milhão em 2018, o BIDI alcançou um crescimento de 24% no trimestre e de 180% no ano. O ritmo de abertura foi de 10 mil/dia útil em junho contra 12 mil em setembro e 13 mil em dezembro. A ativação é menor na margem, com a base de clientes ativos representando 55,8% da base total no quarto trimestre (vs 57,0% no terceiro trimestre).

Apesar disso, o relatório do BTG chama a atenção para o engajamento dos clientes. Os logins por dia útil atingiram 2 milhões em dezembro, bem acima dos 1,4 milhões em setembro. O NPS ficou estável na base trimestral em 67 e o BTG espera uma melhoria daqui para frente, pois o Inter está focado na satisfação do cliente e trouxe um executivo do Itaú para ajudar.

Outra boa notícia é que o TPV dos cartões voltou a aumentar mais rapidamente do que a base de clientes (+ 32% q/q e + 210% y/y), o que deve ajudar as taxas, e a ativação do PAI melhorou sequencialmente (de 10,3% no terceiro trimestre para 10,5 % no quarto trimestre), provavelmente contribuindo para os depósitos.

Em conjunto, e apesar da recuperação de quase 30% desde a recente baixa de novembro, a equipe acredita que o momento permanecerá positivo para o BIDI e mantém a recomendação de Compra, com alvo em R$ 63,00.

Deixe um comentário