Bolsa do Japão sobe 3% após China registra queda no PIB do primeiro trimestre com impacto de coronavírus; Futuros dos EUA disparam

LinkedIn
As principais bolsas asiáticas fecharam em alta subiram na sexta-feira (17), com os investidores ignorando dados que mostram a economia da China encolhendo 6,8% no primeiro trimestre.
No Japão, o Nikkei 225 subiu 3,15% para fechar em 19.897 pontos. O índice Topix também ganhou 1,43%, encerrando o pregão em 1.442 pontos. Destaque para as ações do conglomerado japonês Softbank Group e Fast Retailing que subiram 6%.
As ações da China continental subiram mais ao final, com o composto de Xangai subindo 0,66%, para cerca de 2.838 pontos, enquanto o composto de Shenzhen subiu 0,338%, para aproximadamente 1.750 pontos.
Na Coréia do Sul, o Kospi avançou em 3,09%, a 1.914 pontos.
Enquanto isso, as ações da Austrália subiram na volta do feriado, com o S&P/ASX 200 subindo 1,31%, fechando em 5.487,50.
No geral, o índice MSCI Asia ex-Japão subiu 2,11%.

PIB da China encolhe 6,8%

O PIB da China no primeiro trimestre encolheu 6,8% em 2020 em relação a um ano atrás, segundo dados do Departamento Nacional de Estatísticas da China.

Esse foi o primeiro declínio trimestral desde 1992, quando os relatórios trimestrais oficiais do PIB começaram, de acordo com a Reuters. Analistas esperavam que o PIB da China caísse 6,5% em relação ao ano passado, uma queda acentuada em relação ao crescimento de 6% registrado no quarto trimestre de 2019.

“Esperamos uma recuperação sequencial significativa no segundo trimestre, quando a vida econômica voltar ao normal”, escreveram economistas da Oxford Economics em nota após o lançamento dos dados. Ainda assim, eles alertaram: “Essa recuperação será prejudicada pela fraca demanda interna e externa”.

Os investidores têm observado de perto os dados econômicos da China, para obter informações sobre a magnitude do impacto econômico do coronavírus. Enquanto o país – onde foram relatados os primeiros casos do vírus – tenta acelerar sua economia, enfrenta ventos contrários à medida que a demanda global é atingida em meio à proliferação da doença em todo o mundo.

Futuros dos EUA disparam

Enquanto isso, o mercado acionário dos EUA saltou no início da manhã nos Estados Unidos, após um relatório que dizia que um medicamento da Gilead Sciences estava mostrando eficácia no tratamento do coronavírus. Os futuros do Dow Jones Industrial Average dispararam 779 pontos, apontando para um ganho implícito de cerca de 766 pontos no aberto na sexta-feira. Os futuros do S&P 500 e do Nasdaq também apontaram ganhos de abertura na sexta-feira para os dois índices.

O índice do dólar americano, que acompanha o dólar norte-americano em comparação com uma cesta de seus pares, estava em 100.077, após uma baixa anterior de 99.697.

O iene japonês foi negociado a 107,73 por dólar, tendo visto níveis abaixo de 107,4 no início da semana de negociação. O dólar australiano mudou de mãos em 0,6342 dólares, ainda fora dos níveis acima de 0,64 dólares vistos no início desta semana.

Deixe um comentário