Lojas Renner (LREN3) 2T20: Lucro líquido de R$ 818 milhões

LinkedIn

Um efeito fiscal extraordinário garantiu o lucro da Lojas Renner no segundo trimestre, compensando contabilmente os efeitos da pandemia de Covid-19, que derrubaram suas vendas da varejista de moda no período.

Lojas Renner registrou lucro líquido de R$ 818 milhões no 2T20, um avanço de 254% ante o mesmo período de 2019. A varejista foi beneficiada pelo reconhecimento de um crédito fiscal de R$ 1 bilhão.

Os resultados da Lojas Renner (BOV:LREN3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 31/08/2020.

Ebitda ajustado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou 455,3 milhões de reais, consideradas as operações de varejo, alta de 32,1% frente ao mesmo período de 2019. Excluindo o efeito fiscal, o Ebitda de Varejo foi negativo em 280,2 milhões de reais.
A empresa possui valor de mercado de R$ 34,6 bilhões. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.
A receita líquida da empresa, no entanto, caiu 65% no período, para R$ 808,5 milhões, puxada pela queda de 73% na receita com vendas de mercadorias, para R$ 539,6 milhões. A receita do braço financeiro da empresa recuou 1,4%, para R$ 268,9 milhões. O custo de vendas de mercadorias e de produtos financeiros caiu 66%, para R$ 304,6 milhões, mas o lucro bruto ainda foi 64% menor, a R$ 503,9 milhões.

Um forte ajuste na linha das despesas — queda de 92% ante o segundo trimestre de 2019, para R$ 83,6 milhões — permitiu que a empresa reportasse um lucro operacional 12% superior, a R$ 420,3 milhões.

De todo modo, o efeito extraordinário aliviou em parte o estrago severo das medidas de isolamento social tomadas para conter a pandemia.

Em abril somente 10% das lojas estavam abertas, em maio, 33%, e em junho, 69%. Assim, as vendas em mesmas lojas caíram 74%, sem que o avanço de 122% nos canais digitais conseguisse compensar a queda de 79% no lucro bruto do varejo, para R$ R$ 242 milhões, com margem bruta 11,6 pontos percentuais menores, devido à antecipação de promoções para acabar com os produtos da coleção de inverno e renovar os estoques.
Os danos só não foram maiores porque a empresa conseguiu se aproveitar do forte crescimento das vendas por canais digitais no período, com alta de 122% no trimestre.
Em agosto, as vendas on-line ainda reportaram crescimento de 206% em relação ao ano anterior. Durante o trimestre, a empresa passou a fazer entregas de vendas on-line direto das lojas, adotou a possibilidade de venda pelo WhatsApp e permitiu que clientes indicassem produtos em suas redes sociais, ganhando um valor a cada venda. A estratégia de digitalização também se estendeu ao braço financeiro da companhia, com os pagamentos das faturas dos cartões por meios digitais passando de 30% para 80%.
A divisão de serviços financeiros da Lojas Renner registrou queda de 42% em seu resultado líquido, para R$ 53 milhões. A empresa atribuiu o desempenho ao cenário econômico atual, onde foram elevados os níveis de provisionamento da carteira, com aumento do nível de cobertura.
A Lojas Renner emitiu 1 bilhão de reais em debêntures entre abril e maio, o que elevou seu endividamento ajustado de 0,14 vez no fim de 2019 para 0,61 vez no fim do primeiro semestre, a 1,1 bilhão de reais.

Visão do mercado

BB Investimentos

Para Georgia Jorge, “a Lojas Renner é a companhia mais eficiente no seu segmento e, apesar dos percalços de curto prazo, deve retomar rapidamente o desempenho operacional pré-crise”.

BB Investimentos mantém recomendação neutra para Lojas Renner com preço-alvo em R$ 37,10…

Eleven Financial

Eleven mantém recomendação neutra para Lojas Renner, com preço-alvo a R$ 50. Para casa de análise, operação digital teve avanços importantes, mas que não foram suficientes para compensar fechamento de lojas no período.

XP Investimentos

XP mantém recomendação de compra para Lojas Renner, com preço-alvo a R$ 50. Apesar dos resultados ruins do 2TRI, corretora espera números melhores com a reabertura das lojas físicas e fortalecimento do e-commerce.

Goldman Sachs

Goldman Sachs mantém recomendação de compra para Lojas Renner e preço-alvo a R$ 48. Banco disse que resultados do 2TRI foram fracos, mas que investidores devem se concentrar nas vendas online e na retomada das lojas físicas.

Deixe um comentário