Lojas Quero-Quero (LJQQ3): lucro líquido de R$ 67,9 milhões, alta de 125,3%

LinkedIn

A Lojas Quero-Quero registrou lucro líquido de R$ 67,9 milhões em 2020, alta de 125,3% em relação ao lucro de R$ 30,1 milhões de 2019. Desconsiderando impactos não recorrentes, o Lucro Líquido do ano teria sido de R$68,0 milhões

Os resultados da Lojas Quero-Quero (BOV:LJQQ3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 03/03/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

No acumulado do ano, a receita líquida foi de R$ 1,6 bilhão, alta de 20,6% em relação ao ano anterior.

O Ebitda ajustado de 2020 foi de R$ 163,2 milhões, 31% maior na comparação anual.

Segundo a Quero-Quero, durante a pandemia, a população redirecionou os gastos com entretenimento fora de casa para fazer melhorias em suas residências. Além disso, o auxílio emergencial também impulsionou a demanda. Destaca ainda a resiliência de atividades agropecuárias, que possuem grande relevância nas cidades onde atua.

4T20

A Lojas Quero-Quero teve lucro líquido de R$ 34,9 milhões no quarto trimestre de 2020, 118,8% maior frente igual período de 2019.

O Ebitda ajustado foi de R$ 63,3 milhões no quarto trimestre de 2020, 38,1% maior na comparação anual. A margem Ebitda foi de 12,6%, alta de 0,9 ponto percentual.

A receita líquida somou R$ 502,2 milhões no período, alta de 28,5% na comparação anual, impulsionado pelo crescimento de 38,6% da atividade de varejo.

As vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) subiram 29,7% no último trimestre de 2020, ante alta de 6,8% um ano antes.

A empresa informou ainda que ganhou participação de mercado, ficando acima dos dados divulgados pelo IBGE (PMC) para os três estados do sul do Brasil. As Vendas Mesmas Lojas (SSS – Same Stores Sales) saltou 29,7% no período.

Com a inauguração de 50 lojas, a empresa terminou 2020 com 395 unidades em 315 cidades.

“Nosso objetivo é seguir neste caminho que estamos trilhando de expansão orgânica e de ganho de mercado onde já operamos. A melhoria constante da operação resultou em crescimento médio anual de 12,6% de SSS nos últimos 4 anos”, disse a empresa.

O retorno sobre o capital investido (ROIC) ajustado dos últimos doze meses foi de 29,6%, 3,2 pontos percentuais acima do verificado ao final do quarto trimestre, principalmente devido ao aumento do resultado operacional no exercício acima do crescimento verificado no capital investido.

Teleconferência

A Lojas Quero-Quero prevê para este ano a abertura de 70 lojas e essa projeção, por ora, não foi modificada frente à piora da pandemia, disse hoje o diretor-presidente da companhia, Peter Furukawa, em teleconferência com investidores e analistas.

Segundo Furukawa, a equipe da Quero-Quero realizou visitas em cidades pequenas paulistas nos últimos meses e fez uma avaliação positiva sobre os locais.

A companhia acredita pelo menos 354 cidades em São Paulo e no Mato Grosso do Sul apresentam condições favoráveis para abertura de unidades. No Sul, existem 250 cidades nas quais a Quero-Quero ainda não atua e que também apresenta boas condições, segundo o executivo.

Segundo o executivo, caso a crise sanitária se estenda ainda mais é possível que a construção de algumas unidades atrase, mas o objetivo da empresa segue o mesmo.

Questionado por um analista sobre o ritmo de abertura das unidades, Furukawa afirmou que a empresa “está numa direção boa e irá manter bons retornos mantendo o pé no chão”. Segundo ele, crescer “rápido demais” é algo que pode ser ruim para a companhia.

Ainda sobre a pandemia, o executivo afirmou que o desempenho das lojas em janeiro e fevereiro foi “muito bom” e que tem acompanhado de perto os efeitos das medidas de distanciamento social adotadas em estados nos últimos dias sobre o movimento nas lojas.

Novo centro de distribuição para atender SP e PR

O diretor-presidente da Lojas Quero-Quero, Peter Furukawa, disse que a companhia avalia a construção de um novo centro de distribuição que possa atender o sul do Estado de São Paulo e parte do Paraná.

Dois centros de distribuição estão atualmente em construção nas cidades de Sarapiranga (RS) e Corbélia (PR). A expectativa da companhia é que eles sejam entregues ao longo de 2021.

 

VISÃO DO MERCADO

Bradesco BBI

O Bradesco BBI apontou que os números indicam continuidade das fortes tendências do trimestre anterior, com crescimento alto e sólida lucratividade.

Bradesco BBI mantém recomendação de compra, com preço-alvo de R$ 19,00 para 2021

Pensando em investir na Lojas Quero-Quero?

A Lojas Quero-Quero nasceu no dia 15 de agosto de 1967, na cidade de Santo Cristo, no interior do estado do Rio Grande do Sul, como uma pequena empresa de comércio e representações. Na época, o capital era formado apenas pela coragem, pela crença no trabalho duro e por um espírito muito forte de empreendedorismo.

A empresa é conhecida por oferecer uma solução integrada aos consumidores, caracterizada pelo portfólio de produtos de materiais de construção, eletrodomésticos e móveis, de forma a contemplar grande parte das necessidades dos clientes no segmento casa e construção. Além do segmento varejista, a Lojas Quero-Quero administra os cartões de crédito VerdeCard e, para completar o mix de produtos ofertados, conta com uma diversificada carteira de serviços financeiros, que incrementam e trazem a solução completa dentro do varejo para seus clientes.

Governança Corporativa

As ações da empresa são negociadas no Novo Mercado da B3. O IPO foi realizado no dia 07 de agosto de 2020.

Composição Acionária

Data base: 28/01/2021 Ações Ordinárias %
Genesis Investment Management, LLP 15.750.000 8,41%
Safra Asset Management S.A. 15.750.000 8,41%
Itaú Unibanco S.A. 11.850.000 6,33%
Bradesco Asset Management S.A. DTVM 10.903.022 5,82%
Capital World Investors 9.978.300 5,33%
Absoluto Partners Gestão de Recursos Ltda. 9.905.760 5,29%
Outros 113.153.187 60,42%
Ações em Tesouraria 0 0,00%
TOTAL 187.290.269 100,00%

Desempenho da empresa na B3

Desde o IPO, as ações da Lojas Quero-Quero oscilaram entre a mínima de R$ 12,41 e a máxima de R$ 21,15. No último pregão antes da divulgação do resultado do 4T20, a empresa fechou em queda de 2%, negociada a R$ 16,63.

Confira o histórico da Lojas Quero-Quero (LJQQ3)

Período Abertura Máxima Mínima Preço Médio Vol Médio Variação Variação %
1 Semana 17,72 17,80 15,93 16,86 1.708.520 -0,92 -5,19%
1 Mês 20,00 21,15 15,93 18,42 1.992.883 -3,20 -16,0%
3 Meses 15,76 21,15 14,51 17,12 1.863.257 1,04 6,6%
6 Meses 14,53 21,15 13,85 16,19 1.650.131 2,27 15,62%
1 Ano 13,20 21,15 12,41 15,29 1.992.193 3,60 27,27%
3 Anos 13,20 21,15 12,41 15,29 1.992.193 3,60 27,27%
5 Anos 13,20 21,15 12,41 15,29 1.992.193 3,60 27,27%
* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário