Ouro se manteve firme perto de uma alta de três meses com dados dos EUA

LinkedIn

O ouro se manteve firme perto de uma alta de três meses nesta segunda-feira,  após a perda da semana passada nos números do crescimento do emprego nos EUA pesar sobre o dólar e aumentar as expectativas de que as taxas de juros permanecerão baixas.

Os contratos futuros de ouro para junho fecharam em alta de 0,34%, cotados a US$ 1,837,60 a onça-troy na Comex, sustentados pela queda do índice DXY, em -0,09% há pouco.

O cenário é de bolsas mistas, ainda refletindo os dados do mercado de trabalho americano, que jogaram água fria nas apostas de que o Fed seria forçado a subir os juros mais cedo.

Investidores monitoram ainda o ataque ao duto Colonial, que transporta quase a metade do combustível consumido na costa leste.

Em outros lugares, o paládio subiu 1,5%, para US$ 2.971,39 por onça, após atingir o maior recorde na semana passada devido às preocupações com o déficit de oferta.

O UBS elevou suas previsões de preços para o final de junho e setembro para o metal, usado principalmente em catalisadores automotivos de redução de emissões para veículos, para US$ 3.100 por onça.

O banco espera que o mercado de paládio seja sub-abastecido em cerca de 1 milhão de onças este ano.

A prata caiu 0,2%, para US$ 27,39 a onça, enquanto a platina subiu 0,8%, para US$ 1.258,87 a onça. Ambos os metais atingiram anteriormente um pico de mais de dois meses.

(Com informações da CNBC, TC)

Deixe um comentário