Ser Educacional anuncia compra da Fael por R$ 280 milhões

LinkedIn

A Ser Educacional anunciou hoje a compra, por meio da sua subsidiária 3L Tecnologias Educacionais e Soluções Digitais, da Sociedade Técnica Educacional da Lapa (FAEL), mantenedora da Faculdade Educacional da Lapa (FAEL), com atuação em todo o território nacional, exclusivamente na modalidade de Ensino Digital (ou Ensino à Distância – EAD), por R$ 280 milhões.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:SEER3) nesta segunda-feira (31).

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa destaca que o valor está sujeito a um ajuste de capital de giro e dívida líquida da FAEL, bem como ao pagamento de um earn-out de até R$ 17,5 milhões condicionado ao atingimento de determinadas metas de performance pela FAEL.

A empresa informa que a Fael tem suas operações baseadas na cidade da Lapa (PR) e é uma das maiores instituições de ensino superior digital do Brasil, tendo cerca de 90 mil alunos nas modalidades de graduação e pós-graduação registrados direta ou indiretamente em sua instituição. Seu modelo operacional é baseado na distribuição de cursos via seus mais de 600 polos e conta com sólida capilaridade em municípios com menos de 100 mil habitantes.

“Suas operações possuem um modelo complementar ao da SER, tanto por sua presença regional, concentrando cerca de 67% da sua base de alunos de graduação nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, quanto por sua estrutura comercial, uma vez que sua rede de polos parceiros é responsável por cerca de 98% de sua base de alunos, enquanto a rede de polos parceiros da SER corresponde a cerca de 20% de sua base de alunos, sendo o restante dessa base de alunos matriculada via unidades próprias e matrículas online”, destaca.

Em 2020, a FAEL apresentou receita líquida de R$ 155,5 milhões e um Ebitda ajustado pelas despesas de aluguel, efeitos não recorrentes e práticas contábeis da Ser de R$ 20 milhões, apresentando crescimento da receita e do Ebitda ajustado em comparação a 2019 de 12% e 124%, respectivamente.

Criação de valor

A Companhia espera que a transação a torne um player ainda mais relevante no segmento de ensino superior e com sólido potencial de geração de valor aos acionistas, uma vez que a aquisição da FAEL criará uma rede com mais de 1.000 polos, com portfólio de marcas com alcance nacional e comparável aos maiores players desse segmento no mercado.

Entre os benefícios esperados estão a transformação do Ensino digital, que passa a ser relevante na SER, otimizando sua posição em um segmento de alto crescimento de mercado; criação de um novo modelo de gestão de polos parceiros oriundos da FAEL para todas as marcas SER; ampliação do portfólio de cursos disponíveis aos polos FAEL, com destaque para os cursos de maior tíquete médio e margens operacionais como os cursos nas áreas da saúde e engenharias.

A empresa cita ainda aumento da escala operacional, com diluição do custo de aquisição de clientes e diluição dos custos de retaguarda; sinergias nas empresas combinadas com a expansão da base de cursos na Ubíqua e distribuição de cursos online no ecossistema SER; e

otimização de custos e despesas após a integração.

A operação está sujeita ao cumprimento de determinadas condições precedentes usuais em operações similares, incluindo a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), e será concluída tão logo tais condições sejam cumpridas.

VISÃO DO MERCADO 

BTG Pactual 

Aquisições como o da Faculdade Educacional da Lapa (Fael) oferecem riscos positivos para a ação da Ser Educacional, segundo o BTG Pactual.

“Nossa leitura sobre a aquisição é positiva, uma vez que o ativo é estratégico e oferece sinergias”, comentaram os analistas Samuel Alves e Yan Cesquim, em relatório.

O BTG destacou que as operações da Fael são complementares às da Ser em termos de presença regional e estrutura comercial da Fael são quase que inteiramente atendidos por operadores terceirizados, enquanto a maior parte dos estudantes de EaD da Ser está matriculada nas próprias unidades da companhia).

No entanto, por mais que veja a aquisição como benéfica para a Ser, o banco acredita que as operações da Fael precisam passar por um turnaround, considerando que a margem Ebitda atual parece fraca em comparação à média do setor.

BTG Pactual tem recomendação neutra e eleva preço-alvo de R$ 12,00 para R$ 19,00…

XP Investimentos 

A Faculdade Educacional da Lapa (Fael) tem um baixo nível de margens para os padrões de ensino à distância, o que deve representar um desafio para a Ser Educacional, de acordo com a XP.

A casa de análise destaca que a aquisição da Ser alcançou margem Ebitda de 13% no ano passado. De acordo com a XP, a Fael registrou uma receita de R$ 156 milhões e um EBITDA Ajustado de R$ 20 milhões, o que representa uma Margem EBITDA de 13%.

Portanto, o valuation implícito seria um EV/EBITDA de 14x, em comparação com o nível atual da Ser Educacional de 4,5x.

Este nível de margens é baixo para os padrões de ensino a distância, especialmente considerando o modelo 100% on-line da FAEL, que se compara à Yduqs, cuja margem EBITDA no ensino à distância é acima de 50%, ou mesmo à Vitru, que tem um modelo híbrido de ensino à distância e uma margem de 28%. Ressaltamos que a margem EBITDA consolidada da Ser atingiu 25% em 2020.

Este movimento ousado de estar mais exposto ao ensino à distância é positivo. No entanto, estamos cautelosos sobre a capacidade de Ser de melhorar as margens de FAEL ainda além das sinergias especuladas.

XP tem recomendação neutra, com preço-alvo de R$ 17,00…

Lucro líquido de R$ 30 milhões no 1T21, alta de 79,3%

Ser Educacional registrou lucro líquido de R$ 30,068 milhões no primeiro trimestre deste ano, alcançando alta de 79,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. O lucro líquido ajustado, por sua vez, ficou em R$ 36,221 milhões, alta de 23% em um ano.

receita líquida do trimestre foi de R$ 306,724 milhões, praticamente estável (-0,06%) ante o mesmo período do ano anterior.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 82,927 milhões, queda de 1,4% na comparação anual. No critério ajustado, o indicador atingiu R$ 67,863 milhões, redução de 12,6% ante o mesmo intervalo de 2020.

Informações Broadcast

Deixe um comentário