B3: incidente gera impacto nos procedimentos de pós-negociação

LinkedIn

A B3 comunicou a clientes nesta sexta-feira sobre um incidente da infraestrutura da bolsa, com potencial impacto na visualização das posições e/ou saldos em algumas contas.

Procurada pela Reuters, a B3 (BOV:B3SA3) disse que registrou na véspera problemas nos sistemas que fazem a integração entre suas plataformas de Negociação e a Clearing.

“O incidente gerou impacto para os participantes do mercado decorrentes de atrasos nos procedimentos de pós-negociação, como são chamadas as rotinas realizadas após o encerramento do horário normal de negociação dos mercados.”

A B3 disse que segue monitorando o incidente e continuará trabalhando nas rotinas de pós-negociação relativas ao pregão de quinta-feira.

No final do dia, a B3 envia arquivos que custodiantes usam para a conciliação de posições. Na véspera, alguns desses documentos não foram enviados ou estavam com problemas, o que pode afetar o trabalho de custódia nesta sessão.

“Eu não recebi até agora os relatórios de custódias dos nossos fundos”, afirmou o estrategista e sócio na Laic Asset Management, Vitor Carvalho, ressaltando que esse tipo de problema compromete o trabalho de custódia para esta sexta-feira.

B3 (B3SA3): lucro líquido recorrente de R$ 1,3 bilhão no 1T21, alta de 15,5%

A B3 registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,336 bilhão nos três primeiros meses do ano, alta de 15,5% em relação ao mesmo período do ano passado e um avanço de 15,2% ante o quarto trimestre de 2020.

Já o lucro líquido atribuído aos acionistas da B3 atingiu R$ 1,256 bilhão, aumento de 22,5% no ano e de 14,5% ante o quarto trimestre, refletindo o desempenho operacional positivo da companhia em todas as linhas de negócio no trimestre.

receita líquida foi de R$ 2,34 bilhões, um crescimento de 25,8% na base anual de comparação.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – recorrente bateu R$ 1,946 bilhão, valor 24% superior ao que a companhia teve nos primeiros três meses de 2020.

Informações Reuters

Deixe um comentário