Confira a agenda econômica da semana (19 a 23 de Julho): IPCA-15, PMIs, BCE…

LinkedIn

A próxima semana será de ajustes dos mercados para a reunião de política monetária do Fed na semana seguinte, e que ganha relevância por dar o pontapé inicial na discussão sobre a redução das recompras de títulos, o “tapering”.

Com os diretores do Fed em período de silêncio, o mercado vai olhar com mais atenção a reunião do Banco Central Europeu na quinta-feira e as prévias de atividade dos PMIs de julho na sexta-feira. Aumentará também o impacto dos balanços nos EUA, da variante Delta do coronavírus e de eventos políticos.

Nos EUA, estão previstos balanços de setores mais ligados à atividade, como Philip Morris, Coca-Cola, Johnson & Johnson, e de tecnologia como IBM, Netflix e Microsoft. O presidente Joe Biden dará uma entrevista sobre economia na segunda-feira e fará uma reunião ministerial na terça-feira.

Na quarta, o Escritório do Orçamento do Congresso dos EUA divulgará relatório sobre o teto da dívida americana. Biden deve também retomar as negociações para o pacote de infraestrutura no Congresso e a Opep pode se reunir extraordinariamente e definir metas de produção que podem mexer com o petróleo.

No Brasil, o Congresso em recesso e o presidente Bolsonaro se recuperando devem reduzir notícias de Brasília. O dado econômico mais relevante, o IPCA-15 de julho, sai somente na sexta-feira, e a arrecadação federal de junho não tem data definida para ser divulgada.

Na falta de notícias locais, o cenário externo deve ganhar destaque, assim como os preços de commodities, especialmente petróleo. Saem ainda notícias corporativas, com prévias operacionais de alguns setores, incluindo Petrobras na quinta-feira. Os casos de Covid-19 e a crise hídrica podem também impactar os mercados.

Calendário Semanal

  • Segunda-feira (19/07/2021)

🇧🇷 Índice IPC- Fipe (05h00)
🇧🇷 Relatório Boletim Focus (08h25) ⭐️
🇺🇸 Índice do mercado imobiliário residencial NAHB mensal (11h00)
🇧🇷 Balança Comercial semanal (15h00)
🇯🇵 Índice de preços ao consumidor mensal e anual (20h30)

  • Terça-feira (20/07/2021)

🇩🇪 Índice de preços ao produtor mensal e anual (03h00)
🇪🇺 Saldo de constas correntes mensal (05h00)
🇺🇸 Construção de casas novas mensal (09h30)
🇯🇵 Balança comercial mensal (20h50)

  • Quarta-feira (21/07/2021)

🇺🇸 Variação de estoques de petróleo EIA (11h30)
🇺🇸 Leilão primário de Treasuries de 30 anos (14h00)
🇧🇷 Fluxo cambial mensal (14h30)

  • Quinta-feira (22/07/2021)

🇯🇵 Japão – Feriado do Dia do Oceano
🇪🇺 BCE – Taxa de facilidade de Cedência (08h45)
🇪🇺 BCE – Taxa de Facilidade Permanente de Depósito (08h45)
🇪🇺 BCE – Taxa básica de juros (08h45)
🇺🇸 Pedidos de seguro-desemprego semanal (09h30) ⭐️
🇺🇸 Índice de atividade nacional Fed Chicago mensal (09h30)
🇪🇺 Confiança do consumidor mensal (11h00)
🇺🇸 Variação de vendas de casas usadas mensal (11h00)

  • Sexta-feira (23/07/2021)

🇯🇵 Feriado do dia do Esporte
🇬🇧 Vendas no varejo mensal e anual (03h00)
🇩🇪 PMI composto, industrial e de serviço mensal e anual (04h30)
🇪🇺 PMI composto, industrial e de serviço mensal e anual (05h00)
🇬🇧 PMI composto, industrial e de serviço mensal e anual (05h30)
🇧🇷 IPCA-15 mensal e anual (09h00)⭐️
🇺🇸 PMI composto, industrial e de serviço mensal e anual (10h45)⭐️
🇺🇸 Contagem de Sondas Baker Hughes (15h00)

Resumo do que passou…

⭐️ –  Confira tudo que aconteceu dia a dia no melhor resumo diário dos indicadores econômicos do Brasil e do mundo

Brasil

Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta, para 6,63% ao ano, de 6,50% na semana passada. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2021 era de 6,25% ao ano.

Em maio de 2021, o volume de serviços no Brasil avançou 1,2% ante abril, na série com ajuste sazonal, acumulando ganho de 2,5% nos últimos dois meses e recuperando parte do recuo de março (-3,4%). Com isso, o setor de serviços volta a ultrapassar o nível pré-pandemia, já que se encontra 0,2% acima do patamar de fevereiro de 2020.

Enquando ao Índice de Atividade Econômica do Banco Central surpreendeu e mostrou que a economia brasileira voltou a contrair em maio, depois de apresentar recuperação no mês anterior

No mês, o IBC-Br, considerado sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), teve queda de 0,43% em relação a abril, informou o BC em dado dessazonalizado.

Também o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,18% em julho. No mês anterior, o índice havia subido 2,32%. Com esse resultado, o índice acumula alta de 15,52% no ano e de 34,61% em 12 meses. Em julho de 2020, o índice variara 1,91% no mês e acumulava elevação de 8,57% em 12 meses.

Europa

No Reino Unido o índice de preços ao consumidor registrou alta anual de 2,5% em junho, segundo dados publicados nesta quarta-feira pelo Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês).

E a taxa de desemprego do Reino Unido nos três meses terminados em maio caiu para 4,8%, 0,2 ponto percentual (pp) abaixo do que o trimestre anterior, segundo dados do escritório federal de estatísticas do país, o National Statistics.

Já na Alemanha, o  índice de preços ao consumidor subiu 2,3% em junho na comparação com o mesmo mês do ano anterior, após apresentar alta de 2,5% em maio, de acordo com dados revisados divulgados pelo Escritório Federal de Estatísticas (Destatis).

Enquando na Zona do Euro o índice de preços ao consumidor subiu 1,9% em junho na comparação com o mesmo período de 2020, após a alta de 2,0% de maio, segundo dados revisados divulgados pela agência de estatísticas Eurostat.

Também as exportações da zona do euro caíram pelo quinto mês consecutivo em maio, sinalizando que o comércio internacional manteve ritmo fraco apesar do relaxamento de medidas de restrição ligadas à pandemia de covid-19.

Estados Unidos

Nos EUA o índice de Preços ao Consumidor subiu 0,9% em junho na comparação com o mês anterior, já descontados os fatores sazonais, segundo dados do Departamento de Trabalho do país. Analistas previam alta de 0,5%.

Enquanto o Tesouro  teve um déficit nominal de US$ 174,161 bilhões em junho, segundo dados do governo. Em maio, houve saldo negativo de US$ 131,953 bilhões, enquanto em junho de 2020 houve déficit de US$ 864,074 bilhões. As receitas de maio totalizaram US$ 449,199 bilhões, enquanto os gastos foram de US$ 623,359 bilhões.

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou na quarta-feira, 14, que “a inflação está bem acima de 2%, mas se baixar em seis meses, então veremos que o arcabouço da política monetária está funcionando.” Ele fez o comentário em depoimento que ocorre agora na Câmara dos Representantes.

Jerome Powell ressaltou que “a inflação está mais alta do que visto antes, mas está dentro do arcabouço de política monetária” e o banco central americano monitora atentamente a variação mensal média de preços nos EUA. “Se virmos que a inflação continuar materialmente alta por um longo tempo, absolutamente vamos mudar nossa política.”

A economia norte-americana segue se fortalecendo, mas essa recuperação tende a esbarrar nos gargalos de oferta. O Livro Bege, relatório econômico sobre as 12 principais regiões dos Estados Unidos, mostrou que as perspectivas para a demanda são positivas, mas há pessimismo sobre o abastecimento.

Ásia

A balança comercial da China registrou superávit de US$ 51,50 bilhões em junho, após o saldo positivo de US$ 45,53 bilhões em maio, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas do país. Os analistas esperavam superávit de US$ 45,50 bilhões.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 7,9% no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2020, indicando uma desaceleração na recuperação econômica. Os dados são do departamento oficial de estatísticas do país.

O crescimento do PIB chinês veio em linha com a projeção dos analistas. No primeiro trimestre de 2021, houve alta de 18,3%. Em base trimestral, o PIB da China aumentou 1,3% no primeiro trimestre deste ano, uma aceleração após o avanço de 0,6% no período anterior.

O banco central do Japão reduziu sua previsão de crescimento para este ano fiscal nesta sexta-feira, uma vez que novas medidas emergenciais de contenção para combater a pandemia de Covid-19 afetou o consumo, reforçando as expectativas de que o país ficará atrás de seus pares globais em reduzir o forte estímulo.

Com a política monetária em modo de espera, o Banco do Japão se aproximou ainda mais de territórios desconhecidos ao apresentar detalhes de um novo esquema para financiar atividades buscando combater a mudança climática.

(Com informações da ADVFN e TC)

Deixe um comentário