Petróleo fecha em queda com temor por baixa demanda

LinkedIn

Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em queda, com baixa de 1% no WTI, refletindo preocupações com a redução da demanda global da commodity devido à propagação da variante Delta do novo coronavírus, mais contagiosa.

A queda nos preços “reflete sérias preocupações sobre o crescimento nos próximos meses, já que a Delta causa restrições crescentes em todo o mundo. A Nova Zelândia da noite para o dia tornou-se a última a voltar ao confinamento após um único caso comunitário”, segundo o analista da Oanda, Craig Erlam.

Vários outros governos da região Ásia-Pacífico, como o Japão, estão aumentando as restrições à vida diária e às viagens na medida em que as campanhas de vacinação lentas não conseguiram impedir a propagação de infecções com a variante Delta.

Além disso, dados recentes da China sinalizando uma desaceleração da atividade econômica preocupam, na medida em que o país é o maior importador de petróleo do mundo.

Do lado da oferta, a produção de petróleo norte-americana deve aumentar para 8,1 milhões de barris por dia (bpd) em setembro, a maior desde abril de 2020, segundo dados do governo, após os Estados Unidos pediram que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados elevem a oferta para manter o mercado equilibrado.

Com isso, o preço do contrato do petróleo WTI negociado na Nymex com entrega para setembro caiu 1,04%, cotado a US$ 66,59 o barril. Já o preço do contrato do Brent negociado na plataforma ICE, com entrega para outubro recuou 0,69%, cotado a US$ 69,03 o barril.

(Com informações do TC e CMA)

Deixe um comentário