ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for smarter Negocie de forma mais inteligente, não mais difícil: Libere seu potencial com nosso conjunto de ferramentas e discussões ao vivo.

Petrobras deve aprovar a reabertura da fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados no Paraná

LinkedIn

A Petrobras está perto de aprovar a reabertura da fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados, subsidiária da estatal no Paraná. A expectativa da FUP (Federação Única dos Petroleiros) é que uma decisão definitiva sobre o investimento seja tomada em reunião da diretoria executiva da petroleira na 4ª feira (17.abr.2024).

Um estudo para a retomada da unidade já vinha sendo feito, segundo o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates. A volta dos investimentos da estatal em fertilizantes é uma demanda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A cobrança por celeridade nesses projetos esteve na lista de insatisfações de alas do governo que quase tiraram Prates do cargo.

A unidade localizada no Paraná está sem produzir desde 2020 e fez parte dos planos de venda da companhia na gestão de Jair Bolsonaro (PL), mas sem sucesso. Na atual gestão, foram contratados estudos de viabilidade técnica e financeira para a retomada. Esses relatórios agora passarão pela análise pela diretoria executiva e pelo Conselho de Administração da Petrobras (BOV:PETR3) (BOV:PETR4).

Diante da cobrança do governo, a aprovação é dada como certa pelo mercado. A previsão é que a unidade volte a operar no 2º semestre de 2024. Segundo o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, a reabertura deve ocorrer juntamente com a recontratação de trabalhadores.

Com o fechamento da unidade, cerca de 1.000 empregados foram demitidos, sendo 400 diretos e 600 indiretos. Bacelar participou na 2ª feira (15.abr), de audiência no TST (Tribunal Superior do Trabalho) sobre as demissões na unidade.

Bacelar cobrou urgência na reabertura.​​ Afirmou que a hibernação da fábrica no Paraná fez com que o país deixasse de produzir por dia 2.000 toneladas de ureia e 1.300 toneladas de amônia, utilizados na fabricação de fertilizantes.

“Não conseguimos entender a demora em retomar a unidade. O Brasil é um grande produtor agrícola, precisa diminuir a dependência sobre a importação de fertilizantes nitrogenados”, diz. “Mais do que ser importante para a economia, com geração de emprego e renda da região, a reabertura tem relação com a segurança alimentar da população”.

Em 2020, a Petrobras encerrou a produção na fábrica alegando que ela dava prejuízos desde que foi adquirida, em 2013. Afirmava que os resultados demonstravam a falta de sustentabilidade do negócio. De janeiro a setembro de 2019, o prejuízo foi de quase R$ 250 milhões.

A Araucária Nitrogenados tem capacidade de processar cerca de 1.900 toneladas por dia de ureia e 1.300 toneladas por dia de amônia, usadas na produção de fertilizantes agrícolas. A matéria-prima de fabricação é o resíduo asfáltico, obtido da Repar (Refinaria Getúlio Vargas), unidade da petroleira também localizada na cidade de Araucária (PR).

O Brasil é atualmente o 4º maior consumidor de fertilizantes do mundo e importa 85% do que utiliza. De acordo com estimativa da FUP, a reabertura da fábrica no Paraná, a retomada das unidades arrendadas na Bahia e em Sergipe e a conclusão das obras da fábrica de Três Lagoas (MS) podem reduzir para 35% as importações do insumo nitrogenado.

Informações Poder360

Gratuito - Quero ver a lista de criptomoedas - clique no banner

Deixe um comentário