Índice

Criar Discussão

Atualizar

Usuários Filtrados

Usuários Banidos

Meus Alertas

Meu Perfil

Busca

Regras

Cedro, Empresa De Primeira Linha E Muita Barata (CEDO4)

QMario
  • Dono
  • 62
  • 04/10/2007

Sofreu prejuízo em 2006 devido ao cambio, mas vem se recuperando este ano com aumento de receita e gerando lucro.

Está valendo 0,66 do valor patrimonial, apesar da pouca liquidez, é papel para anos pois vai render muito, ainda mais que o Fundo Orbe está comprando ela e a sua controladora Encorpar.

Empresa pouco conhecida pois atua nos bastidores, fornecedora de tecidos para a Zara e Levi's, ou seja, produtos de primeiríssima linha. Vejam a Matéria da ISTO É DINHEIRO do dia 26/9/2007:

Cedro na alta roda

Como a centenária tecelagem mineira conseguiu driblar a crise cambial, os competidores asiáticos e ainda cair nas graças das grifes européias

No início de 2006, a direção da mineira Cedro Cachoeira tomou uma decisão ousada: trocar a TexWorld, feira parisiense que reúne os principais fabricantes de tecidos do mundo, pela Première Vision – evento de menor porte, mas de grande prestígio junto aos estilistas das marcas top e que acontece também na capital francesa. Uma aposta, sem dúvida, arriscada porque, a princípio, poderia restringir o raio de ação da tecelagem mineira em nível global. Menos de dois anos depois, ela começa a colher os primeiros frutos dessa estratégia. Na semana passada, a Cedro Cachoeira fechou contrato de fornecimento de tecidos premium (com acabamento diferenciado) para grifes de destaque no cenário mundial. A lista inclui as espanholas Zara e Mango (cuja designer é a atriz Milla Jovovich) e a italiana Fornarina (conhecida pelos jeans carésimos). E não é só. A empresa está negociando a ampliação da parceria com a matriz da americana Levi´s, para quem já vende a matéria- prima das peças comercializadas no Brasil. “Entramos no primeiro time”, festeja Klecius Janduci, gerente de exportação da Cedro Cachoeira.

Antes de ser aceita nesse “clube”, a companhia foi submetida a um verdadeiro “pente-fino”. “Os organizadores da Première Vision avaliaram a qualidade dos produtos, a política de preços e até nossa capacidade de inovação”, conta. “Passamos em todos os quesitos”, completa.



Apesar de as exportações representarem uma fatia de apenas 15% do faturamento anual de R$ 370 milhões, essas operações são importantes porque permitem que ela receba uma remuneração diferenciada. “Os tecidos premium têm preços, em média, 50% maiores que os convencionais”, destaca Janduci. Com isso, é possível minimizar, e até evitar, o impacto de fatores como a defasagem cambial. Sem contar que tira a Cedro Cachoeira do bloco no qual estão os competidores chineses e vietnamitas que atuam majoritariamente com insumos básicos. “Nosso volume de vendas externas neste ano será idêntico ao de 2006, mas o faturamento deverá crescer 22%”, prevê Fábio Mascarenhas Alves, diretor financeiro da Cedro Cachoeira. Ele explica que a companhia, fundada em 1872, está, na verdade, colhendo os frutos de um plano elaborado em 2004.

O objetivo era um só: sair da “vala comum” das commodities e tentar se posicionar como sinônimo de qualidade e inovação. Para isso, foram aplicados R$ 113 milhões na melhoria e flexibilização do processo de produção das quatro fábricas situadas em Sete Lagoas, Caetanópolis e Pirapora, todas em Minas Gerais. Das linhas da Cedro saem anualmente 168 milhões de metros quadrados de tecidos, entre denim (índigo) e sarjas (brim). Montante suficiente para lhe garantir a terceira posição do ranking, atrás de Vicunha e Santista.

O investimento contemplou ainda a criação de tecidos tecnológicos, desenvolvidos em conjunto com indústrias químicas como a Basf e a Clariant. São produtos dotados de fios “recheados” com partículas nanotecnológicas, capazes de conferir propriedades bactericida e antichama, por exemplo, às roupas. Seu uso se dá, majoritariamente, na chamada linha profissional que abastece confecções que fabricam uniformes para hospitais, forças de segurança e outros segmentos onde os trabalhadores são expostos a riscos. Os tecidos dessa divisão respondem por 35% das receitas da Cedro Cachoeira e possuem o selo de aprovação da Universidade de Alberta, no Canadá, especializada nesse tipo de certificação.


TECNOLOGIA: linha de tecidos profissionais usa “fios inteligentes” com ação bactericida

TUDO AZUL: a Cedro Cachoeira é a terceira maior produtora de denim do Brasil
O mesmo foi feito na divisão fashion. Antes de se aventurar no chamado mercado de prestígio, a tecelagem mineira fez uma ampla pesquisa de tendência. Contratou bureaus de moda e consultorias internacionais como a britânica WGSN. Medida mais que justificada, já que os mostruários são desenvolvidos com antecedência de até dois anos em relação ao período que as roupas chegarão às vitrines da Europa e dos Estados Unidos. “Qualquer erro pode ser fatal”, ressalva Cássia Silveira, gerente de marketing da Cedro Cachoeira. E no mercado da moda não tem meio termo: ou você está “in” ou está


  • 24 Out 2007, 01:05
  • Tweet
Ativos Discutidos
BOV:CEDO4 5.98 0.8%
Cia Fiacao Tecidos Cedro Cachoeira
Cia Fiacao Tecidos Cedro Cachoeira
Cia Fiacao Tecidos Cedro Cachoeira
Índices Mundiais
Alemanha 0.3%
Austrália -0.9%
Brasil 0.3%
Canadá 0.3%
EUA (Dow Jones) 0.2%
EUA (NASDAQ) -0.5%
França 0.2%
Grécia 0.2%
Holanda -0.4%
Inglaterra 0.2%
Itália 0.6%
Portugal 0.5%
Maiores Altas (%)
BOV:ALPK1 0.30 50.0%
BOV:RPMG3 3.93 23.6%
BOV:VLID11 0.99 20.7%
BOV:P1BC34 95.70 16.6%
BOV:C1OG34 118 14.3%
BOV:BFCG39 45.67 14.2%
BOV:C1FG34 254 13.4%
BOV:SLBC34 133 13.1%
BOV:MTIG4 37.50 13.0%
BOV:M1TB34 204 11.7%
Seu Histórico Recente
BOV
CEDO4
CEDRO PN
Registre-se agora para acompanhar essas ações ao vivo no Monitor ADVFN.

O Monitor permite ver até 110 de suas ações favoritas de uma vez só e é completamente grátis para você usar.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P: V: D:20210928 01:54:39