IBC-Br

Calculado pelo Banco Central (BC), o IBC-Br é utilizado como parâmetro de avaliação do ritmo de crescimento da economia brasileira ao longo dos meses. O indicador também exerce grande influência sobre as estimativas do mercado financeiro para o Produto Interno Bruto (PIB) e para a Taxa Selic.

 

Índice de Atividade Econômica

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central do Brasil (IBC-Br) é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do país, constituindo-se em um parâmetro preliminar da evolução da atividade econômica brasileira. O cálculo do IBC-Br também auxilia a autoridade monetária a definir a meta da taxa básica de juros da economia, a Taxa Selic.

Este indicador econômico incorpora estimativas de crescimento para os setores agropecuário, industrial e de serviços, acrescidas dos impostos sobre produtos, que são estimados a partir da evolução da oferta total (produção + importações). Antes divulgado segmentado por estados e por regiões, o IBC-Br é, atualmente, calculado nacionalmente.

 

IBC-Br x PIB

Tanto o IBC-Br quanto o Produto Interno Bruto (PIB) são indicadores que medem a atividade econômica, no entanto, apresentam diferenças significativas em relação à metodologia de cálculo.

O IBC-Br foi criado pelo Banco Central (BC) para ser uma referência do comportamento da atividade econômica, servindo para orientar a política de controle da inflação pelo Comitê de Política Monetária (Copom), uma vez que o dado oficial do PIB é divulgado pelo IBGE com defasagem. O indicador do BC leva em conta trajetória de variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos três setores da economia brasileira (indústria, agropecuária e serviços).

Já o PIB é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a partir da soma dos bens e serviços produzidos na economia. Pelo lado da produção, considera-se a agropecuária, a indústria, os serviços, além dos impostos. Já pelo lado da demanda, são computados dados do consumo das famílias, consumo do governo e investimentos, além de exportações e importações.

De um modo geral, o IBC-Br é um indicador de tendência do PIB, entretanto, não é uma medida prévia do PIB. O IBC-Br não pode ser considerado uma prévia do PIB porque o dado oficial é muito mais complexo. As divergências na metodologia de cálculo dos dois indicadores refletem-se nos resultados finais.

 

IBC-Br x Taxa Selic

O IBC-Br é uma das ferramentas utilizadas pelo Banco Central (BC) para definir a taxa básica de juros (Taxa Selic) da economia brasileira.

 

IBC-Br 2017

IBC-Br Observado Dessazonalizado
Jan 128.19  133.27 
Fev 128.88  135.04 
Mar 141.27  134.50 
Abr 132.98  134.71 
Mai 135.64  134.45 
Jun 134.39  135.08 
Jul 137.94  135.57 
Ago 139.92  135.05 

 

IBC-Br 2016 

IBC-Br Observado Dessazonalizado
Jan 128.02  135.41 
Fev 130.32  134.92 
Mar 140.03  133.92 
Abr 135.40  134.12 
Mai 133.23  133.84 
Jun 135.05  134.06 
Jul 136.20  133.79 
Ago 137.66  133.11 
Set 133.42  133.09 
Out 132.34  132.81 
Nov 132.18  132.89 
Dez 132.81  132.63 

 

IBC-Br 2015

IBC-Br Observado Dessazonalizado
Jan 139,01 145,20
Fev 136,76 144,33
Mar 149,93 143,85
Abr 142,59 142,31
Mai 140,00 141,11
Jun 138,91 139,80
Jul 143,49 138,82
Ago 141,03 138,94
Set 138,48 137,86
Out 140,33 138,62
Nov 136,01 136,66
Dez 136,28 136,57

   

IBC-Br 2014

IBC-Br Índice Observado Índice Dessazonalizado
Jan 142,72 148,29
Fev 143,53 147,78
Mar 149,03 147,88
Abr 147,69 147,04
Mai 147,14 146,41
Jun 140,88 143,88
Jul 149,85 145,05
Ago 148,27 145,78
Set 148,12 146,07
Out 149,70 144,69
Nov 144,92 145,49
Dez 145,48 146,28

  

IBC-Br 2013

IBC-Br Índice Observado Índice Dessazonalizado
Jan 140,01 145,44
Fev 137,44 145,80
Mar 148,48 146,30
Abr 150,94 148,49
Mai 147,94 146,63
Jun 146,03 148,49
Jul 153,08 147,25
Ago 152,58 146,99
Set 148,18 148,37
Out 152,55 148,07
Nov 147,35 148,07
Dez 141,86 146,89

 

Revisão do IBC-Br 

Mensalmente, o Banco Central (BC) realiza revisões do IBC-Br. Desde que passou a incorporar novos dados do IBGE, no entanto, a partir do dado referente a março de 2015, as mudanças têm sido mais drásticas.

No Relatório Trimestral de Inflação de março de 2015, o BC já havia destacado que, em função da migração das contas nacionais brasileiras para o Sistema de Contas Nacionais 2010 (SCN 2010), o IBC-Br deveria experimentar revisões na série histórica ao longo dos meses seguintes. Isso porque o BC passou a refletir a incorporação das mudanças metodológicas e as novas informações disponibilizadas pelo Instituto.

Em janeiro de 2016, o Banco Central promoveu uma revisão na apuração do IBC-Br para incorporar a estrutura de produtos e avanços metodológicos do Sistema de Contas Nacional, entre outros indicadores.

De acordo com o BC, a nova série incorpora a estrutura de produtos e avanços metodológicos do Sistema de Contas Nacional - Referencia 2010, do IBGE. Destacam-se também a incorporação da PNAD Contínua em substituição à Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e a da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS).

 

Variação Mensal do IBC-Br

Variação Mensal Percentual do IBC-Br (%)

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
2013-0,250,341,50-1,251,27-0,84-0,180,94-0,200,00-0,80
20141,23-0,34-0,07-1,12-0,43-1,730,810,500,20-0,940,550,54
2015-0,85-0,60-0,33-1,07-0,84-0,93-0,700,09-0,780,55-1,41-0,07
2016-0,85-0,36-0,740,15-0,210,16-0,20-0,51-0,02-0,21-0,06-0,20
20170,481,33-0,400,16-0,190,470,36-0,38----
Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P:43 V:br D:20171020 19:57:19