Estoque de títulos públicos no Tesouro Direto sobe 2,08% no terceiro mês de 2015

LinkedIn

O estoque de títulos no programa Tesouro Direto alcançou o valor de R$ 16.274,93 milhões em março de 2015 – um acréscimo de 2,08% em relação ao mês anterior. As Notas do Tesouro Nacional Série B Principal (NTN-B Principal), títulos cuja rentabilidade está atrelada à variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), respondem pela maior parcela do estoque de títulos do Tesouro Direto (45,55%). No terceiro mês do ano, 12.570 novos investidores se cadastraram no programa de títulos públicos do Governo Federal.

Rio de Janeiro, 25 de Abril de 2015 – As emissões do Tesouro Direto em março atingiram R$ 1.001,77 milhões, enquanto os resgates corresponderam a R$ 457,03 milhões, o que resultou em emissão líquida de R$ 544,74 milhões.

Os títulos mais demandados pelos investidores cadastrados no programa de compra e venda de títulos públicos federais foram aqueles remunerados por índice de preços (NTN-B e NTN-B Principal),  que responderam por 50,97% do montante vendido.

Com a contabilização das compras e vendas de títulos públicos federais realizadas no terceiro mês do ano pelo investidor pessoa física, o Tesouro Direto alcançou R$ 16.724,92 milhões, o que representa um acréscimo de 4,90% em relação ao mês anterior. Os títulos com maior representação no estoque são as NTN-B Principal, que correspondem a 44,32% do total.

Em relação ao número de investidores, 12.570 novos participantes se cadastraram no Tesouro Direto em março. Desta forma, o total de investidores cadastrados chegou a 484.275, o que representa um incremento de 23,40% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Novidades no Tesouro Direto

Visando facilitar o investimento no Tesouro Direto o mês de março foi marcado por uma série de inovações.

Foram criadas novas nomenclaturas em que as principais características dos títulos são identificadas nos próprios nomes. As recompras passaram a ser diárias, permitindo maior liquidez ao investidor.

Outro destaque do mês de março foi que o Tesouro Direto registrou recordes históricos nos volumes de emissões e de emissões líquidas, que atingiram, respectivamente, R$ 1.001,77 milhões e R$ 544,74 milhões.

Notícias Relacionadas

– Brasil: dívida pública federal subiu 4,79% no terceiro mês de 2015

– Investidores aumentam exposição aos títulos da dívida brasileira em março de 2015

– Brasil: perfil de vencimento dos títulos da dívida pública federal em março de 2015

– Brasil: custo médio da dívida pública federal em março de 2015

– Tesouro Direto: volume negociado pelos títulos públicos federais em março de 2015

– Tesouro Direto: rentabilidade dos títulos públicos federais em março de 2015

 

Deixe um comentário