Tarifas de eletricidade residencial e condomínio residencial foram os itens que mais pesaram sobre a desaceleração do IPC-M de Julho

LinkedIn

São Paulo, 30 de Julho de 2015 – O Índice de Preços ao Consumidor – Mercado (IPC-M), aferido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 0,60% no sétimo mês do ano. No mês anterior, o indicador fechara com alta de 0,83%. A nova valorização mensal foi influenciada, principalmente, pelo aumento nos preços da tarifa de eletricidade residencial e condomínio residencial.

O preço da tarifa de eletricidade residencial foi o item que apresentou a maior diferença entre as variações de preço registradas em junho de 2015 (0,49%) e julho (2,25%): +1,76%. Já o preço do condomínio residencial também registrou alta no sétimo mês do ano: subira 1,32% em junho e 1,69% em julho (diferença de variação de +0,37%)

Outros itens que registraram variação positiva considerável de preço em julho, na comparação com o mês anterior, foram: preço das refeições em bares e restaurantes, que subiu 0,45% em junho e caiu 0,50% em julho (diferença de variação de +0,05%); preço da taxa de água e esgoto residencial, que subiu 3,31% em junho e e subiu 2,00% em julho (diferença de variação de 1,31%); e preço do plano e seguro de saúde, que subiu 0,70% em junho e 0,89% em julho (diferença de variação de +0,19%).

Alguns itens contribuíram para que a valorização do IPC-M em julho de 2015 não fosse maior. O preço da passagem aérea foi o item que apresentou a maior diferença entre as variações de preço registradas em junho (12,67%) e julho de 2015 (-13,42%): -26,09%. Já o preço do tomate também registrou forte baixa no sétimo mês do ano: baixa de -2,49% em junho e -12,50% em julho – diferença de -10,01%.

Outros itens que registraram variação negativa considerável de preço em julho, na comparação com o mês anterior, foram: tarifa de ônibus urbano, que subiu 0,04% em junho e caiu -0,35% em julho (diferença de variação de -0,39%); etanol, que caiu -0,97% em junho e -1,12% em julho (diferença de variação de -0,15%); e material para reparos de residência, que subiu 0,72% em junho e caiu -1,07% em julho (diferença de variação de -1,79%).

o IPC mede a variação de preços de um conjunto fixo de bens e serviços componentes de despesas habituais de famílias com nível de renda situado entre 1 e 33 salários mínimos mensais. Sua pesquisa de preços se desenvolve diariamente, cobrindo as sete principais capitais do país. Os preços são coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência

Notícias Relacionadas

IPA: Inflação no atacado fecha o sétimo mês de 2015 com nova valorização

Atacado: inflação medida pelo IPA-M em Julho de 2015 acumula alta de 6,20% nos últimos 12 meses

Preços de aves e soja (em grão e farelo) puxam inflação no atacado para cima em Julho de 2015

IPC-M sobe 0,60% em Julho de 2015

IPC-M desacelera em Julho de 2015 e acumula inflação de 9,33% nos últimos 12 meses

Tarifa de eletricidade residencial e condomínio residencial foram os itens que mais pesaram sobre a desaceleração do IPC-M de Julho

INCC-M registra variação de 0,66% em Julho de 2015

INCC-M fecha Julho de 2015 em alta e acumula valorização de 6,48% nos últimos 12 meses

Custos com mão de obra puxam alta do INCC-M em Julho de 2015

Brasília foi a cidade que registrou a maior alta nos custos da construção civil em Julho de 2015

– Veja como calcular o reajuste do seu aluguel com o IGP-M de Julho acumulado em 6,97% ao ano

– IGP-M divulgado em Julho de 2015 acumula alta de 6,97% nos últimos doze meses

– IGP-M registra valorização de 0,69% em Julho de 2015

– IGP-M fecha Julho de 2015 com valorização de 0,69% e registra a quinta maior alta do ano

Deixe um comentário