Produção industrial brasileira recua 1,5% em Julho de 2015

LinkedIn

São Paulo, 02 de Setembro de 2015 – De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM – PF), divulgada mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção da indústria brasileira em julho de 2015 recuou 1,5% na comparação com o mês anterior.

A redução de 1,5% da atividade industrial na passagem de junho para julho teve predomínio de resultados negativos, alcançando três das quatro grandes categorias econômicas e 14 dos 24 ramos pesquisados.

Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) de Julho de 2015

Entre os setores, a principal influência negativa foi registrada por produtos alimentícios, que recuou 6,2%, eliminando a expansão de 4,3% observada no mês anterior. Vale destacar que esses setores foram influenciados nesse mês por paralisações em várias unidades produtivas, por conta das reduções de jornadas de trabalho e da concessão de férias coletivas.

Outras contribuições negativas importantes sobre o total da indústria vieram das atividades de bebidas (-6,2%), de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,7%) e de indústrias extrativas (-1,5%), com o primeiro devolvendo parte do crescimento de 7,1% acumulado nos meses de maio e junho; o segundo interrompendo três meses de taxas positivas, período em que acumulou ganho de 3,6%; e o último acumulando queda de 2,6% nos últimos três meses, após avançar 4,3% entre dezembro de 2014 e abril de 2015. Vale citar também as perdas assinaladas pelos setores de produtos de madeira (-7,6%), de produtos de borracha e de material plástico (-2,2%), de produtos diversos (-5,5%) e de produtos de metal (-1,8%).

Por outro lado, entre os dez ramos que ampliaram a produção nesse mês, o desempenho de maior importância para a média global foi registrado por máquinas e equipamentos, que avançou 6,5%, interrompendo cinco meses consecutivos de taxas negativas, período em que acumulou redução de 11,9%.

Outros impactos positivos importantes foram observados nos setores de veículos automotores, reboques e carrocerias (1,4%) e de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (3,2%), com o primeiro voltando a crescer após acumular queda de 24,4% entre outubro de 2014 e junho de 2015; e o segundo apontando o primeiro resultado positivo desde janeiro último, acumulando nesse período perda de 28,2%.

Entre as grandes categorias econômicas, ainda na comparação com o mês imediatamente anterior, bens de consumo semi e não-duráveis, ao recuar 3,4%, mostrou a redução mais acentuada em julho de 2015, eliminando, dessa forma, a expansão de 3,1% acumulada nos meses de maio e junho últimos. Os setores produtores de bens intermediários (-2,1%) e de bens de capital (-1,9%) também registraram taxas negativas em julho de 2015, com ambos marcando o sexto mês seguido de queda na produção e acumulando nesse período perdas de 4,4% e 17,7%, respectivamente. Por outro lado, o segmento de bens de consumo duráveis, ao avançar 9,6%, assinalou o único resultado positivo nesse mês, após acumular perda de 25,2% entre outubro do ano passado e junho de 2015.

Variação Anual da Produção Industrial

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o total da indústria apontou queda de 8,9% em julho de 2015, décima sétima taxa negativa consecutiva e mais acentuada do que as observadas em março (-3,3%), abril (-7,7%), maio (-8,8%) e junho (-2,8%).

Variação da Produção Industrial Acumulada em 2015

No índice acumulado para o período janeiro-julho de 2015, frente a igual período do ano anterior, o setor industrial mostrou queda de 6,6%, com perfil disseminado de taxas negativas, já que as quatro grandes categorias econômicas pesquisadas apontaram recuo na produção.

Variação da Produção Industrial Acumulada nos Últimos 12 Meses

A taxa anualizada, que indica a taxa de variação acumulada nos últimos doze meses, com o recuo de 5,3% em julho de 2015, assinalou perda mais intensa do que a verificada em junho último (-4,9%) e manteve a trajetória descendente iniciada em março de 2014 (2,1%).

Entenda a Pesquisa Industrial Mensal (PIM)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através da Pesquisa Industrial Mensal, produz indicadores de curto prazo relativos ao setor industrial brasileiro.

Iniciada na década de setenta, a pesquisa abrange todo o território nacional e é divulgada mensalmente, em duas versões: PIM-PF e PIMES.

A Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) avalia o comportamento da produção real mensal nas indústrias extrativa e de transformação do país. O IBGE divulga mensalmente dois relatórios sobre a produção física no Brasil: um nacional e outro regional.

A Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (PIMES) avalia o comportamento do emprego e dos salários nas atividades industriais do país.

Clique aqui e saiba mais detalhes sobre a produção industrial no Brasil

Notícias Relacionadas

Fabricação de bens de consumo semi e não duráveis puxam a queda mensal da produção industrial brasileira em Julho de 2015

Pesquisa Industrial Mensal de Julho de 2015: Produção industrial brasileira caiu 8,9% na comparação com o mesmo mês do ano anterior

Produção industrial brasileira recua 1,5% em Julho de 2015

Indústria brasileira acumula queda de produção de 6,6% entre Janeiro e Julho de 2015

Fabricação de veículos automotores e produtos alimentícios foram os maiores vilões pela queda anual da produção da indústria brasileira registrada em Julho de 2015

Produtos alimentícios puxam a queda mensal da produção industrial brasileira em Julho de 2015

Deixe um comentário