Prefeitura lança plano de ações preventivas para o verão no Rio

LinkedIn

A prefeitura do Rio anunciou hoje (11) ações do Plano Verão para prevenir e minimizar os efeitos das fortes chuvas típicas da estação, no período de 21 de dezembro a 20 de março. As novidades são o acionamento de sirenes de segurança nas comunidades quando aumenta a chuva, a limpeza das galerias de águas pluviais das ruas recém asfaltadas e a inauguração de novos reservatórios para o escoamento das águas. Também serão feitas ações contínuas para a prevenção de doenças comuns no verão, como a dengue.

Segundo o secretário-executivo municipal de coordenação de governo, Pedro Paulo, 165 sirenes estão instaladas em 103 comunidades do Rio. A partir de agora, o alerta poderá ser feito quando houver acúmulo pluviométrico de 40 milímetros (mm) e 55 mm de chuvas no período de uma hora. “Anteriormente, o protocolo para acionamento dos alertas era de 40 mm de chuva por hora. Atualmente, modificamos, por causa do crescimento da resiliência da cidade”.

Os equipamentos serão acionados por equipes da Defesa Civil municipal a partir do Centro de Operações Rio (COR). O secretário chama a atenção para o aumento das temperaturas, que estarão acima da média do município, devido ao fenômeno do El Niño. ” Para este verão, a previsão é de que aumente em 3 graus Celsius (°C) a temperatura, em comparação ao verão de 2014/2015 cuja a média foi de 33,4° C”.

A Secretaria de Conservação, com o apoio da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), concluirá até o fim da primeira quinzena deste mês, a limpeza de cerca de 1.700 quilômetros de águas pluviais. Segundo o secretário de conservação, Marcus Belchior, os serviços priorizarão as vias primárias, como Avenida Brasil, Autoestrada Lagoa-Barra, Avenida Niemeyer e estrada Grajaú-Jacarepaguá.

De acordo com o secretário municipal de Saneamento e Recursos Hídricos, Pierre Batista, foram inaugurados três reservatórios na Praça Niteroi, no Maracanã, em ouubro. A cidade já conta com o reservatório da Praça da Bandeira, na zona norte, que tem capacidade para armazenar 18 milhões de litros de águas pluviais – o equivalente a sete piscinas olímpicas. “Os reservatórios fluminenses comportam 58 milhões de litros de água e têm o objetivo de diminuir os transtornos provocados pelas chuvas naquela região”, afirmou.

O diretor do Centro de Operações Rio, Pedro Junqueira, disse que o monitoramento da cidade será feito com base nas ações de prevenção, câmeras e radar meteorológico, mobilização da população e engajamento de recursos públicos, e comunicação com o aplicativo do Alerta Rio e o uso das redes sociais.

A representante da Secretaria Municipal de Saúde, Betina Durovni, informou que, durante o verão, haverá um aumento das ações de combate ao mosquito transmissor da dengue e conscientização da população durante o ano, já que mais de 80% dos focos de mosquitos estão nas residências. “Para combater a doença, a secretaria planejou mais de 3,5 mil ações educativas de mobilização, atuando com cerca de 700 mil pessoas a cada ano”.

 

Editor Maria Claudia

Deixe um comentário