Principais economistas do país pioram pela oitava vez seguida a projeção de retração do PIB brasileiro em 2016

LinkedIn

De acordo com a projeção das instituições financeiras que colaboram com Banco Central (BC) para elaboração do Boletim Focus, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro retrairá 3,49% em 2016 – projeção 0,09% pior que aquela divulgada no relatório da semana anterior (-3,40%).

Há onze semanas, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou que o PIB do país apresentou variação negativa de 0,6% na comparação do segundo com o primeiro trimestre de 2016, levando-se em consideração a série com ajuste sazonal. Na comparação com igual período de 2015, houve contração do PIB de 3,8% no segundo trimestre do ano. No acumulado dos quatro trimestres terminados no segundo trimestre de 2016, o PIB registrou queda de 4,9% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

A divulgação do PIB brasileiro referente ao terceiro trimestre de 2016 está prevista para o dia 30 de novembro de 2016.

Em 2015, a economia brasileira encolheu 3,8% na comparação com 2014. Essa tinha sido a maior queda anual desde que a atual pesquisa do IBGE começou a ser feita, em 1996. Se forem considerados os dados anteriores do PIB, que começam em 1948, é o pior resultado em 25 anos, desde 1990 (-4,3%), quando Fernando Collor de Mello assumiu o governo e decretou o confisco da poupança.

Esta também foi a sétima vez que o Brasil registrou um PIB negativo desde 1948: 1981 (-4,3%), 1983 (-2,9%), 1988 (-0,1%), 1990 (-4,3%), 1992 (-0,5%), 2009 (-0,1%) e, agora, 2015 (-3,8%).

Para o PIB de 2017, o mercado financeiro reduziu a previsão anterior de crescimento da economia do país: de 1,00% para 0,98%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o comportamento da economia brasileira.

 

Produção Industrial

Um dos principais componentes para o cálculo do PIB, a Produção Industrial, também apresenta projeção de forte contração para 2016: queda de 6,23%. Essa projeção é 0,21% pior que aquela divulgada na semana passada, quando as instituições financeiras estimavam uma queda de 6,02% na produção da indústria brasileira este ano.

Para 2017, a previsão dos analistas consultados pelo BC sobre a Produção Industrial ainda é positiva: expansão de 1,21% – valor 0,10% melhor que aquele previsto na semana anterior (1,11%) pelos analistas financeiros que colaboram com a elaboração do Boletim Focus.

 

Balança Comercial

A Balança Comercial, outro componente utilizado para o cálculo do PIB, deve fechar 2016 com superávit estimado em US$ 47,00 bilhões – valor US$ 420 milhões menor que o projetado na semana passada (US$ 47,42 bilhões).

Para 2017, a expectativa dos analistas é de que a Balança Comercial também encerre o ano com saldo positivo: US$ 44,07 bilhões – valor US$ 930 milhões pior que o projetado na semana passada (US$ 45,00 bilhões).

 

Investimento Estrangeiro

Já com relação ao Investimento Estrangeiro Direto, o Boletim Focus prevê um aporte de US$ 65,00 bilhões em 2016, valor semelhante ao projetado na semana anterior (US$ 65,00 bilhões).

Com relação a 2017, o Boletim Focus aponta que o Investimento Estrangeiro Direto será de US$ 70,00 bilhões – valor igual ao valor estimado na semana anterior (US$ 70,00 bilhões).

 

Boletim Focus

O Boletim Focus é um relatório divulgado semanalmente pelo BC. Esse relatório contem uma série de projeções sobre a economia brasileira coletadas junto a alguns dos principais economistas em atuação no país. Cerca de 100 (cem) analistas de mercado, representando as principais instituições financeiras do Brasil, opinam sobre a perspectiva futura de diversos indicadores de nossa economia. O relatório é confeccionado de segunda-feira a domingo, sendo divulgado sempre às segundas-feiras da semana seguinte à sua confecção.

Clique aqui e confira a íntegra do Boletim Focus divulgado no dia 28 de Novembro de 2016.

Deixe um comentário